A mais nova ideia de Donald Trump

Donald Trump é conhecido por suas declarações polêmicas e idéias no mínimo exóticas, e a mais nova delas parece ter saído de um jogo de tabuleiro. Trump quer comprar a Groenlândia, território pertencente à Dinamarca.

Políticos dinamarqueses logo reagiram às declarações do presidente norte-americano, dizendo que a Groenlândia não está à venda. Ainda assim, não se sabe exatamente se Trump falou em tom de brincadeira ou se tem realmente a intenção de comprar o território.

Território da Groenlândia tem pouquíssimas áreas habitadas (Foto: Reprodução/Twitter)

A Groenlândia é uma enorme ilha entre o Canadá e o Círculo Ártico. A maior parte dos cerca de 50 mil habitantes vive próxima à costa sul, onde o gelo é menos presente e a temperatura suportável. O local é uma terra sem grandes cidades, rodeada por riquezas naturais.

A especialista em relações internacionais, Juliana Gomes comenta: “Essa ideia, se for séria, é bem louca. A Groenlândia é um lugar que para os interesses dos Estados Unidos não agregaria nada. Até porque, grande parte do lugar é um santuário ambiental”, comenta.

Daniel Fernandes – 8° Período

Forte acidente chama a atenção na Fórmula Indy

Um forte acidente impressionou a quem assistia às 500 Milhas de Pocono, no último domingo (18) na Fórmula Indy. Logo na largada, Alexarder Rossi e Takuma Sato, ex pilotos da Formula 1, se envolveram numa batida com o norte-americano Ryan Hunter-Reay. Os pilotos foram em direção ao muro a mais de 320 quilômetros por hora e atingiram também os carros de James Hinchcliffe e do sueco Félix Rosenqvist.

A pista de Pocono é frequentemente criticada por sua insegurança. Em 2018, o piloto Robert Wickens ficou paraplégico depois de “decolar” na direção da grade de proteção. Ele fez uma declaração nas redes sociais, pedindo a retirada do circuito do calendário: “Quantas vezes precisaremos passar pela mesma situação até entender que a Indy não deve correr em Pocono? É uma relação tóxica e acho que é hora de considerar um divórcio. Estou aliviado que todos estão bem após esse acidente assustador”, disse.

Sage Karam é outro piloto da categoria que se envolveu num acidente que causou a morte de James Wilson, na mesma pista, em 2015. “Aliviado por ver que todos estão bem. Nunca é um bom sentimento quando você vê algo assim. Especialmente quando são seus irmãos. Não deveríamos estar aqui” declarou.

A Segurança nem sempre está em primeiro lugar

Imagem
Projeto do “Aeroscreen” é comandado pela divisão de tecnologia da Red Bull (Foto: Reprodução/Twitter)

Em comparação com a Fórmula 1, no quesito segurança, a Indy sempre ficou para trás. Enquanto a primeira já vem estudando como melhorar a segurança dos pilotos desde 1994, após a morte de Ayrton Senna, só agora a Indy concluiu o projeto de uma proteção para a cabeça dos pilotos. O chamado “aeroscreen”, promete ter melhores resultados que o “Halo”, usado na F1.

Will Power resistiu as condições da pista e levou a vitória para a Austrália (Foto: Reprodução/Twitter)

Com a corrida em si no segundo plano, o australiano Will Power venceu a prova, com um final bem confuso, já que a corrida havia sido interrompida por conta de uma forte chuva no entorno do circuito.

Daniel Fernandes8° Período

Woodstock: 50 anos do festival mais famoso da história

1969 foi um ano complicado para os norte-americanos. A guerra do Vietnã dividia a opinião pública e as tensões raciais chegavam ao seu apogeu após o assassinato de Martin Luther King. Mesmo com conquistas importantes, como a chegada dos primeiros homens à Lua, o clima no país não era dos melhores. Em meio a essa onda de instabilidade, quatro empresários liderados pelo promotor de eventos Michael Lang tiveram a ideia que mudaria para sempre a cultura mundial.

Um bom ponto de partida para falar sobre o Festival de Woodstock é que ele não aconteceu em Woodstock, e sim nas terras do  fazendeiro de gado Max Yasgur, na minúscula cidade de Bathel, em Nova York. O objetivo dos organizadores era simples: Ganhar dinheiro. Festivais parecidos já faziam sucesso na costa oeste americana e no México, então, reproduzir isso na costa leste era o próximo passo.

Para isso, foram chamados nomes de peso, como Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who, entre outros gigantes da música. Nova York era o lugar perfeito para capitalizar em cima de um grande evento. No entanto, os organizadores perderem o controle. Toda a área do festival foi preparada para receber até 200 mil pessoas durante o fim de semana, mas estima-se a presença de mais de 500 mil espectadores.

Woodstock reuniu cerca de meio milhão de espectadores. (Foto: Reprodução/Twitter)

As apresentações até hoje são lembradas como algumas das maiores da história. O Hino Nacional dos Estados Unidos, tocado na guitarra de Jimi Hendrix, e a hipnotizante performance de Janis Joplin são bons exemplos. Mas o coração do festival era mesmo o público, que chegava em enormes caravanas, com suas características roupas do movimento Hippie e cantando por paz e amor, o que virou um símbolo de resistência e contracultura da época.

A socióloga Alessandra Justus fala sobre esse fenômeno cultural: “Hoje, com eventos como o Rock in Rio, parece normal, mas, na época, reunir aquela quantidade de pessoas era uma missão quase impossível. O festival acabou transcendendo o mundo da música, principalmente por causa do que acontecia no meio do público. As pessoas consideradas mais diferentes, ou até mesmo esquisitas, eram muito bem-vindas. A questão do uso de drogas não ter sido reprimido, também foi o estopim para outros movimentos de legalização que até hoje usam símbolos do festival”, explica.

O clima de paz entre o público chama a atenção até hoje. (Foto: Reprodução/Twitter)

Ao final da noite do último dia do festival, muitos espectadores talvez não soubessem, mas fizeram parte do festival mais famoso de todos os tempos, não só pelos shows, mas também pelo clima do evento. Clima que, apesar das diversas tentativas, jamais conseguiu ser reproduzido novamente.

Woodstock 99

Em 1999 foi feita uma edição de homenagem aos 30 anos do festival original. A intenção era trazer de volta a sensação de paz, liberdade e boa música que aconteceu em 69. Bandas de sucesso na época, como Rage Against The Machine, Limp Bizkit, Metallica e Red Hot Chilli Pappers foram escalados para as apresentações. Mas Woodstock 99 é lembrado como uma das maiores tragédias anunciadas já vista na música.

O local dos shows não era estruturado para a quantidade de pessoas. A produção resolveu economizar em tudo que podia, inclusive em banheiros, e colocou preços altíssimos para comida e água. Além disso, a temperatura no primeiro dia atingiu os 40ºC. O resultado não poderia ser pior. Pessoas passaram mal, havia briga por espaço e até estupros e uma morte foi registrada. Além disso, no final do último dia o show do Red Hot Chilli Pappers teve que ser interrompido, o publico se revoltou, houve saques às lojas, incêndios e parte da estrutura de caixas de som foram derrubadas pelo público, que tentava se proteger do tumulto.

O empresário Marcos Henrique assistiu ao evento e conta que desde o show do Limp Bizkit o clima começou a ficar tenso. A situação piorou no final de domingo, quando deram velas para o público, que já estava com raiva por causa das péssimas condições do lugar.

“Não tinha como dar certo. Eles começaram a fazer pequenos incêndios, que foram crescendo até virar um caos. No final, a culpa foi jogada para as bandas, mas a verdade é que a organização falhou, e bem feio. Dá pra ver até pelas imagens que o público parecia que estava literalmente fervendo” diz.

Cenas de selvageria foram vistas no final do Woodstock 99. (Foto: Reprodução/Twitter)

Ao longo do tempo. houve outras tentativas de festivais inspirados em Woodstock, alguns até com certo sucesso, como o SWU, por exemplo, mas a áurea do original nunca mais se repetiu. A socióloga Alessandra Justus explica por que o evento foi diferenciado:

“Woodstock (69) foi tão mágico porque a espontaneidade do público superou a organização, que não esperava aquela gente toda. O público acabou tomando conta do evento. Aquele público, naquelas condições, naquele contexto, nunca mais vai acontecer”.

Homenagens ao evento acontecem por todo mundo, mas especialmente nos Estados Unidos, onde uma radio da Filadélfia vai transmitir “ao vivo” os shows da época exatamente no mesmo horário do festival. Estava planejada uma edição em homenagem aos 50 anos do original, com Jay-Z, Miley Cyrus confirmados, mas o evento foi cancelado.

Daniel Fernandes – 8º período

Cidades tem manifestações contra reformas do governo

Atos contra os cortes na educação e a reforma da previdência marcaram a manhã desta terça (13) em diversas cidades brasileiras. Os principais organizadores dos protestos são entidades estudantis e sindicatos de variados setores.

Desde maio, o presidente Jair Bolsonaro vem anunciando cortes significativos na educação, especialmente com relação às universidades federais. Além dessa reivindicação, a votação favorável à reforma da previdência também é um dos grandes alvos das manifestações.

Protestos contra reforma da previdência e cortes na educação se espalham pelo Brasil nesta quinta (Foto: Reprodução/Twitter)

O estudante de comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Matheus Souza, fala sobre os protestos: “O ato é principalmente contra algumas atitudes do governo, que ao nosso ver são extremamente prejudiciais para a educação, principalmente, para quem não pode pagar por uma faculdade particular”, comenta.

Algumas consequências dos cortes na educação já podem ser sentidos pelos estudantes. É o que comenta a aluna do curso de Publicidade, Anna da Costa: “Os efeitos já estão acontecendo, pesquisas das áreas científicas, por exemplo, estão sendo perdidas pela falta de investimento”, lamenta.

Daniel Fernandes – 8° Período

Milhares de manifestantes fecham aeroporto em Hong Kong

O aeroporto de Hong Kong foi fechado nesta segunda (12) por conta de um grande protesto contra o governo chinês. Cerca de cinco mil pessoas  ocupam o saguão do aeroporto enquanto centenas de soldados armados tentam reprimir a manifestação. Hong Kong é uma região autônoma da China, com algumas diferenças com relação a Pequim, inclusive utilizando uma moeda própria.

Desde a última sexta (09), os protestos vem aumentando o grau de violência, tanto entre os manifestantes, quanto por parte dos agentes do governo. A China não divulga números oficiais, mas as imagens de grandes multidões gritando palavras de ordem contra o governo têm sido cada vez mais comuns em Hong Kong.

15656105175d51521599748_1565610517_3x2_md
Manifestantes ocupam aeroporto em protesto contra o governo chinês (Foto: Reprodução/Twitter)

A principal reivindicação do ato é pela democracia na região, que até 1997 era uma colônia britânica. Mesmo tendo acesso a direitos ausentes no resto do país, como liberdade de expressão e um judiciário independente, por exemplo, Hong Kong ainda responde as ordens do presidente Xi Jinping e ao Partido Comunista Chinês.

A especialista em relações internacionais, Juliana Gomes, explica a atual situação do país: “Hong Kong sendo uma região semiautônoma, tem mais liberdades que o resto da China, mas o fato de responderem ao presidente chinês de certa forma, diminui essa liberdade, que só uma improvável independência seria a solução”, explica.

Daniel Fernandes – 8° Período

Brasil vence no Maracanã e é campeão da Copa América

Com mais uma boa atuação do ataque, seleção conquista o torneio pela nona vez

Deu Brasil na final da Copa América, contra a seleção peruana neste domingo (7), no Maracanã. A equipe brasileira correspondeu às expectativas e venceu o Peru por 3 a 1, mesmo terminando a partida com um jogador a menos. Além do título, os jogadores brasileiros levaram para casa todos os prêmios individuais da competição.

No início, o time peruano ensaiou uma pressão na defesa brasileira, o que não durou nem vinte minutos, e logo o Brasil abriu o placar com um cruzamento de Gabriel Jesus que encontrou Everton sozinho na área. Ainda no primeiro tempo, a bola bateu na mão de Thiago Silva dentro da área e o pênalti foi convertido por Paolo Guerrero.

O gol do Peru fez a torcida brasileira silenciar, mas não por muito tempo. Poucos minutos depois, Arthur deu bom passe para Gabriel Jesus fazer 2 a 1 para o Brasil. Gabriel ainda foi expulso no segundo tempo e saiu chorando do campo. Mesmo com um jogador a menos, a seleção não deixou de atacar. Faltando poucos minutos para o fim, Everton sofreu um duvidoso pênalti e ficou para Richarlisson fazer o gol do Título brasileiro.

As grandes atuações individuais renderam prêmios para os brasileiros. Com o mesmo número de gols de Paolo Guerrero (3), mas vencendo no critério de desempate, Everton foi o artilheiro e melhor jogador da final. Alisson foi o melhor goleiro e Daniel Alves ficou com o prêmio de craque do campeonato.


Daniel Fernandes- 7° Período 

Estados Unidos confirmam o favoritismo e vencem a Copa do Mundo feminina

Seleção norte-americana não deu chances para a Holanda e levou o cobiçado troféu para casa

Lideradas por Alex Morgan e Megan Rapinoe, os Estados Unidos venceram a Holanda e conquistaram a Copa do Mundo feminina na França. A equipe teve um primeiro tempo mais difícil que o habitual, mas ainda assim manteve o forte nível de atuação mostrado durante todo o campeonato, e levou o troféu pela quarta vez.

A proposta da Holanda era clara: não levar gols no primeiro tempo. Esse era o objetivo do jovem time que chegou à final como “zebra”, já que outras seleções, como Alemanha e França eram mais cotadas para disputar o título. A velocidade em contra-ataques com as atacantes Vivianne Miedema, Lieke Martens e Danielle Von De Donk era a principal aposta holandesa.

Donas de um ataque norte-americano quase imparável, no segundo tempo, as americanas abriram o placar com um gol de pênalti de Rapinoe. Cinco minutos depois, Rose Lavelle, eleita revelação do torneio, marcou o gol do quarto título da seleção dos Estados Unidos. O final ainda reservaria outro grande momento, a despedida de Carly Lloyd, que ficou como capitã para levantar o troféu após a saída de Rapino, eleita a melhor jogadora do campeonato.

O presidente da Fifa Gianni Infantino afirmou que o torneio foi a maior Copa feminina da história. Batendo recordes de audiência e lotando estádios, o público passou a conhecer novas estrelas como Martens que, aos vinte e dois anos, já é a maior artilheira ;da seleção holandesa; a francesa Le Sommer, candidata a melhor jogadora do mundo; e a brasileira Debinha, um dos destaques do torneio. Além disso, foi o momento de prestigiar os últimos jogos de Formiga, Carly Lloyd e Karen Carney por suas seleções.


Daniel Fernandes- 7° Período

Em jogo tenso, Brasil passa pela Argentina e vai à final da Copa América

Gabriel Jesus e Roberto Firmino em noite inspirada, e Alisson seguro, garantiram a vitória brasileira

Na noite desta terça (2), Brasil e Argentina se enfrentaram no Mineirão pela primeira partida da semifinal da Copa América. O jogo que é conhecido como “O super clássico das Américas” fez jus à fama e entregou tudo que se esperava de um grande confronto. O Brasil, melhor tecnicamente, impôs o seu jogo e vem ao Maracanã com uma vitória por 2 a 0 na bagagem.

Desde a primeira a fase, Brasil e Argentina apresentaram problemas bem semelhantes. Craques sem brilho, meio campo sem encaixe e técnicos questionados. Neste cenário, o único setor brasileiro que funcionou bem durante todo o torneio foi importantíssimo, a defesa.

Brasil vence Argentina e vai à final no Maracanã (Foto: Reprodução/Twitter)

Com Marquinhos, Thiago Silva e o lateral Daniel Alves, que jogam juntos no Paris Saint-Germain, e Alex Sandro, lateral esquerda da Juventus, Messi, Agüero e Martinez tiveram pouco espaço para chegar na área. Nas vezes em chegavam, esbarravam em um dos melhores goleiros do mundo, Alisson, que teve mais uma boa atuação.

Já no ataque, Coutinho voltou a jogar bem, e Gabriel Jesus fez sua melhor atuação no torneio. Everton, sempre bem marcado, não teve espaço para correr, o que abria uma grande área do campo para as tabelas de Jesus e Firmino, resultando nos dois gols brasileiros.

A seleção ainda tem falhas no meio campo ofensivo. Arthur não consegue achar sua posição ajudando pouco no ataque e menos ainda na defesa, servindo apenas para dar cadência ao jogo, o que muitas vezes atrapalha os contra-ataques em velocidade. Por outro lado, Casemiro atacou, defendeu e fez boa ligação do meio até a área argentina. O Brasil aguarda seu adversário da partida entre Chile e a surpreendente seleção do Peru.


Daniel Fernandes – 7° Período

Brasil joga mal, mas vence Paraguai nos pênaltis e avança na Copa América

Equipe brasileira cria pouco e termina mais uma partida sem tirar o zero do placar, levando o jogo para as penalidades

Nesta quinta (27) a seleção brasileira entrou em campo pelas quartas de final da Copa América. O adversário da vez foi o Paraguai, que na teoria tem um time mais fraco, mas se mostrou bem mais organizado e fiel a sua proposta de jogo, muito mais preocupada em não sofrer gols, do que em fazer.

O histórico do adversário fala por si. A equipe paraguaia chegou às quartas de final sem vencer nenhum jogo, apenas dois empates contra Catar e Argentina, além da derrota para a invicta Colômbia. O jogo paraguaio propicia o empate, o que pode causar situações inusitadas, como na edição de 2010 do torneio em que o time chegou a final sem ganhar um jogo sequer.

br copa.jpg

Brasil avança para as semi finais nos pênaltis (Foto: Reprodução/twitter)

Desta vez não foi diferente. O Brasil, superior tecnicamente, não conseguiu impor seu jogo, e até atletas em boa fase, como Everton e Daniel Alves, não brilharam. Firmino, mais uma vez, não trouxe para a seleção a boa fase que vive no Liverpool. Coube a um paraguaio ser o destaque do jogo. O goleiro Gatito Fernandez fez outra atuação espetacular que ajudou a levar o empate até o fim.

Nos pênaltis, o primeiro grande momento foi brasileiro. Alisson pegou a cobrança inicial e os três primeiros batedores do Brasil marcaram, até Roberto Firmino chutar longe do gol e deixar a pressão para Gabriel Jesus na última cobrança. O atacante do Manchester City acertou e classificou o Brasil para as semifinais. A seleção agora vai jogar com a Argentina na semi final.

Daniel Fernandes – 7 Período

Seleção feminina vence a Itália em dia de recorde de Marta

Brasil está classificado para as oitavas de final da Copa do Mundo

Na tarde de terça (18) a seleção brasileira feminina venceu a Itália por 1 a 0 e deixou bem encaminhada a classificação para a próxima fase, que se concretizou após o fim da rodada. O gol marcado por Marta foi de pênalti e agora a camisa 10 brasileira é a maior artilheira da histórias das Copas do Mundo.

Com o primeiro tempo bem disputado era difícil dizer quem se sairia melhor. Sem Formiga, suspensa pelo segundo cartão amarelo, o Brasil começou a partida com Andressinha de titular, substituição que caiu muito bem na equipe, tomando conta do meio-campo ofensivo e oferecendo perigo nas bolas paradas.

IMG_20190619_092619

Brasil vence Itália e está nas oitavas de final (Foto: Reprodução/Twitter FIFA)

No segundo tempo, só o Brasil atacou, e a seleção italiana, acuada na área, acabou cometendo pênalti na camisa 9, Debinha, que fez sua melhor partida até aqui. Coube a Marta a responsabilidade de marcar o gol da vitória brasileira.

Foi o 17° gol de Marta em Copas do Mundo, passando Ronaldo com 15 gols e o alemão Miroslav Klose, com 16, ela agora é a maior artilheira da história das Copas. A jogadora amadora Andressa Santos fala sobre a atuação da seleção: “A Marta é importantíssima pra seleção, mas ontem a Debinha e principalmente a Andressinha foram as melhores jogadoras. Foi o melhor jogo do Brasil nessa Copa”.

Ela comenta ainda sobre o recorde de Marta: “Mais um recorde importante, não só pra Marta mas também para a seleção feminina, que já tem a Formiga, com o maior número de Copas disputadas (7), e a Cristiane, que é a maior artilheira da historia dos Jogos Olímpicos (14 gols)”.

Daniel Fernandes – 7° Período