Esporte

Anatomia dos “fora de série”

Conheça três incríveis atletas que estão escrevendo uma nova história do esporte mundial

Lendas do esporte não aparecem o tempo todo. São precisos anos ou mesmo décadas para que surjam atletas do nível de Nadia Comăneci, Mohammed Ali ou Ayrton Senna. Contudo, o século XXI nos presenteou com novas super estrelas e possíveis ícones para as futuras gerações. Usain Bolt, Serena Williams e Yelena Isimbayeva reinaram no início da década, e agora é a vez de três jovens ressignificarem a palavra “imbatível”.

Com performances impressionantes e domínio absoluto em seus esportes, o maratonista Eliud Kipchogue, a ginasta Simone Biles e o lutador Khabib Nurmagomedov estão alcançando marcas até então consideradas impossíveis. Cada um deles têm uma história diferente, mas em comum a habilidade de fazer parecer fácil o que para os adversários é algo inalcançável.

Eliud Kipchoge

O Quênia sempre foi um país famoso por seus corredores de longa distância, e talvez seja uma das maiores hegemonias do esporte. No norte do país nasceu quem hoje é melhor maratonista do mundo: Eliud Kipchoge. Com 34 anos, Kipchogue começou sua carreira aos 19, e ainda como atleta sub-20 já obtinha tempos assombrosos até para profissionais. Em sua primeira competição internacional, ganhou a medalha de ouro nos 5000m no Mundial de Atletismo de Paris entre os adultos. Kipchoge dominou a prova dos 5000m entre 2003 e 2011. Era inevitável que o atleta quisesse aumentar o nível do desafio e partir para distâncias mais longas.

Kipchoge logo após a conquista do ouro nas Olimpíadas do Rio. (Foto: Reprodução/Twitter)

O ex corredor Alisson dos Santos comenta sobre essa transição: “Essa mudança da média para longa distância é comum, mas o Kipchoge fez de forma tão brilhante, que parece que corre maratona desde criança”, diz. Em 2014, Kipchoge venceu as disputadíssimas maratonas de Roterdã, Chicago e Londres, conquistou também a vitória em Berlim, em 2015, e o sonhado ouro olímpico nos Jogos Rio 2016. Apesar disso, sua consagração veio em Berlim, em 2018, quando bateu o recorde oficial da maratona, com o tempo de 02:02:37. Em 2019, ele conseguiu correr a mesma distância em menos de duas horas, mas como não era uma prova oficial, o recorde não foi homologado.

Simone Biles

Outra grande atleta que se consagrou recentemente foi uma menina de 22 anos e 1,42m: Simone Biles. Com pouca idade e menos de um metro e meio de altura, Biles é dona de um talento assombroso. Sua curta, porém, já muito vitoriosa história na Ginastica Artística mostra o quão meteórica é sua carreira. No Mundial da Antuérpia em 2013, Biles, com apenas 16 anos, foi a maior vencedora do campeonato, com 2 medalhas de ouro e uma de bronze. Era só o começo de uma dominação, que em Stuttgart 2019 chegou no seu ápice. Com 25 medalhas, sendo 18 de ouro, Biles é a maior medalhista da história dos campeonatos mundiais.

Não são apenas os números de Simone Biles que impressionam. Ela é muito superior mesmo competindo contra uma geração fortíssima, formada por nomes como Ellie Black, Angelina Melnikova e Flávia Saraiva. A precisão, plasticidade e dificuldade de seus movimentos fazem dela um fenômeno do esporte. Nos Jogos Rio 2016, Biles vinha com o objetivo de conquistar sua primeira medalha olímpica e acabou voltando para casa com quatro medalhas de ouro e uma de bronze. Com todas as chances de ser a maior ginasta da história, ela diz que ainda está longe, mas faz questão de falar que não é a nova Nadia Comăneci, é a primeira Simone Biles.

Simone Biles com sua coleção de medalhas em mundiais. (Foto: Reprodução/Twitter)

Ela é também reconhecida entre seus treinadores por conseguir aprender novos e dificílimos movimentos bem mais rápido que suas companheiras de treino. Sua potência muscular e altura também ajudam. Se comparada a outras atletas, Biles é mais baixa até do que a brasileira Flávia Saraiva, que é três centímetros mais alta, porém bem mais leve.

Para as Olimpíadas de Tóquio 2020, ela já está classificada e deve ser mais uma vez medalhista em todas os aparelhos que disputar, além da competição por equipes, na qual os Estados Unidos têm um time muito forte: Simone Biles, Gabrielle Douglas, Aly Raismann e outras duas atletas que ainda devem ser selecionadas para a equipe conhecida como ‘The Fierce Five’.

Khabib Nurmagomedov

De um dos lugares mais isolados do mundo, o Daguestão, na Rússia, uma onda de grandes lutadores de MMA vem ganhando o mundo. Os nomes quase impronunciáveis desses atletas estão cada vez mais sendo falados, especialmente, o do maior deles: Khabib Nurmagomedov. Ele é hoje campeão mundial dos pesos leve e o maior invicto do UFC, com um histórico impressionante de 28 vitórias e nenhuma derrota.

O ex duplo campeão Conor McGregor foi derrotado com facilidade por Khabib.(Foto: Reprodução/Twitter)

Khabib é incrivelmente dominante contra uma divisão de estrelas, como Edson Barboza, Tony Ferguson e o ex duplo campeão, Conor McGregor. Além da luta, ele chama a atenção por alguns aspetos da vida particular, já que pela tradição do Daguestão, o filho mais novo deve cuidar dos pais até o final da vida deles, então Khabib, com 31 anos, casado e multimilionário, ainda mora na casa dos pais. O pai dele, aliás, é ex campeão de Sambo (Arte marcial russa) e seu principal treinador, dono de métodos pouco ortodoxos, como em alguns vídeos em que Khabib é visto nadando contra a forte correnteza de um rio e treinando Luta agarrada com um pequeno urso.

Contudo, o próprio pai dele achava que o filho só iria competir a nível mundial se fosse treinar nos Estados Unidos. Por isso, Khabib foi para a Califórnia, treinar na ‘American Kickboxing Academy’, ao lado do ex campeão Daniel Cormier e do lendário nocauteador peso-pesado, Cain Velásquez. Lá, ele aperfeiçoou sua técnica e se tornou imbatível em sua categoria.

Seus próprios adversários reconhecem a incrível superioridade na luta agarrada, é o que comenta o treinador de Rogério de Freitas: “Ele não é nem de longe um dos mais fortes, mas tecnicamente é o melhor que já vi, incomparável. Acho que hoje têm pouquíssimos lutadores que podem sobreviver cinco rounds contra ele, talvez o Ferguson”, afirma. Tony Ferguson, aliás, deverá ser o próximo adversário de Khabib, uma luta muito aguardada já que foi adiada quatro vezes, devido a lesões dos atletas.

Daniel Fernandes – 8° Período

0 comentário em “Anatomia dos “fora de série”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s