Bolsonaro suspende radares em rodovias federais

O presidente Jair Bolsonaro decretou a suspensão do uso de radares de fiscalização de velocidade em rodovias federais. A ordem foi publicada no “Diário Oficial da União”, nesta quinta-feira (15), e encaminhada ao Ministério da Justiça, responsável pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A suspensão se aplica aos seguintes tipos de radares: Estático: instalado em veículo parado ou sobre suporte; Móvel: instalado em veículo em movimento; Portátil: direcionado manualmente para os veículos.

Leia também: https://agenciauva.net/2019/06/14/bolsonaro-demite-general-santos-cruz-da-secretaria-de-governo/

Bolsonaro cumprimenta cidadãos e fala à imprensa no Alvorada, na manhã desta quinta-feira (15). (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A decisão presidencial não especifica quando a medida deve entrar em vigor, mas Bolsonaro disse na manhã desta quinta-feira que a suspensão passa a valer a partir de segunda-feira (19).

O advogado, ex assessor jurídico do Detran RJ e professor de Direito Penal da UVA, Marcelo Nogueira, de 48 anos, acredita que a medida seja um retrocesso absoluto. “A fiscalização e eventual punição são essenciais para educar e mudar o comportamento do motorista infrator”, afirma Marcelo.

Segundo ele ainda, as multas promovem um importante trabalho de conscientização e mudança. “Quando dói no bolso , as pessoas entendem o recado”, acrescenta o professor.

Trânsito congestionado em Rodovia em SP. (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Infraestrutura, que será o responsável pela revisão das normas, afirmou em nota que não há prazo definido para que a reavaliação do uso de radares seja realizada e eles voltem a ser utilizados. A PRF, por sua vez, ainda não se manisfestou sobre o caso.

Na segunda-feira, Bolsonaro havia afirmado que pretendia acabar com os radares móveis no país já na semana que vem, e que era “só determinar à Polícia Rodoviária Federal que não use mais”. O presidente, no entanto, afirmou que poderia voltar atrás se alguém “provar que esse trabalho é bom”.

Leia Também: https://agenciauva.net/2019/05/10/ministra-rosa-weber-da-cinco-dias-para-bolsonaro-explicar-decreto-sobre-as-armas/

Radar móvel utilizado pela Polícia Rodoviária Federal (Foto: Divulgação/PRF Tocantins)

Matheus Marques – 8° período

Saiba tudo sobre a Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019, que começa hoje

Competição que acontece na França, é a última Copa de Marta e será transmitida pela primeira vez na TV Aberta

A Copa do Mundo de Futebol Feminino, França 2019, começa nesta sexta-feira, às 16h (horário de Brasília). A seleção anfitriã encara a Coreia do Sul no estádio Parc des Princes, em Paris. A Seleção brasileira estreia neste domingo, 9 de junho, contra a Jamaica, na cidade de Grenoble.

Depois, o Brasil ainda encara Austrália e Itália, as outras integrantes do grupo C. Pela primeira vez, o futebol feminino contará com a transmissão das suas partidas no Mundial dentro da TV aberta, através da Rede Globo; o SporTV, na TV fechada, passará os outros jogos da Copa.

Leia Também: Divulgada a convocação da Seleção brasileira feminina para Copa do Mundo na França

captura-de-tela-2019-06-06-as-19.31.19
Equipe da Seleção feminina brasileira, que estreia no domingo na Copa do Mundo (Foto: CBF)

Leia Também: William é convocado para a vaga de Neymar na seleção

A Copa ainda marca a última da carreira de Marta, a camisa 10 da seleção feminina. Ela pode chegar ao título de maior artilheira nas Copas entre homens e mulheres – soma 15 gols contra 16 do alemão Klose.

A delegação chegou à França na última quarta-feira (5) e treina no Stade Paul Bourgeat, nesta sexta (7), com direito a presença das torcidas local e brasileira. A atacante Marta segue o processo de transição para o campo. Nesta quinta-feira (6), ela realizou atividades separadamente da equipe sob supervisão.

20190606172706_741
Ludmila e Thaisa durante treino pela seleção feminina em Grenoble (Foto: CBF)

Leia também: Tite divulga convocação do Brasil para a Copa América

Programação da Seleção brasileira na Copa:

9 de junho (domingo) – Brasil x Jamaica  – 10h30 (horário de Brasília);

13 de junho (quinta-feira) – Brasil x Austrália – 13h (horário de Brasília);

18 de junho (terça-feira) – Brasil x Itália – 16h (horário de Brasília).

Leia também: A esperança do sucesso da Copa do Mundo Feminina


Matheus Marques – 7 período

Corpo do cantor Gabriel Diniz é sepultado em João Pessoa

Cantor da música ‘Jenifer’ morreu nesta segunda (27) junto de mais duas pessoas em um acidente de avião no Sergipe quando voltava de um show 

O corpo do cantor Gabriel Diniz foi velado no ginásio de esportes Ronaldão, em João Pessoa, na Paraíba, onde o cantor morava. O velório começou por volta de 5h desta terça-feira (28). Conhecido pelo hit “Jenifer”, Gabriel morreu na queda de um avião de pequeno porte junto com outras duas pessoas, o piloto e o copiloto da aeronave, na tarde desta segunda (27), no povoado Porto do Mato, em Estância, sul de Sergipe. O velório. inicialmente, fechado para familiares e amigos, foi aberto ao público, que fazia fila desde a madrugada.

LEIA TAMBÉM : Avião que transportava o cantor Gabriel Diniz cai em Sergipe

gabriel diniz

Cantor Gabriel Diniz no clipe do hit ‘Jenifer’, sua música de maior sucesso e que o tornou nacionalmente conhecido (Reprodução: Facebook)

Diversos artistas compareceram à cerimônia para se despedir do amigo, os cantores Wesley Safadão, Xand Avião e Matheus da dupla Matheus e Kauan. Gabriel Diniz, que tinha 28 anos e era natural de Campo Grande (MS), estava no avião fazendo o trajeto entre Salvador e Maceió, para onde viajava para o aniversário da namorada, Karoline Calheiros. Nesta manhã, Karoline se juntou a familiares e fãs e se agachou ao lado do caixão.

Uma missa, aberta ao público, foi celebrada na tarde de terça-feira. Depois, o corpo do cantor seguiu em cortejo para o Cemitério Parque das Acácias, no bairro José Américo, também em João Pessoa. O sepultamento foi restrito a parentes de Gabriel.

Repercussão Online
Muitos fãs e amigos do cantor usaram as redes sociais para homenagear GD, como era conhecido. Muitos internautas também manifestaram seu choque com a morte tão repentina de uma estrela da música no auge do sucesso. O assunto da morte do cantor foi trending topics durante toda a tarde e noite desta segunda (27), sendo o assunto mais comentado do dia na internet.

A cantora Marília Mendonça foi umas das primeiras a se manisfestar após a confirmação da morte trágica do cantor. Ela usou sua conta no Instagram para se despedir do amigo.

WhatsApp Image 2019-05-28 at 15.35.53

A cantora Marília Mendonça e Gabriel Diniz juntos em show (Reprodução: Instagram)

A dupla Simone e Simaria também expressou seus sentimentos com a morte de Gabriel e usaram as redes sociais para homenageá-lo.

instagram simone e simaria

Simone e Simaria com Gabriel Diniz durante apresentação (Reprodução: Instagram)

Outros perfis comparam a situação, lembrando do caso do cantor Cristiano Araújo, morto em 2015 em um acidente de carro.

WhatsApp Image 2019-05-28 at 15.35.54


Matheus Marques – 7o período

Profissionais bem sucedidas no Marketing falam sobre carreira na SECOM

Palestra ‘Mulheres Digitais’ contou com trio de palestrantes mulheres que dividiram suas trajetórias e experiências profissionais na Comunicação 

Em tempos em que o papel da mulher no mercado de trabalho e a importância do marketing na comunicação nunca foram tão relevantes, um debate sobre os temas cai bem. Seguindo essa lógica a UVA Tijuca, recebeu na manhã dessa quarta feira (22), a palestra ‘Mulheres Digitais’, no terceiro dia de sua SECOM (Semana da Comunicação).

O debate foi comandado por um trio de executivas mulheres de sucesso na área de Marketing, e debateu assuntos como carreira, mercado de trabalho e atuação profissional no marketing, além de compartilharam suas trajetórias de sucesso com os alunos, que lotavam o auditório.

Leia Também: 15a SECOM tem debate sobre rádio na web e podcasts

WhatsApp Image 2019-05-22 at 10.24.49

Camila Paula, Carla Knoplech e Patrícia Cotta em momento de descontração durante a palestra (Foto: Victor Leal)

Palestraram no evento a coordenadora de Marketing de Conteúdo da empresa Descomplica, Camila Paula, a diretora da agência Forrest, Carla Knoplech, e a responsável pelo marketing do Kinoplex, Patrícia Cotta.

Leia Também: SECOM empoderada: Encerramento contou com participação de mulheres jornalistas

WhatsApp Image 2019-05-22 at 11.11.21

Trio de palestrantes abordou temas sensíveis durante o debate (Foto: Victor Leal)

A experiência de ser mulher em um mercado dominado por homens, permeou as falas das três palestrantes, que não tiveram medo de se posicionar e falaram abertamente sobre assédio e importunação sexual e moral no ambiente de trabalho.

As dificuldades e oportunidades do mercado da Comunicação, não poderiam deixar de serem faladas, inteligência emocional foi ressaltada como uma qualidade profissional importante atualmente.

As participantes também responderam perguntas dos alunos da platéia, com dicas de como de portar em uma entrevista de emprego e no ambiente de trabalho e como lidar com a pressão e estabelecer uma carreira de sucesso.

Programação
Confira o que acontece nesta quinta-feira (23), quarto dia da SECOM 2019.


Matheus Marques – 7 período

15a SECOM tem debate sobre rádio na web e podcasts

Conversa, durante a Semana da Comunicação, reuniu jornalistas e produtores de podcasts que debateram sobre o futuro do rádio na web

“O rádio e a internet: como o clássico sobrevive à modernidade” foi o tema da palestra que aconteceu na manhã dessa terça feira (21), no auditório da UVA Tijuca, e abriu o segundo dia da SECOM (Semana da Comunicação), em sua 15a edição, que esse ano possui como tema a Tecnologia 4.0.

Participaram do evento o repórter e colunista da Rádio Band News FM, Gustavo Sleman, o mentor do BRIO, blog e podcast sobre o mercado jornalístico, Júlio Lobianco, e Beto Estrada, o criador e apresentador de uns dos mais antigos e maiores podcasts do país, o “Matando Robôs Gigantes”. A conversa foi moderada pela professora de Radiojornalismo da UVA, Mônica Nunes, que também coordena a Rádio UVA.

DSC_0341

Beto Estrada, Gustavo Sleman e Júlio Lobianco durante a palestra, no palco da SECOM com professora Mônica Nunes que mediou o evento (Foto: Analice Ferreira)

O trio abordou como os podcasts são a evolução natural da rádio tradicional na era da internet, e ressaltaram a tendência de crescimento do mercado e no investimento de conteúdo nesse tipo de mídia, causando a popularização dos podcast.

O termo podcast surgiu faz mais de 10 anos e já é popular em muitos países, como os EUA por exemplo. Depois de anos com uma presença tímida, com o espaço e divulgação das plataformas digitais, tem apresentado um salto de audiência no Brasil.

Os palestrantes também compartilharam suas trajetórias pessoais de trabalho na área e dicas de como empreender na área.

A estudante, Jennifer Lemos, aluna do 7o período de Jornalismo, disse ter adorado conteúdo do evento, principalmente os palestrantes, suas falas, e interações com alunos.

“Acho que a palestra serviu muito para mostrar que alguns meios de comunicação, como o rádio, não está morto. Ele só migrou para a web, especialmente agora no formato podcast. Podemos dizer que este “novo rádio” pode crescer muito e trazer sucesso para profissionais da área”, disse.

Programação
Confira a programação desta quarta-feira (22), terceiro dia da SECOM 2019.

61038020_353777041917442_1541884433106206720_n

LEIA TAMBÉM: SECOM 2018: encerramento contou com participação de mulheres jornalistas


Matheus Marques – 7o período

Em julgamento, STJ decide pela soltura do ex-presidente Temer

Entenda as questões por trás do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Temer no STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou, na tarde desta terça feira,o  habeas corpus protocolado pela defesa do ex-presidente Michel Temer. O caso foi julgado pela Sexta Turma do tribunal.

Na semana passada, Temer foi preso, pela segunda vez, por determinação da Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado no Rio de Janeiro. Ele deverá deixar o local onde estava preso, um batalhão da Polícia Militar de São Paulo.

Leia Também: Michel Temer é preso pela Lava-Jato

stj_hc_michel_temer-1

Superior Tribunal de Justiça durante o julgamento do pedido de hc da defesa de Temer (Reprodução: STJ)

Leia Também: Michel Temer vira réu por organização criminosa e obstrução de justiça

A defesa de Michel Temer afirmou no pedido de habeas corpus que o ex-presidente não praticou nenhum crime e não havia fundamentos para justificar a prisão. Caso houvesse empate na votação, Temer poderia ser beneficiado com resultado positivo para ganhar a liberdade. Ele acabou sendo solto pelo entendimento unânime dos ministros da corte.

Os ministros impuseram algumas medidas cautelares, como a proibição de manter contato com outros investigados, mudar de endereço, sair do país, participar de operações com empresas investigadas etc.

Luiz Cláudio Martins, Pós-Doutor em Direito pela University of Oxford (Oxford) e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e professor de direito penal da Universidade Veiga de Almeida, falou sobre a prisão do ex presidente para a Agência UVA: “O fundamento principal da prisão cautelar de Temer seria para evitar a reiteração de crimes, a destruição de provas e de rastros”.

antcrz_abr_1912189095

Temer em sua última reunião ministerial como presidente (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Leia Também: Lava-Jato denuncia Temer e Moreira Franco por corrupção e lavagem de dinheiro

Ele ainda falou sobre a estratégia da defesa de Temer, “A principal linha argumentativa da defesa é a de que que não haveria fundamento para prisão cautelar, na medida em que seria fundada em afirmações genéricas, sem apresentação de fundamentos concretos que justificassem a medida”.

Luiz completa com a sua visão do resultado do julgamento: “Todos os quatro ministros foram a favor da liberdade do ex-presidente. O quinto Ministro, se declarou impedido de julgar o pedido. O argumento principal é o de que os fatos apurados na investigação são antigos e que os crimes investigados não teriam sido cometidos com violência. A turma foi clara que a decisão não implica em ausência de culpa do ex-presidente, mas sim tão somente que a prisão cautelar não pode prevalecer”.

 


Matheus Marques – 7 período

GP de Fórmula 1 deve voltar a ser sediado no Rio

Presidente e autoridades do Rio já anunciaram o novo autódromo, mas o governo de SP pretende manter a Fórmula 1 em Interlagos. 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que pretende levar o Grande Prêmio do Brasil de  Fórmula 1 de volta ao Rio de Janeiro, na última quarta feira(8). O Governador do estado, Wilson Witzel, e o prefeito da capital, Marcelo Crivella, assinaram um termo de cooperação com o presidente, para a construção do novo autódromo.

Através de sua conta oficial no Twitter, Bolsonaro declarou que o autódromo levará o nome de Ayrton Senna. O presidente disse também o custo da construção, estimado em R$ 850 milhões, será pago pela iniciativa privada. Ele afirmou ainda que a partir do ano que vem o GP da F1 já poderá ser realizado no Rio.

Leia Também: Especialistas analisam polêmicas de Bolsonaro no Twitter

Bolso

Tweet do presidente Bolsonaro sobre o assunto (Reprodução: Twitter)

O autódromo, segundo o anunciado, deverá ser construído em Deodoro, na zona Oeste do Rio, com capacidade para 130 mil pessoas. O terreno cogitado para a nova construção é uma área de propriedade do Exército, mas foi cedido para a construção da pista. O bairro foi um dos polos da Olimpíada, recebendo provas de hipismo e canoagem, entre diversos outros esportes.

08auto

Imagem do projeto do novo autódromo de Deodoro no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

Leia Também: Governo do RJ cancela contrato com consórcio responsável pelo Maracanã

O Rio de Janeiro não sedia mais o GP de Fórmula 1 desde 1989. Desde então a competição é realizada no autódromo de Interlagos, em São Paulo. O governo paulista tem contrato com a Liberty Media, grupo americano que controla a F1, até 2020. A tendência é a de que, se houver o acordo, de fato, o Rio volte a sediar as corridas a partir de 2021 – e não em 2020, como anunciou o presidente.

Porém, no que depender do Governo de São Paulo, isso não vai acontecer. O governador do estado, João Dória, declarou juntamente com o prefeito da capital, Bruno Covas, que desconhece qualquer impedimento da continuação da realização do evento em SP. Ele ainda disse que Bolsonaro se entusiasmou e que: “Não tem nada em Deodoro”.


Matheus Marques – 7 período

Os homens também sentem!

Veja, em reportagem especial da Agência UVA, como o conceito de masculinidade tem se transformado por meio de círculos de homens, filmes e leituras

No alto de uma ladeira, em um espaço de aprendizado, em meio ao verde que circunda o bairro do Cosme Velho, na Zona Sul carioca, no refúgio na escuridão da noite, se reúnem alguns homens. De início frios e tímidos, sem muito contato entre si, eles aguardam na varanda do casarão que abriga o encontro, onde aos poucos vão chegando mais pessoas. Vestida de branco, uma figura se sobressai. Com um abraço a todos que chegam, e sua fala aconchegante e serena, Surian dos Santos, de 34 anos, é quem promove o evento intitulado ‘Solar: Círculo de Homens’. A ideia do encontro é falar abertamente sobre questões masculinas modernas, colocando os participantes em contato com  novos significados para a masculinidade na busca de uma cultura de parceria e mais cuidado com a vida.

Eventos como esse são muito antigos em diversas culturas, e apesar de raros na nossa, têm crescido significativamente nos últimos anos, como ressalta com alegria o próprio Surian.

Quem há anos facilita esse tipo de reunião, geralmente entre mulheres, mas também com espaço aos homens, é a terapeuta holística, Bebel Clark, 33. Atenta as questões de gênero da atualidade, ela acredita que os homens ainda são muito afetados pelo senso de que precisam de status e poder, para serem socialmente reconhecidos. Segundo ela, eles possuem uma tendência a se fixarem nas aparências, o que acarreta consequências emocionais. “Uma certa dificuldade de se vulnerabilizar, dificuldade de pedir ajuda, dificuldade de reconhecer que precisam de apoio e ás vezes uma dificuldade também de criar vínculos com outros homens, nesse lugar de fragilidade”.

Trazer aos homens, energia feminina com a reflexão, Bebel pensa que seja um meio de resolução a essas questões. Já que entende como importante que os homens possam refletir sobre que papel querem ocupar na sociedade, que papel desejam ter nas suas vidas. “Os homens estão cansados de vestir máscaras, existem muito estigmas entre os homens”. Segundo ela, uma masculinidade plena é aquela que pode integrar o masculino e o feminino de cada homem, indo contra o machismo que afeta todos nós, de ambos os gêneros. “Desconstruindo esse sistema patriarcal e esse machismo, homens e mulheres serão mais felizes”.

IMG_3393

Surian dos Santos no espaço do ‘Círculo de Homens’ (Foto: Matheus Marques/Agência UVA)

Cada vez mais homens seguem o conselho de Bebel e buscam desconstruir seus dogmas e preconceitos, superar o machismo e redefinir sua ideia de masculinidade. Conceito que vem se transformando com o avanço dos tempos, tentando abraçar mais referências e possibilidades e deixar de ser tão limitante. Enfrentando o que tem se chamado de ‘masculinidade tóxica’, em busca de uma melhor expressão do masculino. O que justamente motivou Surian a conceber e realizar o ‘Círculo de Homens’.

Em outros campos de trabalho, Surian promovia cursos em que eram abertas rodas de diálogo, com isso percebeu o quanto a questão de gênero era latente.

“Em rodas sobre gênero era muito quente o tema de como o patriarcado tem oprimido todo mundo, no sentido de que homens e mulheres estavam cansados com as opressões e com as heranças culturais que tem recebido. Percebi que estavam todos insatisfeitos com as definições, impostas, sobre o que é ser um homem e o que é ser uma mulher”, conta ele.

“Eu lembro de ter perguntado em umas três rodas dessas, ‘O que é uma masculinidade bem orientada? A gente já sabe todos os males que causam essa expressão masculina opressora, mas e outro lado? O que a gente quer?’ e ninguém sabia dizer”, diz, ao relembrar os motivos que o levaram a iniciar encontros entre como esse.

Ele inicia a cerimônia convidando a todos a tirarem seus sapatos e a enxergarem o círculo como algo sagrado, antes mesmo de entrarem nele, deixando do lado de fora também seus celulares, e inibições. Após se sentarem, os homens são estimulados a refletir e conversar sobre suas referências de masculinidade.

Entre os participantes, um caso chama atenção, a relação de um senhor de barba branca e um jovem de barba escura, pai e filho juntos. O senhor de barba branca é Alcione Gonçalves, de 61 anos, capitão de mar e guerra da reserva, e professor da Escola de Formação da Marinha Mercante.

IMG_3379

Alcione e David Gonçalves (Foto: Matheus Marques/Agência UVA)

Alcione foi levado lá a primeira vez pelo filho, o músico, David Gonçalves. Na visão dele, o evento é um desbravador do sagrado masculino, no intuito de fazer com que os homens do século XXI descubram seu sagrado e consigam rever seus conceitos, para que, assim, a vida de todos melhore. Pai de outros três filhos, criados, segundo ele, com certo “rigor e disciplina”, Alcione afirma que sua ideia de masculinidade mudou bastante da juventude até hoje, mas nunca esteve tão plena.

“Antigamente quando era mais jovem, realmente o masculino representava muito a questão da força, do provedor. Ao longo do tempo eu consegui fazer com que essa masculinidade fosse flexibilizada, fosse amenizada. Tive uma visão da masculinidade que não há necessidade de não ser sensível e não ter empatia, consegui fazer com que a sensibilidade fizesse parte da minha vida e tenho excelente relação com todos os meus filhos e acho que minha masculinidade está bem resolvida”, diz Alcione.

O ator Ricardo Gadelha, 35, que participa do círculo pela terceira vez, fez questão de falar sobre suas experiências no ‘Círculo de Homens’. “Eu não sabia que existiam círculos de homens,  fiquei muito curioso quando soube. Eu tinha muitos preconceitos, uma imagem muito ignorante. Aí cheguei aqui e me surpreendi muito positivamente com essa condução muito sensível, com a atmosfera”, revela Ricardo.

IMG_3382

Ricardo Gadelha (Foto: Matheus Marques/Agência UVA)

Com uma postura simpática e a fala aberta e honesta, Ricardo também relata sua percepção de qual a posição do homem na sociedade atual.

“Ser homem hoje, eu acho que é um desafio. Ser um homem razoável, ser um homem que não está rendido às narrativas totalmente precárias que se consolidaram nos últimos séculos. Espero que seja um desafio abraçado pelo maior número possível de homens. Para que deixe de ser um ser um desafio para nós e para que deixe de ser um desafio para as mulheres, conviverem conosco”.

A psicóloga, pós-graduada em neuropsicologia, Camila Carvalho, 34, atesta como o conceito de masculino e de masculinidade, que fazem parte do senso comum e do imaginário social coletivo, afetam e desafiam os homens. “Críticas sociais e até cobranças culturais referentes à família, filhos, relacionamentos, sexualidade, disfunções sexuais e autoestima são queixas constantes em consultório”. De acordo com ela, as possíveis consequências de toda essa pressão podem incluir até mesmo transtorno de ansiedade.

O caminho para se desvencilhar disso, segundo Camila, é o autoconhecimento. Baseado em sua vivência profissional, Surian parece concordar e assim ressalta mais uma vez o valor do seu trabalho no círculo:

“Eu via que tinha uma falta de repertório muito grande sobre que tipo de homem a gente quer ver mais no mundo. Aí eu comecei com amigos, a pensar um círculo de homens. Eu me senti muito chamado a fazer isso, já trabalho como facilitador de grupos assim há mais de uma década e para mim é um tema do desenvolvimento humano maravilhoso”, diz Surian.

IMG_3389

Ticiano Lima (Foto: Matheus Marques/Agência UVA)

Um dos amigos que começou ao lado dele como apoiador na propostas e ofícios dos círculos foi Ticiano Lima, também 34, e presente no último encontro. Ele conta que seu envolvimento com os eventos nasceu da vontade de encontrar parceiros e amigos que estivessem pensando e problematizando a tão falada “masculinidade tóxica”.

“Faço parte de uma geração que viveu o processo de abandono parental por parte da figura do pai. Como eu faço parte dessa estatística, a presença de outros homens que também discutissem essas relações sempre me foi muito importante”, diz Ticiano.

Ainda nesse espaço de sagrado, para Ticiano, Surian e tantos outros homens, todos se levantam, se abraçam, e o círculo se encerra com uma foto.

No fim, depois de compartilharem juntos de um momento único de encontro com a potência e vulnerabilidade do seu masculino, de frente com suas próprias questões, e ainda envoltos pelos sentimentos aflorados no círculo, todos confraternizam em volta da mesa da ceia organizada colaborativamente.

Em um clima fraterno e descontraído, entre risadas e reflexões, conversam como longos amigos, com escuta e apoio mútuos, deixando repleta de calor a mesma varanda do casarão no Cosme Velho que antes era fria.

IMG_3360

“Solar, Círculo de Homens” junta mensalmente homens interessados em dialogar e trocar experiências. (Foto: Matheus Marques/Agência UVA)

Para saber mais
No Netflix, um documentário também ajuda observar o comportamento histórico dado a meninos e homens, em que se emocionar e chorar, por exemplo, é visto como coisa de mulher: “The mask you live in”. O filme aborda como a ideia do macho dominante afeta psicologicamente crianças, jovens e, no futuro, adultos. “Eu diria que a maior emoção sentida pelos homens americanos é a ansiedade. Por que? Porque você precisa provar sua masculinidade o tempo todo”, diz Michael Kimmel, Professor de Sociologia, e um dos entrevistados do filme.

Criador do site “Papo de Homem” e do documentário “Precisamos falar com os homens?”, que está disponível integralmente no YouTube, Guilherme Nascimento Valadares escreveu outro dia uma série de dicas sobre como círculos masculinos podem e devem ser formados. “O movimento é real. Apenas não está sendo contado na mídia, ainda”, disse ele, em seu texto.

Um grupo de homens, um dos mais antigos do Brasil, se reúne também mensalmente em diversas cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, além das capitais de São Paulo e Rio. É o movimento “Guerreiros do Coração”, que surgiu em 1993, em terras gaúchas, e também tem a proposta de ser um espaço de fortalecimento, para que “homens aprendendo a ser homens, juntos”.

Serviço
Solar, Círculo de Homens
Guerreiros do Coração
Papo de Homem
The Mask You Live In


 

Matheus Marques – 7o período

Número de mortos do desabamento na Muzema sobe para 11

Construções foram construídas pela milícia que controla a área, eram irregulares e já haviam sido interditadas pela Prefeitura

Nesta segunda-feira (15) os bombeiros acharam o corpo de Antônia Sampaio nos escombros do desabamento que ocorreu na sexta-feira (12). As buscas entraram no seu quaro dia nesta manhã e os bombeiros estimaram pelo menos 13 desaparecidos, além dos 11 mortos.

Segundo o G1, o marido de Antônia acompanhava o trabalho dos bombeiros quando estavam retirando o corpo dos escombros e se desesperou ao recohnecer a sua esposa. Também foi encontrado mais um corpo no fim da noite deste domingo (14), dessa vez era o de Maria Abreu. Os vizinhos relataram que ouviram os gritos da vítima sob os escombros no dia da tragédia. O corpo foi identificado pela família.

A comunidade da Muzema é controlada por milicianos, que são os responsáveis pelas construções irregulares. Os edifícios que desabaram não tinham autorização da prefeitura.

centro_de_operacoes_rj

Imagem do desabamento dos prédios. Foto: Divulgação Centro de Operações da Prefeitura do Rio

Segundo nota divulgada  pela prefeitura na sexta-feira (12), as obras, que começaram há dois anos, estavam interditadas e embargadas desde novembro de 2018. A área é de proteção ambiental, onde são permitidas apenas casas. A região também foi muito afetada pelo temporal do início da semana, o que pode ter contribuído para o desabamento. 

LEIA TAMBÉM: Fortes chuvas causam alagamentos e transtornos aos cariocas

centro_de_operacoes_rj2

Bombeiros trabalhando nos escombros de um dos prédios desabado em Muzema, na Zona Oeste do Rio. Foto: Divulgação Centro de Operações da Prefeitura do Rio

O Governador do RJ, Wilson Witzel, usou uma rede social para lamentar a tragédia.

desabamento witzel

Reprodução: Twitter

Já o Deputado Federal, Marcelo Freixo, e o jornalista André Trigueiro ressaltaram a responsabilidade do poder público e atuação das milícias nessa “tragédia anunciada”.

desabamento freixo

Reprodução: Twitter

desabamento andre

Reprodução: Facebook

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) emitiu uma nota sobre o ocorrido:

MPRJ atua contra irregularidades e danos ambientais na área de Muzema

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Tutela Coletiva do Meio Ambiente  e Patrimônio Cultural da Capital,  ajuizou, no último dia 3 de abril, ação civil pública (ACP) contra o Município do Rio de Janeiro, pessoas e empresas participantes do processo de desmatamento e loteamento irregular no condomínio Figueiras do Itanhangá, onde desabaram dois prédios na manhã de sexta-feira (12/04).

“O dever de proteção ambiental foi amplamente violado por todos os réus, que exercem ou exerceram por ação ou omissão em alguma medida a conduta típica de empreendedores e ocupantes do loteamento ilegal. A obrigatoriedade do licenciamento ambiental e urbanístico para o empreendimento visado por eles, e que foi negligenciado, decorre da supremacia do interesse público na proteção do meio ambiente em relação aos interesses privados”, diz a petição inicial que traz fotografias da área e descreve a conduta omissa dos órgãos municipais, que têm ciência inequívoca das irregularidades desde o ano de 2005.

Decisão da 10ª Vara de Fazenda Pública negou, nesta quinta-feira (11/04), os pedidos liminares formulados pelo MPRJ. Dentre os requerimentos negados estão a proibição e suspensão de qualquer movimentação adicional de terra, qualquer supressão vegetal, qualquer obra e construção nova, ou acréscimo às já existentes, demarcação ou intervenção no terreno localizado no interior do condomínio. Em razão dos gravíssimos fatos consumados nesta sexta-feira na área abrangida pela ACP, o MPRJ irá interpor recurso e pedido de reconsideração, com a máxima urgência.

Além dessa ACP, o MPRJ atua em diversos procedimentos relacionados a construções irregulares na comunidade da Muzema, no entorno do condomínio Figueiras:

Recomendação – O Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente (GAEMA/MPRJ), expediu, no dia 27 de dezembro, recomendação ao prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e aos secretários municipais de Urbanismo, Habitação e Meio Ambiente para que o município adote as medidas necessárias para a fiscalização da ocupação e do uso do solo urbano na comunidade do Muzema, no Itanhangá, de acordo com o que estabelecem os artigos 30, inciso VIII, e 182 da Constituição Federal, além da Lei Orgânica e no Plano Diretor Municipal.

A Recomendação determina que sejam efetuadas algumas medidas para a regularização fundiária no local, dentre elas: o levantamento dos ocupantes da área, a remoção/reassentamento para local adequado dos habitantes cadastrados e elegíveis como beneficiários de programas habitacionais de interesse social e a apresentação de programa de recuperação da área degradada.

Atuação de milicianos na área – Quanto à atuação de milicianos em construções irregulares na área, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ) realizou a “Operação Intocáveis” no dia 22/01 para prender 13 integrantes de organização criminosa que atua nas comunidades de Rio das Pedras, Muzema e adjacências. De acordo com a denúncia, as investigações evidenciaram que, entre outras atividades ilegais, os denunciados estavam envolvidos com grilagem, construção, venda e locação ilegais de imóveis.

ACP 0365572-36.2011.8.19.0001 – Ação Civil Pública proposta pela 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Meio Ambiente em face do proprietário do imóvel localizado à Rua Engenheiro Souza Filho, nº. 1.075, Itanhangá, e do Município devido ao parcelamento irregular em Faixa Marginal de Proteção (borda do manguezal da lagoa da Tijuca). Os pedidos foram de demolição das construções em área non aedificandi e regularização fundiária. Foi deferida medida liminar pela 5ª Vara de Fazenda Pública em outubro de 2011 apenas para conter a expansão e a consolidação da ocupação, mas sem que houvesse determinação da demolição da construção irregular ou recomposição do meio ambiente degradado. Ainda não foi proferida sentença.

IC 2017.1120049 – Inquérito Civil instaurado pela 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Meio Ambiente, em novembro de 2017, para investigar a disposição irregular de resíduos sólidos oriundo de construção civil. Os danos ambientais apurados são de desmatamento, soterramento de vegetação e desvio de córrego na Estrada de Jacarepaguá, 1.799, Itanhangá. O inquérito civil foi instaurado a partir de uma informação feita pelo INEA, que está colaborando com as investigações através de realização de vistorias e prestação de informações. O inquérito civil está pendente de diligência junto à Secretaria Municipal de Urbanismo.

Outros inquéritos – As Promotorias de Justiça de Tutela Coletiva da Ordem Urbanística também instauraram inquéritos civis relacionados à comunidade da Muzema e atuam em procedimentos administrativos com o objetivo de acompanhar e fiscalizar as políticas públicas sobre parcelamento, uso e ocupação do solo; urbanização de favelas e AEIS (áreas de especial interesse social), repressão a obras irregulares de expansão horizontal e vertical de agrupamentos subnormais, contenção de encostas e controle de enchentes. Esses procedimentos administrativos têm como proposta a produção de conhecimento e o cruzamento de todos os dados já coletados pelo MP em Mapas (conjunto de ferramentas e plataformas de análise, diagnóstico e georreferenciamento focadas na construção e visualização de conhecimento instrumental para a atividade-fim do MPRJ), ao longo dos últimos anos, produzindo-se relatórios analíticos sobre o diagnóstico dos fenômenos citados acima. O objetivo é a propositura de ações estruturantes com a finalidade de expor ao poder público o planejamento e a execução de programas e ações sobre ordenação do território.

LEIA TAMBÉM: “Raiz do problema das enchentes está no na urbanização carioca”
LEIA TAMBÉM: Falta de planejamento é grande agente das enchentes do Rio


 

 

Matheus Marques – 7 período e Ana Carolina Aguiar – 6° período

Crivella sobre ação da Prefeitura nas chuvas: “Nós falhamos”

Prefeito reconheceu que gestão não planejou ações contra o temporal. Chuva deixou cinco mortos, além de causar diversos danos e problemas aos cariocas

A chuva que deixou cinco mortos no Rio de Janeiro entre a noite de segunda-feira (8) e esta terça-feira (9), segue causando dificuldades na vida dos cariocas. Em pronunciamento à imprensa nesta manhã, o Prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), admitiu que sua gestão falhou na previsão e no controle de danos das chuvas.

“É muito difícil, quando a chuva é forte, como foi nessa noite, que a gente consiga evitar todo esse caos, mas a Prefeitura está atenta, com todas suas equipes na rua reparando. E espero que, de madrugada, a gente consiga fazer com que a cidade volte à normalidade” disse Crivella.

AgenciaBrasil231112_DSA3548

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Foto: EBC)

LEIA TAMBÉM: Fortes chuvas no Rio causam alagamentos e transtornos aos cariocas

De acordo com o Cientista Político e professor da UVA, Guilherme Carvalhido, do ponto de vista prático a atuação da Prefeitura neste episódio não pode ser classificada nem como positiva, nem como negativa, mas sim necessária. “Se analisarmos historicamente a atuação da Prefeitura do Rio é negativa, pois não faz planejamento sobre eventos climáticos na cidade em que sempre aconteceu esse tipo de situação”, diz.

Crivella alegou que equipamentos para a desobstrução da rede pluvial foram encaminhados para os locais onde seriam usados para reparos – apesar disso, ficaram presos no trânsito e por isso não conseguiram chegar as áreas mais críticas mais cedo. Bombeiros trabalham no morro da Babilônia, no Leme, na Zona Sul da cidade, para resgatar o corpo de um homem que foi soterrado por um deslisamento.

LEIA TAMBÉM: Câmara dos Vereadores aprova abertura do impeachment de Crivella

tnrgo_abr_09041914094

Bombeiros trabalhando no resgate de vítima soterramento pelo temporal no RJ (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O temporal também causou um novo desabamento em um trecho da ciclovia Tim Maia. Inaugurada em janeiro de 2016, a estrutura sofreu uma queda pela quarta vez desde então. Crivella atribuiu o fato a “imprevistos”.

Também em seu pronunciamento, o prefeito ainda disse que a Prefeitura estava “atenta” e com vários órgãos em funcionamento para minimizar os efeitos do temporal.

Carvalhido chama a atenção do que deve ser feito para evitar novos danos e perdas como essas em próximos temporais. “De forma imediata, contenção das encostas e liberação do escoamento das águas das chuvas com um novo sistema. Além de construir grandes piscinões em regiões problemáticas como o Jardim Botânico, por exemplo”.

LEIA TAMBÉM: Enchentes fazem parte da história do Rio de Janeiro


Matheus Marques – 7o período