Queimadas na Floresta Amazônica crescem mais de 80% e assustam população

Todos os anos, a Amazônia apresenta focos de incêndio. No entanto, dados do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Inpe) mostravam que em 2019 a quantidade de queimadas bateria número recorde. Recentemente, o Inpe divulgou que o aumento representaria 82% a mais em comparação a 2018. Já se pode observar que, até o mês de agosto, a Amazônia concentra 52,5% das queimadas do país.

Assim como a maior floresta tropical do mundo, o Cerrado e a Mata Atlântica também estão sofrendo com as queimadas. Esses biomas representam 30,1% e 10,9% das queimadas, respectivamente. Esses dados representam um número de 72.843 incêndios; quantidade que o Brasil nunca tinha registrado. Além das áreas de proteção ambiental, territórios indígenas também estão sendo afetados e já representam um número de 68 incêndios.

Para o coordenador do curso de Engenharia ambiental, Cézar Pires, a exploração dos recursos naturais da Amazônia deve ser feita de forma responsável. “Existem várias técnicas sustentáveis modernas que levam em consideração questões sócio ambientais, feitas por empresas eficientes, sob concessão e regulação pública e pagando impostos”, conta o professor.

Os efeitos das queimadas não respeitam as fronteiras. No dia 19 de agosto, São Paulo viu o dia virar noite por volta das 15h. Muitos moradores da maior cidade do Brasil ficaram assustados com o acontecimento, já que nuvens escuras encobriram a metrópole. Meteorologistas afirmaram que este fenômeno isolado ocorreu devido a junção da frente fria com a fumaça das queimadas no Centro-Oeste, que foram trazidas até a região Sudeste.

Além de as fumaças terem atingido São Paulo, países vizinhos como Argentina, Uruguai, Peru e Bolívia também estão recebendo vestígios das queimadas da Amazônia. Os incêndios estão fora de controle e ganhando proporções que já extrapolam os limites brasileiros.

A Agência Espacial Norte Americana (Nasa) divulgou esta semana diversas imagens de satélite nas quais pode ser vista uma camada densa de fumaça sobre os estados de Rondônia e do Amazonas. Segundo a Nasa, a fumaça acinzentada no mapa espalhada por todo o país é resultado das queimadas que atingem a região amazônica desde o fim de julho.

Imagem registrada pelo satélite da Nasa no dia 20 de agosto de 2019 (Foto: Divulgação Oficial)

O Engenheiro ambiental completa que as queimadas podem ser prejudiciais para o Planeta: “Estes incêndios intensificam a emissão de CO2, causando o conhecido efeito estufa e as mudanças climáticas oriundas do aquecimento do planeta”, explica.

Repercussão Mundial

Além do Brasil, as queimadas na Amazônia também ganharam destaque em várias partes do mundo. As hashtags #PrayForAmazonia e PrayForAmazonas tiveram destaques nas mídias. Um dos jornais mais renomados dos Estados Unidos, The Washington Post, disse: “As queimadas na Amazônia podem acelerar o aquecimento global e causar danos permanentes ao berço da biodiversidade”.

O ator de Hollywood, Leonardo DiCaprio, também comentou sobre o que tem acontecido no solo brasileiro: “Aterrorizante pensar que a Amazônia é a maior floresta tropical do planeta e tem pegado fogo e queimado nos últimos 16 dias consecutivos, literalmente, sem cobertura da mídia! Por quê?”, desabafa o ator.

A ativista dos direitos dos animais e da preservação meio ambiente, Luísa Mell, também se revoltou nas redes sociais. No Instagram, ela postou um texto falando do descaso do governo com leis ambientais. “A floresta veio até aqui pedir socorro! Nosso ar está doente. Vamos esperar ficarmos sem água para acordar? É tempo de despertar! A destruição da floresta não começou neste governo. A bancada ruralista manda e desmanda aqui há tempos”, comenta a ativista.

View this post on Instagram

A floresta arde em chamas… ontem o dia virou noite em SP. Aquele céu cinza que nos assustou, era a Amazônia, o Cerrado, o Pantanal… Eram nossas matas pedindo socorro e nos dando, talvez um ultimo aviso. Eram as cinzas de árvores que se foram, de ecossistemas inteiros que estão morrendo. Era um recado para quem acha que Amazônia fica longe da metrópole. Que celebra cada afrouxamento da lei ambiental. Que comemorou o afastamento do Diretor do Inpe, pois o presidente acha que mentir os números pode esconder a verdade. Era um aviso para quem acha que demarcação de terra indígena e unidades de conservação são coisas supérfluas que atrapalham o desenvolvimento. Para vc que aplaudiu nosso presidente desdenhar de 300 milhões do Fundo da Amazônia, qd n temos dinheiro para conter incêndios florestais , nem@fiscais… fica a pergunta: até quando? Vms esperar o q? A floresta veio até aqui pedir socorro! Nosso ar está doente. Vms esperar ficarmos sem água para acordar? É tempo de despertar! A destruição da floresta, não começou neste governo. A bancada ruralista manda e desmanda aqui há tempos. Mas é inegável que com Bolsonaro encontrou seu apogeu. Com Bolsonaro perdeu todos os limites. Há décadas, a ganância, gula e cegueira coletiva transformam a maior floresta tropical do mundo em@pasto para boi e em plantações de soja( usada para engordar os animais). Eu grito há anos, quase que sozinha: a carne que vcs comem, n tem só o sangue e sofrimento dos animais. Tem a destruição da floresta. Sem floresta, chegará o tempo mais sombrio e doloroso da história da humanidade. A carne de hj Tem sangue de toda a humanidade. #govegan Independente de quem votou em quem. Sem ar, sem água, com comida envenenada… sofreremos todos. Petistas, bolsominion, ateus, religiosos, judeus, árabes, cristãos, evangélicos… esta luta tem que ser de todos nós! É urgente! #savetheamazon

A post shared by Luisa mell (@luisamell) on

Tainá Valiati – 7° período

Ed Sheeran lança clipe de ‘Take Me Back to London’ em colaboração com rappers britânicos

O canal oficial do músico Ed Sheeran publicou o videoclipe do remix da música “Take Me Back to London” no Youtube, na manhã desta sexta-feira (23). O remix conta com a participação de Stormzy, Jaykae e Aitch, três artistas de rap do Reino Unido.

No começo do videoclipe, Ed Sheraan pode ser visto dirigindo um carro por um grande campo ao lado de Stormzy. Logo depois, ele aparece se divertindo em uma festa acompanhado de Jayke e Aitch.

O cantor e compositor inglês Ed Sheraan (Foto: Divulgação)

A versão original de “Take Me Back to London” estreou no dia 12 de julho deste ano e, desde então, vem fazendo sucesso considerável pelo mundo inteiro. Além de alcançar o Top 200 da Billboard americana, a faixa também chegou a atingir a terceira colocação no ranking de músicas mais escutadas no Reino Unido.

“Take Me Back to London” faz parte do álbum “No.6 Collaborations Project”, projeto do Ed Sheraan que tem como foco principal a diversificação de gêneros musicais e a colaboração com outros artistas famosos, como Justin Bieber, Bruno Mars, Eminem e 50 Cent.

Até o momento, o videoclipe conta com cerca de 460 mil visualizações, 90 mil likes no Youtube e uma reação positiva por parte do público na seção de comentários. “Eu amo esse remix. Tenho 70 anos, mas nunca é tarde para curtir isso”, diz a usuária do Youtube Joane Bailley.

Quem também gostou muito do resultado foi Hélida Medeiros, aluna de publicidade e fã do Ed Sheraan, há cerca de 7 anos. “Esse projeto de colaborações foi uma forma interessante que ele encontrou para diversificar o seu trabalho na música”, conta a estudante.

Veja o clipe de Take Me Back to London:

Rhuan Bastos – 6° período

Passageiro é baleado durante assalto a ônibus na Dutra

Um passageiro foi baleado durante um assalto a ônibus, na noite da última quinta-feira (22), na Rodovia Presidente Dutra, perto do bairro Jardim Roma, em Nova Iguaçu. A vítima, Thiago Martins, de 31 anos, ao entregar seu celular, deixou o aparelho cair, o que fez com que um dos bandidos disparasse contra o seu peito.

Segundo informações do 20° BPM (Mesquista), testemunhas disseram que dois bandidos iniciaram o assalto e começaram a recolher os pertences dos passageiros. O crime aconteceu em um ônibus da Viação Linave, que faz o trajeto entre Nova Iguaçu e Queimados.

Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde Thiago passou por cirurgia. (Foto: Facebook/Hospital Geral de Nova Iguaçu)

Após o disparo, os criminosos fugiram e o motorista do ônibus levou Thiago para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. A vítima foi submetida a uma cirurgia que durou mais de cinco horas e um rim teve que ser removido. Thiago segue internado no CTI.

Queli Rosa da Silva, moradora do Tinguá, conta que, embora nunca tenha sido assaltada, teme pela sua segurança ao passar pela Dutra para ir trabalhar. “Graças a Deus, nunca aconteceu nada comigo, mas o trajeto que faço para ir trabalhar passando pela Dutra é perigoso e a falta de policiamento no local contribui bastante para isso”, falou a moradora.

Em nota, a Secretaria de Polícia Militar informou que, na noite da última quinta (22), o 20° BPM foi acionado para verificar a entrada de uma pessoa ferida por um disparo de arma no Hospital Geral de Nova Iguaçu. Segundo informações dos policiais, trata-se de uma vítima baleada em um coletivo.

A Polícia Civil também informou que, segundo a 58ª DP, o crime foi registrado e as providências iniciais, como solicitação de imagens e busca de testemunhas, já foram realizadas. A 56ª DP seguirá com as investigações.

Breno Silva – 7º período

Protestos contra queimadas na Amazônia tomam conta das embaixadas brasileiras

O dia começou com protestos. Manifestantes se concentraram em cidades europeias como Londres, Berlim, Paris, Berna, Dublin e Luxemburgo, além de Mumbai, na índia. Os integrantes do protesto exigiam soluções para os problemas da Amazônia. Alguns manifestantes estavam caracterizados de indígenas e realizaram críticas ao governo brasileiro e ao presidente Jair Bolsonaro.

Manifestantes reunidos na embaixada de Londres. (Foto: Reprodução/Twitter)

A Amazônia vive um momento caótico. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), as queimada na região aumentaram 82% de Janeiro a Agosto de 2019. A situação já preocupa os governantes de outros países, como França e Irlanda.

O professor Universitário André Micaldas Correa, que leciona Biologia, explica o temor internacional: “Os outros países estão preocupados com as condições climáticas. As queimadas na floresta podem acelerar bastante as mudanças climáticas, que já são perceptíveis. Este ano já ocorreram três grandes chuvas”, lembra o professor.

Para o biólogo, outras complicações ainda podem aparecer. Segundo ele, países podem boicotar produtos brasileiros que vêm da Região Amazônica e têm relação com a destruição da floresta, como o gado e a soja. “Também podem ocorrer boicotes aos produtos brasileiros de forma geral, já que o Brasil não está respeitando a floresta”, afirma.

Além disso, André conta por que, no Brasil, a região Sudeste pode ser a mais afetada:

“A água que evapora da Amazônia é empurrada pelo vento, bate nos Andes e desce até a região Sudeste. Em toda a latitude do Globo Terrestre, na altura do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São paulo, se encontram desertos. Na África e na Ásia há desertos. O único lugar onde há florestas e chuvas é a Região Sudeste, por causa da Cordilheira do Andes e da Amazônia. Se a floresta Amazônica acabar não descerá mais umidade para a região e haverá problemas para o abastecimento de água”, explica o professor.

Gabriel Murillo Monteiro – 7° período

Museu de Arte do Rio reinaugura Biblioteca e Centro de Documentação

A Biblioteca do Museu de Arte do Rio (MAR) retoma suas atividades mostrando aos visitantes um novo ambiente de exposições: o “Espaço Orelha”, que será inaugurado com a primeira mostra individual do artista Mulambö: “Mulambö – Tudo Nosso”.

Biblioteca do Museu de Arte do Rio. (Foto: Divulgação)

O trabalho do artista Mulambö busca valorizar símbolos da periferia do Rio de Janeiro, aproximando sua arte da vida de pessoas que, assim como ele, cresceram longe dos grandes centros. Suas obras são compostas por desenhos e pinturas feitos em diferentes suportes, como papel, papelão, prancha de surfe, bandeira, entre outros.

Obra do artista Mulambö – Série Armas. (Foto: Divulgação)

Além da exposição principal, o evento vai contar com uma feira de publicações independentes e artes gráficas, lançamento de livro, oficina de origami para crianças, oficina de livros de artista e encadernação artística para adultos e adolescentes, sarau e DJ.

Confira a lista de atividades:

  • 10h às 12h: Lançamento do livro Menino Movimento, de Sandra Santos e Denise Calasans e oficina de criação com Maria Rita Valentim e David Benaion. Esta é destinada às crianças de 6 a 9 anos, que poderão experimentar a dobradura para fazer com que o papel tome a forma de alguns animais. As vagas são limitadas e podem ser feitas aqui.
  • 14h às 16h: Oficina Mulamba de Livro de Artista, com André Vargas e Priscilla Souza. Esta oficina será um diálogo com a estética e a ética do trabalho do artista Mulambö. As vagas são limitadas e a faixa etária é a partir dos 14 anos. Para se inscrever, basta clicar no link.
  • 15h às 18h: Oficina de Encadernação artística, com Lia Furtado, da Alavanca, e participação de Cássia de Mattos. Os participantes irão conhecer os materiais e os kits de encadernação feitos artesanalmente pela Alavanca.
  • 10h às 18h: Feira Cardume – Publicações Independentes e Artes Gráficas no MAR. A feira reunirá cerca de 25 expositores que apresentarão ao público, para comercialização, obras gráficas, posters, publicações independentes, cadernos e livros de artista.
  • 14h às 18h: Música Negra Universal – sets musicais com o DJ Marcello MBGroove (Coletivo Vinil é arte). O DJ traz para a programação a mistura de estilos e estéticas sonoras que, ao mesmo tempo, apresentam e homenageiam a produção musical de matriz negra.

Agora, a Biblioteca tem uma nova vocação. Com função multiuso, ela contempla espaços para leitura, pesquisa, exposição e mediação cultural. O evento de inauguração acontece no próximo sábado (24), das 10h às 18h. A entrada é franca.

Thatiana Cordeiro – 6º período

Cinderela Rock: um conto de fadas repaginado

O musical Cinderela Rock estreou no último sábado, (17), no Teatro XP Investimentos, trazendo uma visão moderna do clássico conto de fadas. Com texto e direção de Fred Trotta, o espetáculo utiliza uma banda de rock ao vivo .

Cinderela Rock apresenta uma versão moderna do clássico conto de fadas. (Foto: Reprodução/Marcelo Vallin)

“Nós fazemos esse espetáculo já há alguns anos, só que é a primeira vez que fazemos com banda ao vivo. Cantávamos em cima de um play-back, de um arranjo gravado”, declara o diretor.

O Musical está em cartaz no Teatro XP Investimentos. (Foto: Reprodução/Marcelo Vallin)

O musical inova ao utilizar canções do clássico desenho animado de Cinderela, no estilo Rock ‘n’ Roll. “Como as músicas tem uma pegada rock ‘n’ roll, nós trouxemos isso para o título e conceito do espetáculo. Aterrizou uma banda de Rock no meio do conto da Cinderela e acabou sendo um casamento bem feliz”, diz o diretor.

A banda é composta pelo bateirista Jhanio do Camo, o baixista Airton e o guitarrista Ayrton Chagas. Um dos destaques do espetáculo são as crianças. Mesmo tão jovens, esbanjam talento.

As crianças do espetáculo! (Foto: Reprodução/Marcelo Vallin)

Rebeca Pieroni, de oito anos, que interpreta a pequena Cinderela, declara sua paixão pelas artes cênicas. “Você pode ser quem quiser no teatro. Você pode se soltar. Ninguém está te segurando, lá você está livre”, comenta a menina.

Rebeca Pieroni, de oito anos, interpreta a pequena Cinderela. (Foto: Reprodução/Marcelo Vallin)

Sofia Vallin, de doze anos, que interpreta o ratinho Tatá, também sente uma imensa alegria em participar de Cinderela Rock. “Você fica feliz e nervosa ao mesmo tempo. Você fica com tudo, fome, quer ir ao banheiro, quer fazer tudo. É muita emoção para uma pessoa só”, conta a menina.

Sofia Vallin, de doze anos, se diverte ao participar do musical. (Foto: Reprodução/Marcelo Vallin)

O musical Cinderela Rock está em cartaz no Teatro XP Investimentos, no Leblon, aos sábados e domingos, às 16h.

Gabriel Murillo Monteiro – 7º período

UVA promove segunda edição do Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação

Em todo o mundo, a evolução da tecnologia e as mudanças no contexto social afetam e modificam a forma de pensar e fazer comunicação. Assim, o cenário desse campo de estudo vive um momento de constante e intensa transformação, situação que foi amplamente abordada durante todo o evento.

À mesa, durante o primeiro dia do Fórum, estão: Elisa Larrate, a Drª Jacqueline Pinheiro e o Dr Fabro Boaz Steibel (Foto: Bruno De Blasi/Agência UVA)

É dentro desse contexto, com o intuito de analisar e debater as questões modernas que compõem o tema, que a Universidade Veiga de Almeida iniciou, na última terça-feira (20), a segunda edição do Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação, realizado no Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF), no centro do Rio.

A Oficial da ONU-HABITAT no Brasil, Elisa Larrate, durante apresentação no Fórum (Foto: Bruno De Blasi/Agência UVA)

No primeiro dia do fórum, a oficial da ONU-HABITAT no Brasil, Elisa Larrate, palestrou sobre o tema: “As agendas globais e a importância do consumo”. Nesse sentido, ela falou sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável e outras causas da ONU. Elisa também abordou as dificuldades em alcançar e mobilizar a sociedade de maneira geral sobre esses temas, além de revelar os instrumentos e táticas que eles têm utilizado para conseguir aumentar o engajamento em torno disso.

O Dr Fabro Boaz Steibel em sua palestra no primeiro dia do Fórum (Foto: Bruno De Blasi / Agência UVA)

Já o colega de mesa de Elisa, o Pós Doutor Fabro Boaz Steibel, tratou de inovação. Ele, que fez o pós doutorado na China, analisou todo o contexto de moedas digitais e inovações tecnológicas no país asiático. Fabro também salientou que há, por lá, uma cultura de pagamento de produtos e serviços pelo celular, e não em dinheiro ou cartão, o que conflui com a evolução dos aplicativos que utilizam esse método.

O auditório do CCJF recebeu a mostra de curtas que aconteceu no encerramento do primeiro dia de Fórum (Foto: Bruno De Blasi / Agência UVA)

O primeiro dia de Fórum se encerrou com a apresentação da mostra de curtas, no auditório do CCJF. O Fórum contou também com um segundo dia de discussão, na quarta feira (21), com outros debates e análises sobre a conjuntura atual e o futuro do mercado da Comunicação.

Matheus Marques – 8° período

Oswaldo de Oliveira é o novo técnico do Fluminense

O novo técnico do Fluminense se chama: Oswaldo de Oliveira. O treinador de 68 anos chega às Laranjeiras pela terceira vez e substitui Fernando Diniz, demitido na última segunda-feira (19) em razão da má campanha no Campeonato Brasileiro. A apresentação do novo comandante será na próxima segunda (26). O contrato é por tempo indeterminado.

Apesar do anúncio, o novo treinador não estará no comando da equipe na decisão desta quinta-feira (22), fora de casa, contra o Corinthians, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Ele viajará com o time, mas quem ficará na beira do gramado será Marcão, auxiliar técnico, que foi jogador de Oswaldo pelo Tricolor.

Oswaldo vem de passagem pelo futebol japonês. (Foto: Reprodução/Koki Nagahama-Gekisaka)

Oswaldo volta ao Fluminense junto de outros dois profissionais: os auxiliares Luiz Alberto da Silva e Sidney Morais. Segundo o GloboEsporte.com, o acerto aconteceu após conversas com o presidente Mário Bittencourt, o vice Celso Barros e o diretor de futebol Paulo Angioni.

Passagens do técnico no Fluminense:

O treinador comandou o clube em 2001, quando foi semifinalista do Brasileirão, e em 2006, quando teve passagem encerrada após polêmica com Celso Barros, à época, presidente da Unimed/Rio. Na ocasião, o treinador acusou o hoje vice-presidente pela demissão por tentar influenciar na escalação do time.

Trabalhos marcantes na carreira:

Seus resultados mais expressivos foram no início da carreira. Oswaldo começou em 1999 no Corinthians, ao suceder Vanderlei Luxemburgo, chamado pela Seleção. Pelo clube paulista, foi campeão estadual, brasileiro e mundial. Em 2000, levou o Vasco às finais da Copa João Havelange e da Copa Mercosul, mas foi demitido após desentendimento com Eurico Miranda.

Guilherme Parreira, que é administrador da página Opinião Verde Grená, acredita que a contratação de Oswaldo de Oliveira seja um retrocesso, ainda mais se tratando de uma troca com o Diniz, mesmo ele apoiando a sua saída.

“Tínhamos outros nomes no mercado como primeira opção, mas que rejeitaram o Flu e isso fez a diretoria recorrer ao Oswaldo, que é experiente e barato ao mesmo tempo. Mas sem dúvidas não foi uma decisão acertada. No mais, pode dar certo. Só nos resta torcer”, comenta.

Para Matheus Emanuel, da Rádio Tupi , a contratação é arriscada, apesar de Oswaldo possuir grandes títulos na sua trajetória.

“Ele não faz um grande trabalho há tempos. Foi mal nos últimos três clubes que trabalhou aqui no Brasil. A escassez de bons nomes no mercado é grande e a escolha por Oswaldo de Oliveira reflete isso”. conta.

Luhan Alves- 6º Período

Brasileiro aparece entre os dez indicados ao Prêmio Puskás

A Fifa divulgou a lista dos dez indicados ao prêmio Puskás, oferecido ao autor do gol mais bonito do ano. O brasileiro Matheus Cunha, atacante de 20 anos do Red Bull Leipzig, da Alemanha, está entre os selecionados. Ele disputa, por exemplo, contra Lionel Messi, do Barcelona, e Ibrahimovic, do Los Angeles Galaxy.

O gol do paraibano Matheus Cunha, que iniciou sua carreira profissional no Sion, da Suíça, e defende as seleções de base do Brasil, entrou na disputa pelo golaço por cobertura anotado pelo Leipzig contra o Bayer Leverkusen, no dia 6 de abril deste ano, pelo Campeonato Alemão. Aos 38 minutos do segundo tempo, o atacante recebeu na esquerda da área, girou para cima de Wendell (outro brasileiro) e tocou de cavadinha sobre o goleiro Hradecky.

Clique aqui para ver o gol do brasileiro:

Matheus Cunha vai tentar conquistar o terceiro Puskás de jogadores brasileiros. Em 2011, Neymar foi o vencedor com o gol marcado pelo Santos diante do Flamengo, e em 2015, Wendell Lira faturou o troféu atuando pelo Goianésia. O prêmio, batizado em homenagem ao lendário jogador húngaro Ferenc Puskás, que morreu em 2006, foi criado pela Fifa em 2009.

Golaço de Matheus Cunha, do RB Leipzig, concorre ao Prêmio Puskás. (Foto: Reprodução/Twitter)

Já Lionel Messi, entrou na disputa por conta do seu terceiro gol na goleada de 4×1 do Barcelona sobre o Betis em março deste ano, pelo Campeonato Espanhol. Da entrada da área, o argentino deu um toque de cobertura sobre o goleiro para consagrar sua grande atuação. Não à toa, foi aplaudido de pé pela torcida adversária na ocasião.

Terceiro gol de Messi, do Barcelona, na goleada sobre o Betis também concorre ao Puskás. (Foto: Reprodução/Aitor Alcalde-Getty Images)

Clique aqui para ver o gol de Messi:

A lista também conta com Ibrahimovic e seu golaço no estilo “taekwondo” na derrota da sua equipe, o LA Galaxy, por 5 a 3 para o Toronto, em setembro do ano passado, pela Major League Soccer. Foi o gol de número 500 na carreira do atacante sueco.

Zlatan Ibrahimovic em ação pelo Los Angeles Galaxy. (Foto: Divulgação/Kirby Lee-USA TODAY Sports)

Clique aqui para ver o gol do sueco:

O estudante de jornalismo, Dorval de Lima, destaca a importância para o futebol brasileiro, de ter um jogador do país indicado para o Prêmio Puskás.

” Acho super importante, pois, dá ainda mais visibilidade ao nosso futebol. Apesar do Puskás não ser um prêmio tão importante como o de melhor jogador do mundo”, afirma.

A competição foi criada em 20 de Outubro de 2009, pelo então presidente Joseph Blatter, a fim de premiar o jogador que marcou o gol mais bonito do ano. Na visão do estudante de administração, Léo de Melo, a premiação pode atrair os olhares para muitos jogadores.

“Acho a premiação válida. Evidente que os prêmios “principais” sempre serão os mais visados pela imprensa esportiva e pelos fãs, mas a criação desse prêmio às vezes pode dar a oportunidade para que jogadores sem tanta visibilidade sejam mais conhecidos em todo mundo”, comenta.

Dorval relembra o caso do ex-atacante Wendel Lira, vencedor do Prêmio Puskás de 2015: “Lembro muito bem do apelo que foi no ano em que o Wendel Lira foi campeão. A mobilização nas redes sociais foi gigante em prol do voto para o atacante. A emoção dele ao ver que ganhou, por estar em uma premiação com Cristiano Ronaldo, Messi e outros craques. Foi lindo de se ver. Ele ainda deu show de humildade”, conta.

Opinião dos entrevistados de quem deve vencer esse ano:

Dorval de Lima: ” Esse ano temos o gol do Matheus Cunha que foi lindo. Deu um 360 no zagueiro e encobriu o goleiro na saída dele. Mas eu sou fã de gol de centroavante. Por isso, não tem como não votar no sueco Ibrahimovic. Aquela bola que vem e ele tira um giro acrobático deixando o goleiro sem reação dentro do gol. Maravilhoso de se ver”.

Léo de Melo: “Difícil decisão, mas fico com o gol do atacante Fabio Quagliarella”.

Os 10 gols foram escolhidos por especialistas da Fifa e respeitaram o período entre 16 de julho de 2018 e 19 de julho de 2019. A votação que vai eleger os três finalistas é popular e estará aberta ao público até o dia 1° de setembro. Basta entrar no site da Fifa e votar.

Veja a lista dos concorrentes:

MATHEUS CUNHA: (Brasileiro), RB Leipzig – 6 de abril de 2019, contra o Bayer Leverkusen

ZLATAN IBRAHIMOVIC: (Sueco), LA Galaxy – 15 de setembro de 2018, contra o Toronto FC

LIONEL MESSI: (Argentino), Barcelona – 17 de março de 2019, contra o Betis

AJARA NCHOUT: (Camaronesa), Camarões – 20 de junho de 2019, contra a Nova Zelândia

FABIO QUAGLIARELLA: (Italiano), Sampdoria – 2 de setembro de 2018, contra o Napoli

JUAN FERNANDO QUINTERO: (Colombiano), River Plate – 10 de fevereiro de 2019, contra o Racing

AMY RODRIGUEZ: (Norte-americana), Utah Royals – 16 de junho de 2019, contra o Sky Blue FC

BILLIE SIMPSON: (Irlandesa), Cliftonville Ladies – 9 de agosto de 2018, contra o Sion Swifts Ladies

ANDROS TOWNSEND: (Inglês), Crystal Palace – 22 de dezembro de 2018, contra o Manchester City

DÁNIEL ZSÓRI : (Húngaro), Debrecen – 16 de fevereiro de 2019, contra o Ferencváros TC

Gols de todos os indicados:

Luhan Alves- 6º Período

Ônibus é sequestrado na Ponte Rio-Niterói na manhã da última terça-feira (20)

O sequestro de um ônibus paralisou o trânsito na Ponte Rio-Niterói na manhã da terça-feira (20). 39 pessoas foram mantidas como reféns por um homem de 20 anos, identificado como William Augusto da Silva.

O criminoso embarcou normalmente às 5h10 no ponto final da viação Galo Branco, no bairro de Alcântara, em São Gonçalo. Antes das 6h, quando o coletivo já estava atravessando a ponte no sentido Rio, o indivíduo teria mandado o motorista parar o veículo e anunciou o sequestro. O criminoso ameaçava colocar fogo no ônibus e, além das garrafas pet com combustível, ele portava um revólver de brinquedo, uma faca e uma arma de choque. 

A Polícia Federal Rodoviária foi acionada às 5h40. Posteriormente, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) chegou ao local por volta das 6h50, para auxiliar na negociação com o sequestrador. Até às 8h30, 6 vítimas tinham sido liberadas, uma delas passou mal e desmaiou em seguida. 

População presa no trânsito parado acompanha a ação dos policiais. (Foto: Reprodução/ Fabiano Rocha – Agência O Globo)

Em um dos momentos em que saiu do veículo, aproximadamente às 9h, o criminoso foi baleado e morto por disparos do atirador de elite do BOPE, que estava posicionado estrategicamente no local. A primeira análise da perícia indicou que foram 6 perfurações, que causaram ferimentos no antebraço direito, no braço esquerdo, na perna esquerda e no tórax do sequestrador.

Atirador de elite do BOPE. (Foto: Reprodução/Gabriel de Paiva-Agência O Globo)

Apesar de alguns reféns terem sido amarrados, as 39 pessoas saíram sem ferimentos, de acordo com a Polícia Militar. As 39 vítimas, incluindo o motorista prestaram depoimentos na Delegacia de Homicídios de Niterói, por volta de 13h30. Já o criminoso, ainda foi levado para o Hospital Souza Aguiar, onde chegou com parada cardiorrespiratória, mas em seguida a equipe médica confirmou o óbito. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal. 

Ainda não se sabe a verdadeira motivação do sequestrador. Até então, a investigação indica que ele apresentava um quadro depressivo. As vítimas afirmaram que o homem parecia desorientado. 

Além do clima de tensão, o sequestro provocou um congestionamento que se estendeu por cerca de 114 km. Por mais que uma reversível tenha sido montada na ponte, os reflexos no trânsito foram sentidos pela população. Foi o caso da universitária Stefanie Oliveira, que soube do acontecimento por meio de um aplicativo de mensagens, quando já estava a caminho da Rio – Niterói.

“Fiquei presa no trânsito indo para o Rio. Saí de casa sem ligar a TV, me mandaram mensagem em um grupo do WhatsApp avisando sobre o sequestro. Perguntei para o motorista se ele estava sabendo, ele confirmou e disse que tinha que continuar. Então, desci do ônibus e voltei para casa”, explica.

Quem também teve sua rotina afetada foi a estudante de Jornalismo Alexia Zveiter, que se atrasou cerca de uma hora e precisou fazer uma rota alternativa.

“Eu saí de casa por volta das 7h, com o intuito de pegar a ponte. Eu entrei no carro com os meus pais e ouvimos no rádio o que estava acontecendo. Escolhemos pegar o catamarã em São Francisco e foi como eu consegui chegar”, conta a jovem que estava a caminho da aula. 

As barcas ficaram com o fluxo mais intenso do que o comum. Segundo, a CCR Barcas, a movimentação aumentou aproximadamente 70%. Mas não foi só em relação ao tráfego que os cidadãos fluminenses foram prejudicados. A realidade violenta do Estado do Rio de Janeiro já não é algo novo. A situação ocorrida na última terça-feira (20) é semelhante ao crime do ônibus 174, que aconteceu em junho de 2000, no bairro do Jardim Botânico, na Zona Sul carioca. Quase 20 anos depois, fica evidente que a sociedade permanece lidando com o perigo nas ruas do estado.

Júlia Reis – 6º período