Comportamento

Coronavírus: especialistas falam sobre a importância de continuar exercícios em casa

Profissionais usam rede social para manter contato e ajudar as pessoas durante isolamento

Com a recomendação do distanciamento social e fechamento de estabelecimentos comerciais para evitar propagar o coronavírus, muitas pessoas deixaram de ir trabalhar, estudar e ir à academia se exercitar. Com isso, trabalhos físicos e acompanhamentos diários deixaram de ser presenciais e passaram a ser virtuais. Por meio de lives em redes sociais, professores, personal treinners e nutricionistas movimentam a Internet para não deixarem seus alunos e pacientes sozinhos nessa quarentena.

Para o professor de Educação Física e personal trainer Gustavo Peixoto, o isolamento trouxe grande impacto nas academias e pode acarretar sedentarismo por parte dos alunos. “Neste momento, professores e alunos precisam caminhar juntos para continuar os exercícios em casa”, afirma, categórico.

“O sedentarismo hoje é uma das maiores causas de mortes da humanidade e o melhor remédio não farmacológico para enfrentá-lo é a prática de exercícios. Com a chegada do Covid-19, a quarentena foi inevitável e, junto com ela, as academias também fecharam e muitos alunos se tornaram “órfãos” de uma atividade física. A rotina de treino que antes era de cinco vezes na semana, se torna zero. Cabe ao profissional não deixar os alunos sozinhos e também cabe a vontade do aluno de escolher entre continuar se exercitando ou ficar em casa comendo só besteiras e assistindo Netflix”, comenta ele.

Gustavo Peixoto, que é personal trainer e pós graduado em bases do treinamento personalizado, nutrição esportiva e medicina avançada sugere que os exercícios sejam continuados em casa durante a quarentena. (Foto: Reprodução Redes Sociais)

“A tecnologia e a vontade do ser humano de se socializar tornaram a quarentena um pouco menos dolorosa e agonizante, trazendo informações de treinos e exercícios”, lembra o professor.

Com a tecnologia a seu favor, o professor usa através de sua conta no Instagram, as lives para manter contato com seus alunos e ajudá-los a manter a forma física. No entanto, ele admite um ponto negativo: não poder corrigir, caso o aluno esteja fazendo um movimento errado. Além disso, frisa que todos devem ter consciência dos seus limites para não sofrerem lesões:

“Infelizmente, as redes sociais têm seus pontos positivos e negativos, e não há como saber se quem está do outro lado da tela está fazendo certo ou errado. Se o exercício tem um grau de dificuldade alto, quem estiver fazendo tem que ter ciência do risco, já que não estarei lá pra auxiliar. Pessoas com mais tempo de academia e práticas de exercícios têm uma aprendizagem motora mais ajustada, possibilitando-os de executarem sem quaisquer dificuldades”, analisa o personal.

Criatividade nos exercícios durante a quarentena
Como os recursos para um exercício completo são limitados, Gustavo fala da criatividade dos profissionais na hora de elaborarem as atividades e da importância de continuar praticando, mesmo através de lives. Nesse sentido, ele também alerta que, por mais que haja influenciadores que fazem transmissões, como forma de incentivo, as pessoas não devem confiar apenas neles, se os mesmo não tiveram estudos e bases para tal.

“Estudamos muito e batalhamos dia a dia para ter portfólio e conhecimento para passar, até mesmo em momentos extremos como esse. O professor de educação física é reconhecido sempre por sua criatividade e agora não é diferente, seja na escola ou até mesmo em academias, e esse está sendo o momento de provar que podemos ajudar”, completa Gustavo.

Tentando manter o mesmo ritmo de treinos, mas com preocupações maiores por ser dono de academia, o também professor e personal trainer, Douglas Gevegiy, também foi impactado pela quarentena: “Financeiramente, afetou 60% na entrada de capital. Na rotina, 100%, pois trabalhamos apenas com essa fonte de renda”, comenta.

Para Douglas, o prejuízo não foi maior, ainda, pois a maioria dos alunos têm seu vencimento posterior ao dia 15. Apesar das dificuldades, para não deixar os alunos de lado, sua academia, que tem endereço fixo em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, migrou temporariamente para a plataforma digital, com vídeos no Instagram todos os dias, na parte da manhã: “Estamos disponibilizando vídeos diários com rotinas de treinamento para que os alunos não fiquem parados, com materiais que possam tem em casa”, conta o professor.

Outra questão que não pode ser esquecida é a alimentação. Para a nutricionista Larissa Figueiredo, o distanciamento em si não prejudica a alimentação das pessoas, mas as restrições, incertezas sobre como o país vai lidar com as consequências e o medo de perder um ente querido são fatores que podem vir a gerar uma ansiedade e dificuldade de seguir na dieta:

“Muitos acabam descontando essa ansiedade na comida, beliscando várias vezes por dia, desregulando horários da alimentação, dormindo tarde e fazendo lanches noturnos. Além disso, é preciso tomar cuidado com o excesso de pedidos em serviços de entrega de comida”, alerta.

“A compulsão por fast-foods também se encontra presente nesse momento”, lembra Larissa Figueiredo.
(Foto: Reprodução Redes Sociais)

Como está impossibilitada de manter contato pessoalmente, Larissa faz lives em seu perfil profissional no Instagram todas as quintas, para acompanhar, mesmo de longe, como estão os pacientes, passar algumas dicas e também ganhar novos seguidores e possíveis pacientes:

“As lives nos fazem ter contato com pessoas que precisam de ajuda mas não podem arcar com os custos de uma consulta no momento ou apenas admiradores”, conta.

Considerando que as redes sociais são ferramentas úteis para a troca de informações, a nutricionista acredita que esse elo formado faz com que as pessoas tenham forças para evitar a solidão na quarentena, possam desabafar e trocar experiências. “A intenção é mostrar para todos que estamos juntos nesse momento”, completa Larissa.

LEIA TAMBÉM: Home office: desafios e regalias durante a quarentena
LEIA TAMBÉM: Como lidar com a solidão durante a quarentena
LEIA TAMBÉM: Coronavírus: cientista político analisa medidas governamentais em meio à pandemia
LEIA TAMBÉM: Populares comentam divergências de governantes sobre a pandemia

Hudson Lisboa – 6º período

4 comentários em “Coronavírus: especialistas falam sobre a importância de continuar exercícios em casa

  1. Fernanda lopes

    Excelente profissional!!!!

  2. Pingback: Populares comentam divergências governamentais diante do coronavírus | Agência UVA

  3. Pingback: Home office: desafios e regalias durante a quarentena | Agência UVA

  4. Pingback: Estudantes aproveitam o isolamento social e investem em cursos online | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s