Oswaldo de Oliveira é o novo técnico do Fluminense

O novo técnico do Fluminense se chama: Oswaldo de Oliveira. O treinador de 68 anos chega às Laranjeiras pela terceira vez e substitui Fernando Diniz, demitido na última segunda-feira (19) em razão da má campanha no Campeonato Brasileiro. A apresentação do novo comandante será na próxima segunda (26). O contrato é por tempo indeterminado.

Apesar do anúncio, o novo treinador não estará no comando da equipe na decisão desta quinta-feira (22), fora de casa, contra o Corinthians, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Ele viajará com o time, mas quem ficará na beira do gramado será Marcão, auxiliar técnico, que foi jogador de Oswaldo pelo Tricolor.

Oswaldo vem de passagem pelo futebol japonês. (Foto: Reprodução/Koki Nagahama-Gekisaka)

Oswaldo volta ao Fluminense junto de outros dois profissionais: os auxiliares Luiz Alberto da Silva e Sidney Morais. Segundo o GloboEsporte.com, o acerto aconteceu após conversas com o presidente Mário Bittencourt, o vice Celso Barros e o diretor de futebol Paulo Angioni.

Passagens do técnico no Fluminense:

O treinador comandou o clube em 2001, quando foi semifinalista do Brasileirão, e em 2006, quando teve passagem encerrada após polêmica com Celso Barros, à época, presidente da Unimed/Rio. Na ocasião, o treinador acusou o hoje vice-presidente pela demissão por tentar influenciar na escalação do time.

Trabalhos marcantes na carreira:

Seus resultados mais expressivos foram no início da carreira. Oswaldo começou em 1999 no Corinthians, ao suceder Vanderlei Luxemburgo, chamado pela Seleção. Pelo clube paulista, foi campeão estadual, brasileiro e mundial. Em 2000, levou o Vasco às finais da Copa João Havelange e da Copa Mercosul, mas foi demitido após desentendimento com Eurico Miranda.

Guilherme Parreira, que é administrador da página Opinião Verde Grená, acredita que a contratação de Oswaldo de Oliveira seja um retrocesso, ainda mais se tratando de uma troca com o Diniz, mesmo ele apoiando a sua saída.

“Tínhamos outros nomes no mercado como primeira opção, mas que rejeitaram o Flu e isso fez a diretoria recorrer ao Oswaldo, que é experiente e barato ao mesmo tempo. Mas sem dúvidas não foi uma decisão acertada. No mais, pode dar certo. Só nos resta torcer”, comenta.

Para Matheus Emanuel, da Rádio Tupi , a contratação é arriscada, apesar de Oswaldo possuir grandes títulos na sua trajetória.

“Ele não faz um grande trabalho há tempos. Foi mal nos últimos três clubes que trabalhou aqui no Brasil. A escassez de bons nomes no mercado é grande e a escolha por Oswaldo de Oliveira reflete isso”. conta.

Luhan Alves- 6º Período

Brasileiro aparece entre os dez indicados ao Prêmio Puskás

A Fifa divulgou a lista dos dez indicados ao prêmio Puskás, oferecido ao autor do gol mais bonito do ano. O brasileiro Matheus Cunha, atacante de 20 anos do Red Bull Leipzig, da Alemanha, está entre os selecionados. Ele disputa, por exemplo, contra Lionel Messi, do Barcelona, e Ibrahimovic, do Los Angeles Galaxy.

O gol do paraibano Matheus Cunha, que iniciou sua carreira profissional no Sion, da Suíça, e defende as seleções de base do Brasil, entrou na disputa pelo golaço por cobertura anotado pelo Leipzig contra o Bayer Leverkusen, no dia 6 de abril deste ano, pelo Campeonato Alemão. Aos 38 minutos do segundo tempo, o atacante recebeu na esquerda da área, girou para cima de Wendell (outro brasileiro) e tocou de cavadinha sobre o goleiro Hradecky.

Clique aqui para ver o gol do brasileiro:

Matheus Cunha vai tentar conquistar o terceiro Puskás de jogadores brasileiros. Em 2011, Neymar foi o vencedor com o gol marcado pelo Santos diante do Flamengo, e em 2015, Wendell Lira faturou o troféu atuando pelo Goianésia. O prêmio, batizado em homenagem ao lendário jogador húngaro Ferenc Puskás, que morreu em 2006, foi criado pela Fifa em 2009.

Golaço de Matheus Cunha, do RB Leipzig, concorre ao Prêmio Puskás. (Foto: Reprodução/Twitter)

Já Lionel Messi, entrou na disputa por conta do seu terceiro gol na goleada de 4×1 do Barcelona sobre o Betis em março deste ano, pelo Campeonato Espanhol. Da entrada da área, o argentino deu um toque de cobertura sobre o goleiro para consagrar sua grande atuação. Não à toa, foi aplaudido de pé pela torcida adversária na ocasião.

Terceiro gol de Messi, do Barcelona, na goleada sobre o Betis também concorre ao Puskás. (Foto: Reprodução/Aitor Alcalde-Getty Images)

Clique aqui para ver o gol de Messi:

A lista também conta com Ibrahimovic e seu golaço no estilo “taekwondo” na derrota da sua equipe, o LA Galaxy, por 5 a 3 para o Toronto, em setembro do ano passado, pela Major League Soccer. Foi o gol de número 500 na carreira do atacante sueco.

Zlatan Ibrahimovic em ação pelo Los Angeles Galaxy. (Foto: Divulgação/Kirby Lee-USA TODAY Sports)

Clique aqui para ver o gol do sueco:

O estudante de jornalismo, Dorval de Lima, destaca a importância para o futebol brasileiro, de ter um jogador do país indicado para o Prêmio Puskás.

” Acho super importante, pois, dá ainda mais visibilidade ao nosso futebol. Apesar do Puskás não ser um prêmio tão importante como o de melhor jogador do mundo”, afirma.

A competição foi criada em 20 de Outubro de 2009, pelo então presidente Joseph Blatter, a fim de premiar o jogador que marcou o gol mais bonito do ano. Na visão do estudante de administração, Léo de Melo, a premiação pode atrair os olhares para muitos jogadores.

“Acho a premiação válida. Evidente que os prêmios “principais” sempre serão os mais visados pela imprensa esportiva e pelos fãs, mas a criação desse prêmio às vezes pode dar a oportunidade para que jogadores sem tanta visibilidade sejam mais conhecidos em todo mundo”, comenta.

Dorval relembra o caso do ex-atacante Wendel Lira, vencedor do Prêmio Puskás de 2015: “Lembro muito bem do apelo que foi no ano em que o Wendel Lira foi campeão. A mobilização nas redes sociais foi gigante em prol do voto para o atacante. A emoção dele ao ver que ganhou, por estar em uma premiação com Cristiano Ronaldo, Messi e outros craques. Foi lindo de se ver. Ele ainda deu show de humildade”, conta.

Opinião dos entrevistados de quem deve vencer esse ano:

Dorval de Lima: ” Esse ano temos o gol do Matheus Cunha que foi lindo. Deu um 360 no zagueiro e encobriu o goleiro na saída dele. Mas eu sou fã de gol de centroavante. Por isso, não tem como não votar no sueco Ibrahimovic. Aquela bola que vem e ele tira um giro acrobático deixando o goleiro sem reação dentro do gol. Maravilhoso de se ver”.

Léo de Melo: “Difícil decisão, mas fico com o gol do atacante Fabio Quagliarella”.

Os 10 gols foram escolhidos por especialistas da Fifa e respeitaram o período entre 16 de julho de 2018 e 19 de julho de 2019. A votação que vai eleger os três finalistas é popular e estará aberta ao público até o dia 1° de setembro. Basta entrar no site da Fifa e votar.

Veja a lista dos concorrentes:

MATHEUS CUNHA: (Brasileiro), RB Leipzig – 6 de abril de 2019, contra o Bayer Leverkusen

ZLATAN IBRAHIMOVIC: (Sueco), LA Galaxy – 15 de setembro de 2018, contra o Toronto FC

LIONEL MESSI: (Argentino), Barcelona – 17 de março de 2019, contra o Betis

AJARA NCHOUT: (Camaronesa), Camarões – 20 de junho de 2019, contra a Nova Zelândia

FABIO QUAGLIARELLA: (Italiano), Sampdoria – 2 de setembro de 2018, contra o Napoli

JUAN FERNANDO QUINTERO: (Colombiano), River Plate – 10 de fevereiro de 2019, contra o Racing

AMY RODRIGUEZ: (Norte-americana), Utah Royals – 16 de junho de 2019, contra o Sky Blue FC

BILLIE SIMPSON: (Irlandesa), Cliftonville Ladies – 9 de agosto de 2018, contra o Sion Swifts Ladies

ANDROS TOWNSEND: (Inglês), Crystal Palace – 22 de dezembro de 2018, contra o Manchester City

DÁNIEL ZSÓRI : (Húngaro), Debrecen – 16 de fevereiro de 2019, contra o Ferencváros TC

Gols de todos os indicados:

Luhan Alves- 6º Período

UVA promove 2° Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação

A Universidade Veiga Almeida vai realizar o 2° Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação, nos dias 20 e 21 de agosto, no Centro Cultural da Justiça Federal, no centro do Rio. As inscrições são gratuitas e as palestras valem certificados de hora de atividade complementar.

O Fórum pretende abordar a comunicação a partir de diferentes vieses, que são complementares. De um lado, como instrumento técnico, com função política e social e, de outro, como produto da indústria criativa, cuja inovação se faz necessária a cada minuto. O evento terá temáticas que vão de “Comunicação, tecnologia e inteligência artificial” até “Comunicação integrada e cidade”, por exemplo.

Universidade Veiga de Almeida promove evento no Centro Cultural da Justiça Federal. (Foto: Reprodução/Twitter)

A Doutora em comunicação e professora da Universidade Veiga de Almeida, Vânia Fortuna, aponta a importância do Fórum para a instituição, que é uma das formas de divulgação do mestrado profissional que a Veiga irá oferecer em comunicação. “Teremos mesas diferentes com diversos temas, mas que dialogam entre si, para a gente viver uma cidade altamente tecnológica, criativa e inovadora”, conta a professora.

O Coordenador de jornalismo da Universidade Veiga de Almeida, Luís Carlos Bittencourt, acredita que os alunos de Jornalismo, Publicidade e outras áreas da Comunicação irão tirar um ótimo proveito do evento.

“A comunicação, nos seus diversos meios e funções, está cada vez mais presente na sociedade. Deixou de ser apenas um meio de difusão de informações. Assumiu funções estratégicas importantíssimas que contribuem para o bem estar social. O Fórum vem mostrar algumas áreas de intervenção da Comunicação, como o audiovisual, o ambiente urbano, a tecnologia, entre outras. E levanta algumas questões como: onde e de que forma inovar na área”, comenta o coordenador.

A professora Vânia, também acredita na importância do Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação, não apenas como contribuição para a área, mas também para os alunos da Veiga de Almeida. “O evento será importante para o aluno entender que está inserido em uma universidade que prioriza pesquisa acadêmica e científicas, seminários e ações que vão dar a ele informações dos assuntos que estão sendo bastante discutidos na área de comunicação”, garante.

OBJETIVOS DO EVENTO

* Discutir a comunicação nos seus aspectos técnicos e políticos.

* Analisar a inovação como parte fundamental da comunicação em seus diferentes aspectos.

* Refletir sobre a importância da economia criativa para as cidades.

As inscrições devem ser feitas aqui

Luhan Alves – 6° Período

“O rei leão” continua no topo das maiores bilheterias no Brasil

A live-action de “O rei leão” tem feito sucesso nas bilheterias brasileiras. O remake do clássico da Disney ficou no topo do ranking de ingressos vendidos do país pela quarta semana seguida. O filme arrecadou R$ 13,8 milhões com mais de 780 mil bilhetes comercializados entre a última quinta-feira (8) e este domingo (11). Desde a estreia no Brasil, ele já rendeu R$ 228 milhões.

Veja o ranking completo no período:

1-“O rei leão” (13,8 milhões)

2-“Velozes e furiosos: Hobbs & Shaw” (R$ 7,4 milhões)

3-“BTS – Bring the Soul: The movie” (R$ 1,4 milhão)

4-“Meu amigo Enzo” (R$ 1,2 milhão)

5-“Histórias assustadoras para contar no escuro” (R$ 1 milhão)

6-“Homem-Aranha: Longe de casa” (R$ 894 mil)

7-“Simonal” (R$ 474 mil)

8-“Toy story 4” (R$ 382 mil)

9-“Rainhas do crime” (R$ 337 mil)

10-“Anime night: My hero academia dois heróis” (R$ 324 mil)

Mufasa e Simba em cena de ‘O Rei Leão’. (Foto: Divulgação)

O sucesso do filme também é o maior dessa saga de live-actions da Disney, embora o remake não seja considerado 100% um live-action por ser em computação gráfica. A produção tem a maior bilheteria da nova leva de releituras do estúdio, com arrecadação de 1,334 bilhão de dólares, ultrapassando “A Bela e a Fera”, que garantiu 1,2 bilhão de dólares para a empresa em 2017.

Veja abaixo a lista do live-actions de maior bilheteria da produtora:

1-O Rei Leão – US$ 1,334 bilhão

2-A Bela e a Fera – US$ 1,263 bilhão

3-Aladdin – US$ 1,035 bilhão

4-Alice no País das Maravilhas – US$ 1,025 bilhão

5-Mogli: O Menino Lobo – US$ 966 milhões

A estudante de radiologia, Fernanda Caroline, de 22 anos, conta que criou bastante expectativa em cima da live-action de “O rei leão”, esperando um pouco mais do filme.

“Eu gostei do filme, porém alguns pontos importantes eles deixaram de acrescentar e alguns ajustes que fizeram também não gostei. Mas o contexto da animação não foi tão alterado”.

Para o estudante, Jonathan Luiz, de 17 anos, foi um filme bem feito, tanto nos gráficos, como em seus efeitos especiais, mas há momentos que poderiam ter sido melhores. “Por um lado, o filme superou minhas expectativas, mas por outro não. Eu esperava mais desse remake em relação a algumas cenas e também na dublagem”, conta.

Sobre essa recente saga de live-action da Disney, Fernanda diz estar adorando a ideia da companhia americana. “Estou amando essa ideia da live-action. A Bela e a Fera, por exemplo, achei que eles se aproximaram bastante do que foi a animação. Espero que continuem produzindo mais filmes e que eles possam permanecer o mais próximo possível do original.”

Assim como Fernanda, Jonathan também acredita que a Disney está tendo um bom progresso com essa nova fase no universo cinematográfico.

“Estou achando bastante interessante a Disney trazer os velhos desenhos animados e transformá-los em live-action. Isso acaba trazendo um bom ar de nostalgia ao espectadores mais velhos.”

Luhan Alves-6º Período

Clubes do Brasil fazem grandes contratações e agitam o futebol nacional

Depois da grande apresentação de Daniel Alves com a camisa do São Paulo, nesta terça-feira (6), no Morumbi, com 44 mil pessoas, e com o interesse do Flamengo no atacante italiano, Mário Balotelli, um questionamento tem sido feito no meio futebolístico: O que faz jogadores renomados, muitos com propostas milionárias para jogar em outros continentes, estarem migrando para o futebol brasileiro?

Nos últimos meses, aconteceram outras grandes contratações, como Rafinha e Filipe Luís no Flamengo; Luiz Adriano no Palmeiras; o espanhol Juanfran, ex Atlético de Madrid, que foi para o São Paulo; entre outros nomes que tem uma trajetória reconhecida no futebol mundial. O Brasil, que tem o histórico de vender suas grandes promessas para o futebol europeu e outros continentes, por valores milionários, parece estar voltando a ser uma vitrine para os jogadores.

rib3559_W8Ip4tp
Daniel Alves se emociona ao vestir camisa do São Paulo. (Foto: Divulgação/Marcos Ribolli)

Lista das principais contratações do futebol brasileiro na janela do meio do ano:

Daniel Alves (LD)– Último Clube/PSG (FRA)– Atual clube/ São Paulo

Rafinha (LD)– Último Clube/Bayern de Munique (ALE)– Atual clube / Flamengo

Filipe Luís (LE)– Último Clube/Atlético de Madrid (ESP)– Atual clube/ Flamengo

Juanfran (LD)– Último Clube /Atlético de Madrid (ESP)– Atual clube/ São Paulo

Luiz Adriano (ATA) – Último Clube /Spartak Moscou (RUS)–  Atual clube/ Palmeiras

Adriano (LE)– Último Clube /Besiktas (TUR)– Atual clube / Athletico-PR

Franco Di Santo (ATA)- Último Clube/Rayo Vallecano (ESP)– Atual clube/ Atlético-MG

Ramires (Vol)- Último Clube/Jiangsu Suning (CHN)– Atual clube/ Palmeiras

Para Jonathan Assumpção, de 24 anos, formado em jornalismo, é difícil saber exatamente o que leva esses grandes jogadores a vir jogar aqui no Brasil.

“Uma coisa é certa: não é pelo lado financeiro, visto que na Europa ganhariam um valor elevado. Talvez, seja a paixão pelos clubes, o projeto apresentado ou a certeza de estar indo para um time competitivo, o qual brigará por títulos”, conta Jonathan.

O que mais surpreende para Jonathan é a vinda do lateral espanhol Juanfran. “O projeto apresentado pelo tricolor paulista com certeza foi muito convincente. A chegada de grandes nomes do futebol em equipes brasileiras pode ter influenciado em sua escolha também, visto que o próprio Daniel Alves será seu companheiro de equipe.”

Já para o Engenheiro de Sistemas, Herbert William, a volta desses jogadores se dá pela idade avançada.

“Muitos dos jogadores que vieram para o Brasil já tem acima dos 32 anos. O futebol na Europa exige muito dos jogadores fisicamente pois os jogos são muito intensos. Outro ponto é que por terem uma idade avançada e bastante experiência, a tendência é que sobrem no Brasil. Então eles não terão dificuldade em elevar o nível do clube onde irão jogar e nem precisam de tanto esforço para isso.”

O que os especialistas dizem?

A Jornalista Raisa Simplicio, Editora e Repórter do Brasil Global Tour, acredita que a melhora na estruturação dos campeonatos em que os clubes brasileiros disputam, principalmente voltada para uma forte premiação em todos eles, e as boas gestões de alguns clubes, contribui para esse aumento de jogadores renomados jogando aqui no Brasil.

“Na década 00, havia poucos clubes com uma boa gestão. Hoje esse número é maior, com mais times tendo uma direção e estrutura profissional. Além disso, aqui se oferece o que na Europa é difícil conceder, que é mais de um ano de contrato com jogadores acima de 30 anos. Essa oportunidade de ter mais tempo no contrato é um fator que contribui para a vinda desses atletas com mercado internacional”, diz Raisa.

Sérgio Santana, Jornalista do Lance, Setorista do Botafogo, vê o futebol brasileiro com muito potencial. Ele acredita que, além da questão envolvendo o amor de infância de alguns jogadores (caso do Daniel Alves), muitos deles têm história na carreira pela Europa, mas, por conta da idade avançada, não renovam com seus clubes.

“Às vezes, é melhor brigar por título no Brasil, um futebol reconhecido, pentacampeão mundial, do que assinar com uma equipe pouco renomada da Europa, seja um time que briga para não cair ou uma equipe de divisão inferior”, explica o Jornalista.

Aspecto financeiro dos clubes brasileiros

Para Raisa, a parte financeira preocupa e é uma questão a ser discutida, ainda mais com salários batendo na casa do milhão, algo recente no futebol brasileiro.

“Acredito que parcerias sejam bem-vindas, mas é difícil ver no futebol uma delas dando muito sucesso para que consiga, por exemplo, bancar três anos de contrato do Daniel Alves. Hoje, o que acaba garantindo a possibilidade de alguns clubes pagarem altos salários, é a questão de negociações de jovens atletas”, conta Raisa.

Já para Sérgio Santana, cada caso é um caso. Segundo ele, existem equipes organizadas e desorganizadas aqui.

“Esta parte pode preocupar apenas se um dos times que fizeram grandes contratações não esteja 100% certo de que pode arcar com os custos. É só ver, apenas times com as finanças ajeitadas (São Paulo, Athletico Paraenense e Flamengo) fizeram grandes contratações. É o reflexo da gestão fora das quatro linhas”, explica.

Luhan Alves- 6º Período 

Ingressos para as Olimpíadas de Tóquio de 2020 começam a ser vendidos

Os ingressos para as Olimpíadas de Tóquio de 2020 já estão disponíveis para o público brasileiro. As vendas foram abertas às 10h desta segunda-feira (05) e há mais de 20 mil bilhetes para todas as modalidades esportivas, além das cerimônias de abertura e encerramento da competição. Os Jogos acontecem entre 24 de julho e 9 de agosto do próximo ano.

Cada pessoa terá um limite de 30 bilhetes para adquirir e outros requisitos precisam ser cumpridos na hora da compra. Nas cerimônias de abertura e encerramento, os torcedores poderão comprar apenas dois ingressos por sessão; em entrega de medalhas, o limite será de quatro; e para qualquer outro dia de evento, serão seis bilhetes por pessoa.

Todos os ingressos são comercializados em ienes japoneses (R$ 1 vale cerca de 27 ienes). As compras devem ser feitas pelo site oficial do evento e apenas com os cartões de crédito autorizados pela MATCH Hospitality AG.

2019-07-24t063611z-1119739451-rc1b85cbf150-rtrmadp-3-olympics-2020-1ytg-medals
Na imagem, as medalhas de prata, ouro e bronze das Olimpíadas de Tóquio de 2020. (Foto: Reuters)

As entradas para as disputas esportivas terão os ingressos mais baratos por 2500 ienes ( R$ 85 na cotação atual). Já os bilhetes mais caros custarão 130 mil ienes (aproximadamente R$ 4,4 mil). As cerimônias de abertura e encerramento terão tickets com preços bem mais expressivos, com valores que vão de 12 mil da moeda japonesa (cerca de R$ 412) a 300 mil (R$ 10,3 mil).

As competições não acontecem só em Tóquio. Outras onze cidades vão abrigar as competições da Olimpíada de 2020: Yokohama (beisebol, softbol e futebol), Enoshima (vela), Izu (ciclismo), Fukushima (beisebol e softbol), Sapporo, Miyagi, Kashima e Saitama (todas sedes de disputas do futebol), Asaka (tiro), Tsurigasaki (surfe) e Chiba (tae kwon do e esgrima).

Luhan Alves- 6° período 

Flamengo faz 2 a 0, vence o Emelec nos pênaltis e avança na Libertadores

Gabriel faz os dois gols no tempo normal e Diego Alves brilha nas penalidades para garantir o Rubro-Negro nas quartas de final

O Flamengo se classificou para as quartas de final da Conmebol Libertadores. Na noite de quarta-feira (31), quase 68 mil torcedores foram ao Maracanã acompanhar o jogo de volta do torneio continental, depois de uma derrota da equipe carioca por 2 a 0, no confronto de ida.

O Jogo

Na partida em Guayaquil (EQU), o rubro-negro havia perdido por 2 a 0. O time, então, entrou em campo pressionado e precisando vencer por três gols de diferença para se classificar, ou ao menos repetir o placar do jogo de ida, para levar a decisão para os pênaltis. O Flamengo fez o que se esperava e pressionou o adversário. Durante os primeiros 30 minutos da etapa inicial, o time jogou com intensidade total e praticamente não deixou o Emelec respirar.

Aos 9 minutos do primeiro tempo, Gabigol converteu uma cobrança de pênalti e abriu o placar para o Rubro-Negro. Aos 18 minutos, o artilheiro do Flamengo no ano, com 22 gols em 33 jogos, ampliou para o time carioca e igualou o confronto. Ainda na etapa inicial, o Rubro-negro criou outras oportunidades e poderia ter saído de campo para o intervalo com um placar maior.

5d4247a86f92f
Gabigol foi o destaque da partida marcando os dois gols do Flamengo no tempo normal Foto: Alexandre Vidal e Marcelo Cortes / Flamengo

No segundo tempo, o Flamengo sentiu bastante a parte física e não conseguiu repetir o bom desempenho do primeiro. Com as saídas de Gabigol, que foi substituído por causa de uma lesão muscular; e Gérson, que cansou no fim, o time carioca caiu de produção. O Emelec passou a se soltar um pouco mais, levando certo susto em alguns momentos, mas o resultado continuou igual até as penalidades.

Pênaltis

O Flamengo ficou com a vaga para a próxima fase, vencendo as penalidades por 4 a 2. E a tranquilidade que faltou na Copa do Brasil sobrou diante do Emelec. Arrascaeta, Bruno Henrique, Renê e Rafinha cobraram com a seriedade, a calma e a categoria que faltaram contra o Athletico- PR, há duas semanas, pelas quartas da Copa do Brasil. Pelo time equatoriano, Bryan Angulo e Cortez converteram, Dixon Arroyo parou no goleiro Diego Alves e Queiróz acertou o travessão.

5d42529d8b39a
Diego Alves pegou uma cobrança e viu o adversário desperdiçar outra, classificando o Flamengo para a próxima fase (Foto: Delmiro Junior/PHOTO PREMIUM)

Próxima Fase

O Flamengo não ia às quartas de final da Libertadores desde 2010. Na ocasião, o rubro-negro foi eliminado pela Universidad de Chile. Agora, enfrentará o Internacional, em um duelo de brasileiros nesta fase. Possivelmente, os jogos serão nas semanas dos dias 21 e 28 de agosto.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 (4) X (2) 0 EMELEC

Árbitro: Néstor Pitana (ARG)

Assistentes: Hernán Maidana e Julio Fernández (ambos da Argentina)

Árbitro de vídeo: Mauro Vigliano (ARG)

Cartões amarelos: Bruno Henrique, Cuéllar, Willian Arão (FLA); Arroyo, Mejía, Quintero e Cortez (EME)

Cartões vermelhos: Nenhum

Gols: Gabigol, aos 9 e 18 minutos do primeiro tempo (FLA)

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Thuler, Pablo Marí e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Gérson (Berrío); e Éverton Ribeiro (Arrascaeta), Bruno Henrique e Gabigol (Reinier). Técnico: Jorge Jesus

EMELEC: Dreer; Caicedo, Jaime (Quintero), Mejía e Bagüí; Arroyo, Godoy (Cortez), Queiroz, Cabezas; Guerrero (Carabalí) e Angulo. Técnico: Ismael Rescalvo


Luhan Alves-6º Período 

Flamengo enfrenta Emelec em jogo decisivo pela Libertadores

Em jogo que vale o maior objetivo da temporada, o Rubro-Negro carioca precisa inverter a derrota por 2 a 0 no jogo de ida para avançar na competição

Flamengo e Emelec se enfrentam nesta quarta-feira (31), às 21h30, no Maracanã. O confronto é válido pelas oitavas de final da Libertadores e o clima da partida é de tensão total por parte do time carioca, que está em desvantagem no placar. Após perder por 2 a 0, na semana passada, em Guayaquil, o Flamengo precisa de três gols de vantagem para avançar. Qualquer vitória por dois gols de diferença, sofrendo gols, elimina o Rubro-Negro. Se vencer por 2 a 0, a vaga nas quartas de final será decidida nos pênaltis.

O rubro-negro carioca tem duas novidades na relação de jogadores que vão a campo nesta partida. A equipe terá à disposição Arrascaeta e Éverton Ribeiro, que se recuperaram de lesões, embora ainda não seja possível saber se os dois estão em boas condições para entrar em campo. A necessidade desse jogo decisivo, fez o departamento médico acelerar a recuperação. Na zaga, Thuler assume a vaga de Rodrigo Caio, que machucou a coxa no jogo contra o Botafogo.

jogadores-do-flamengo-comemoram-em-goleada-contra-o-goias-1563122544034_v2_900x506

Gabigol (e) é aposta do Flamengo contra o Emelec. Rubro-negro sonha em ter Everton Ribeiro (c) e Arrascaeta (d) nesta partida Foto: Reprodução Twitter

Já o time equatoriano, vem para o Rio de Janeiro com uma boa vantagem para se classificar para a próxima fase da Libertadores. O Emelec pode perder até por um gol de diferença, que avança na competição. O zagueiro Marlon Mejía será o substituto do argentino Vega, expulso no primeiro jogo. A dúvida da equipe gira em torno de Brayan Cabezas, titular em Guayaquil, mas que passou a semana com um desconforto muscular. Sua escalação deve ser confirmada (ou não) apenas em cima da hora. Caso não se recupere, a expectativa é de que Orejuela jogue.

A torcedora Lorrany Alves, de 18 anos, acredita que o técnico Jorge Jesus tenha tirado uma lição da primeira partida contra o Emelec, pondo em vista os erros cometidos no jogo.

“Espero que o time tenha analisado bem a tática de jogo do rival, explorando bem as fraquezas, para não deixar eles finalizarem com tanta facilidade. Hoje, espero garra, força e raça, pois Flamengo sem raça não é nada”, diz a torcedora.

O estudante de Jornalismo, Douglas Braz, de 24 anos,  não esperava tanta dificuldade  nas oitavas, pelo investimento feito pelo rubro-negro e pelo adversário que o time carioca pegou no sorteio. Ele acredita em um resultado favorável para o Flamengo.

“Creio que o Emelec vai catimbar muito o jogo e que virá recuado, mas com a força da torcida, e como o adversário não mostrou muitas virtudes até mesmo quando estava 11 contra 11 em casa, espero que o Flamengo consiga reverter esse resultado até mesmo no tempo normal”, conta Douglas.

Apoio da Torcida

O clima é de decisão, e o Maracanã terá a casa cheia. Todos os 60.500 ingressos foram vendidos para a partida desta quarta (31). Diante da obsessão pelo bicampeonato continental, o Flamengo terá de reverter um cenário desfavorável para mostrar sua força. Entre a “crise na Gávea” e o “rumo ao Mundial”, o Fla tem 90 minutos para dar o tom da sua temporada.

images (4)

Maracanã terá casa cheia no confronto com o Emelec Foto: Rodrigo Coca/Flamengo 

Visão das especialistas

A jornalista Luciana Zogaib, narradora da Rádio Ferj e do Damas do Esporte, espera que o Flamengo se imponha e que responda à altura para sua torcida tamanha expectativa depositada.

“Será um jogo duro, apesar da superioridade técnica do Flamengo, o Emelec joga duro, baixando o sarrafo. Será importante manter o controle emocional.”

A repórter do programa Donos da Bola, da Band, acredita na virada do Flamengo, apesar dos desfalques de Diego, Vitinho, Rodrigo Caio, Lincoln e Leo Duarte, que deixou o Fla.

“Creio na recuperação de Everton Ribeiro e acho que ele tem tudo pra brilhar, como na partida contra o Emelec no ano passado, que ele fez dois gols!”

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO X EMELEC

Árbitro: Néstor Pitana (ARG)

Assistentes: Hernán Maidana e Julio Fernández (ambos da Argentina)

Árbitro de vídeo: Mauro Vigliano (ARG)

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Thuler, Pablo Marí e Renê; Cuéllar, Willian Arão e Gerson; e Berrío (Éverton Ribeiro) Bruno Henrique e Gabriel Barbosa. Técnico: Jorge Jesus

 EMELEC:  Dreer; Caicedo, Jaime, Mejía e Bagüí; Arroyo, Godoy, Queiroz, Cabezas (Orejuela); Guerrero e Angulo. Técnico: Ismael Rescalvo


Luhan Alves – 6° Período

Brasil perde de virada para Austrália na Copa do Mundo

Seleção feminina joga mal e sofre sua primeira derrota no torneio. Brasileiras reclamam de pênalti não marcado nos acréscimos

 Brasil e Austrália se enfrentaram nesta quinta-feira (13), pelo grupo C da Copa do Mundo de Futebol Feminino. A seleção foi derrotada por 3 a 2,  mesmo após chegar a abrir dois gols de vantagem. Marta, voltando de lesão só jogou 45 minutos e fez um dos gols brasileiros.

Primeiro Tempo

Na etapa inicial a Austrália teve mais posse de bola e o Brasil sofreu para aguentar a pressão das australianas, que além de, contar com uma seleção fisicamente forte, também apresentou um bom futebol. As brasileiras tinham dificuldade de encaixar um ataque, muito também, pela forte marcação adversária no meio de campo. Mas aos 26 minutos, Marta, em seu primeiro jogo neste mundial, abre o placar em cobrança de pênalti, após lance em que Letícia Santos é puxada dentro da área por Knight.

2019-06-13t160827z-626724696-rc1c31edfe30-rtrmadp-3-soccer-worldcup-aus-bra

Marta faz gol pela seleção brasileira contra a Austrália e se torna a maior artilheira das Copas do Mundo Foto: Reuters

Mesmo com o gol, a seleção brasileira não conseguia ditar o ritmo do jogo e oferecia bastante campo para a Austrália jogar, mas em uma jogada bem construída pelo Brasil, a equipe de Vadão marcou mais uma vez. O lance iniciou com uma caneta da Tamires, que deu um passe em profundidade para Debinha cruzar e Cristiane acertar uma cabeçada certeira, sem chances para a goleira adversária. As australianas continuaram insistindo e foram premiadas com um gol no final do primeiro tempo, com a camisa 9 Foord, também de cabeça.

Segundo Tempo

No segundo tempo, o técnico do Brasil, Vadão, voltou com duas substituições, saíram Marta e Formiga, e entraram Ludmila e Luana. O cenário da partida era o mesmo da etapa inicial, com a seleção brasileira tendo muita dificuldade de construir jogadas e a Austrália imprimindo seu jogo, adiantando a linha de marcação e indo em busca da virada. E aos 12 minutos, as australianas empataram o jogo. A meia Logarzo cruzou a bola para a área e sem ninguém desviar a goleira Bárbara acabou traída e saiu atrasada, resultando no empate da seleção da Oceânica

A virada da Austrália veio após mais uma bola alçada na área brasileira, na qual a zagueira Mônica acabou desviando contra o próprio gol.  De início a árbitra não validou o lance e chamou o auxílio do Árbitro de Vídeo. Após checar a jogada, deu o gol para a seleção australiana. Com isso, o Brasil perdeu o psicológico dentro de campo e sem suas referências, não teve forças para reverter o placar.

Situação no grupo

Com o resultado, o Brasil permanece em 1º lugar com três pontos no Grupo C, mas pode ser ultrapassado pela Itália, que ainda joga com a Jamaica no complemento da segunda rodada nesta sexta-feira (14). A Seleção volta a campo na próxima terça-feira (18), contra a Itália, em Valenciennes. 

FICHA TÉCNICA

AUSTRÁLIA 3 X 2 BRASIL

Local: Stade de la Mosson, Montpellier (FRA)

Público: 17.032 (torcedores)

Cartões amarelos: Formiga, Luana, Andressa Alves (Brasil)

Árbitra: Esther Staubli (SUI)

Auxiliares: Sian Massey (ING) e Susanne Kung (SUI)

Árbitro de vídeo: Bastian Dankert (ALE)

GOLS: Marta (26’/1ºT), Cristiane (37’/1ºT), Foord (46/1ºT), Logarzo (12’/2ºT), Mônica (contra, 23’/2ºT)

BRASIL: Bárbara; Letícia S., Mônica, Kathellen e Tamires; Thaisa, Formiga (Luana) e Marta (Ludmilla); Andressa, Debinha e Cristiane (Bia Zaneratto). Técnico: Vadão

AUSTRÁLIA: Williams; Carpenter, Kennedy, Catley e Kellond-Knight; Van Egmond, Yallop e Logarzo ; Gielnik (Raso), Kerr e Foord (Roestbakken) Técnico: Ante Milicic

Luhan Alves- 6° Período

A esperança do sucesso da Copa do Mundo Feminina

Nunca antes na história do futebol o Mundial das mulheres foi tão divulgado e comentado. Seleção brasileira aposta nas jogadoras mais experientes

A Copa do Mundo Feminina inicia nesta sexta (7), tendo como jogo de abertura, a partida entre França, país sede do Mundial, e Coréia do Sul, às 16h. O torneio tem tudo para entrar para a história do esporte. A edição do torneio feminino da Fifa, deste ano, será em um país que não somente se mobilizou, como carrega em sua história a luta de mulheres. Alguns registros históricos apontam a França como o berço da primeira onda feminista durante a Revolução Francesa.

Torneio mais nivelado

Ao contrário da Copa do Mundo masculina, o torneio para as mulheres ainda é algo muito novo, a primeira edição foi há 28 anos, em 1991, na China. Essa será a oitava edição do Mundial feminino. Apesar das barreiras quebradas e recordes positivos ao longo do tempo, a competição deste ano promete trazer novas possibilidades e a esperança de um futuro melhor para as seleções femininas.

Nunca antes houve tantas seleções niveladas por alto e pretendentes ao título, como neste Mundial. Além das atuais campeãs americanas e a seleção brasileira, Alemanha, França e Inglaterra estão na lista para chegar ao topo. Destaque também aos trabalhos de Austrália, Holanda, Canadá e Japão.

41507327071_4777540c6f_k
A seleção brasileira vai em busca do título inédito da Copa do Mundo Feminina Foto: LUCAS FIGUEIREDO/CBF

Apoio maior da imprensa

Essa edição será a de maior alcance em termos de transmissão- serão 130 emissoras envolvidas, atingindo o total de 135 países. É também um Mundial que buscou mobilização em campanhas anteriores ao torneio para chamar a atenção das pessoas. A resposta vem sendo positiva. Além de marcas fortes de patrocínio esportivo, as seleções também entraram forte na ideia, já que as campanhas fizeram bastante sucesso.

A convocação da Inglaterra, por exemplo, teve a participação de atores do filme Harry Potter e do ex-jogador e craque inglês, David Beckham. No Brasil, essa será a primeira vez que a TV Globo transmitirá todos os jogos da seleção brasileira feminina em uma Copa do Mundo.

5c31979ebfd29d3c48a7b586a1c6e337d0373fdf
Copa do Mundo feminina será transmitida pela 1ª vez no Brasil Foto: AFP

Sucesso na venda de Ingressos

Dois meses antes da Copa do Mundo, a Fifa anunciou que a venda de ingressos já estava quebrando recordes. As entradas para finais e semifinais esgotaram em apenas 48 horas. Dez jogos já estão com todas as entradas vendidas.

Desvalorização ainda presente

A França, campeã do mundo no futebol masculino, do ano passado, embolsou 38 milhões de dólares, de um prêmio de 400 milhões divididos entre todos os participantes. Já a premiação geral da Copa Feminina, no dia 7 de julho, será de 30 milhões de dólares, sendo cinco milhões às vencedoras. Vale ressaltar: a premiação já foi dobrada em relação ao Mundial de 2015.

Esperança do título inédito para seleção brasileira

Uma geração duas vezes medalhista olímpica e vice-campeã mundial do futebol feminino está chegando em seu último ato. Três delas, para ser exato. Marta, ainda deixa em aberto a possibilidade de jogar outro Mundial, daqui quatro anos, mas essa será de fato a despedida de Cristiane e Formiga – recordista entre homens e mulheres em sua sétima Copa do Mundo, aos 41 anos. As três mais experientes da Seleção e únicas remanescentes de uma geração que elevou o Brasil de patamar, quando o esporte ainda era tratado com amadorismo.

A seleção brasileira ainda não conquistou a Copa do Mundo Feminina. As melhores participações no torneio foram no ano de 2007, quando chegou na final contra a Alemanha, sendo derrotada por 2 a 0 e um terceiro lugar 1999, vencendo a Noruega nos pênaltis. O Brasil estreia neste domingo (9) contra a Jamaica, às 10h30.

Todas as seleções campeãs da Copa do Mundo Feminina

1991- Estados Unidos

1995– Noruega

1999- Estados Unidos

2003- Alemanha

2007- Alemanha

2011- Japão

2015- Estados Unidos

Leia também: Saiba tudo sobre a Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019, que começa hoje

Luhan Alves- 6° Período