Entretenimento

Mídia física de vídeo se mantém viva graças à fidelidade de colecionadores

Apesar do sucesso dos majoritário dos serviços de streaming, os DVDS e Blu-ray ainda conseguem se manter em alta devido aos colecionadores e também empresas que sustentam esse mercado ainda.

Uma mídia que fez muito sucesso no passado e que hoje, devido ao sucesso estrondoso dos streamings de vídeo como Netflix, Prime Video, Disney Plus entre outros, perdeu seu lugar dominante neste mercado de filmes é o caso dos Dvds e também Blu-rays. Porém, apesar de todos esses contras atualmente, esta indústria tem conseguido se reerguer apesar da concorrência desenfreada.

É nítido que com a ascensão dos streamings, essas mídias antigas como a de DVD e também Blu-ray poderiam perder seu espaço no mercado, talvez até ocasionando sua extinção, como foi com a passagem do VHS para DVD, em que a evolução da tecnologia dos aparelhos teve uma mudança bem aceita pelas empresas e também consumidores.

O designer gráfico, Lucas de Paula Silva, de 24 anos, conta que apesar da praticidade e simplicidade dos serviços de streaming, ele ainda coleciona as mídias físicas como uma forma de reconhecimento por aqueles filmes que o marcaram e também para homenagear um produto que fez parte da sua vida.

“Acho que o maior trunfo do streaming é a praticidade, de entrar naquela tela e dar um play em qualquer filme, sem precisar esperar uma entrega ou um download. Já a mídia física eu vejo quase como um tributo àquela obra. Eu gosto de contribuir com as coisas que eu gosto, os filmes não são diferentes, comprar a mídia física é minha forma de dizer que aquela obra me impactou de alguma forma e quero recompensar os criadores por isso”, afirma Lucas.

as fitas cassete também marcaram época como os DVDS. (Foto: Desefoto)

O turismólogo de 34 anos, Ernane Pedro Ribeiro Rios, explica de onde vem sua paixão pelas mídias físicas de filmes, fazendo um apelo para que os colecionadores não desistam destes produtos, porque assim conseguirão sustentar este mercado.

“Comprei meu primeiro aparelho de DVD, um modelo D-10 da Gradiente, em 2001. Naquela época eu já colecionava VHS, inclusive as fitas do 007 da Coleção Caras, dentre outras. Mas o DVD parecia um sonho realizado: você tinha o filme num disco tal qual o CD, a melhor mídia disponível na época, sem precisar rebobinar, escolher dublado ou legendado, e ainda por cima, muitas vezes, tinha acesso ao material extra, que pra mim era, continua sendo e sempre será um delírio. Se depender de mim, a mídia física nunca morrerá. Os colecionadores não devem desistir”, comenta Ernane.

Um grande ponto para essa crise neste tipo de setor se deve à chegada dos serviços de Streaming, uma transformação que começou com a Netflix, que deu origem á este novo mercado. A empresa que iniciou suas atividades nos anos 1990 como um serviço de locação de DVDS, só em 2007 decidiu se aventurar em um novo mercado: a de plataforma de filmes e séries online. O sucesso desta nova tendência para a época foi tão avassaladora que, após 5 anos atuando, já contava com 33 milhões de clientes em todo o globo.

Fábio Martins, dono da FAMDVD, empresa especializada em distribuição de filmes em mídia física, comenta como surgiu a ideia de criar a firma, devido a demanda dos colecionadores. Ele também comenta como foi a passagem de 2020 para 2021 com a indústria trabalhando neste mercado.

“A FAMDVD surgiu da minha insatisfação como colecionador. recebia pedidos em saco plástico que muitas vezes vinha danificados. Era complicado para trocar e por isso a FAMDVD sempre manda nas famosas caixinhas brancas e o atendimento é bem pessoal. Humaniza. Sempre digo que o jogo não está ganho. Nos mantêm em alerta. A loja vai muito bem graças aos carinhos dos colecionadores. Eles pedem e nós tentamos executar. Sempre vamos trazer títulos que eles pedem. 2020 realmente começou e os colecionadores estavam desanimados pois muito pouca coisa estava saindo. O processo de resgate começou quando relançamos o filme “A Bruxa”. Em seguida outras lojas começaram a lançar também. Mas temos que agradecer aos colecionadores pois eles acreditaram e começaram a comprar e apoiar as lojas. 2021 está melhor que 2020 e ainda temos uma associação que também está trazendo títulos”, enfatiza Fábio.

Apesar de tudo isso, a mídia física ainda se mantém viva, muito devido a algo que é bastante defendido pelas empresas que atuam nesta área: os chamados colecionadores. Estes que, em alguns casos podem até ser assinantes de streamings, não deixam de contar com seus conteúdos em mídia física, também. Um ponto para os colecionadores optarem por manter esse tipo de formato frente ao streaming se deve á “volatilidade do conteúdo”, que se trata dos conteúdos que estão nesses serviços mas podem sair a qualquer hora, ou seja, o cliente paga um preço pelo streaming, mas não é dono dos filmes.

“Streaming é a bola da vez. É um serviço muito bom, mas ele não atende aos colecionadores. O colecionador quer ver seu item nas mãos. Na sua coleção. Começar a assistir um seriado e de repente tiram do catalogo. Colecionador não passa por isso. A Disney ir embora do país como uma decisão por exemplo para focar no Disney Plus foi um erro mas quem sabe no futuro isso seja revisto e como em outras partes do mundo o Disney Plus conviva com a mídia física”, comenta Fábio.

Os boxes da série Friends também fazem parte de uma coleção rara. (Foto: Enjoei)

O estudante de administração, Yuri Macau, de 24 anos, comenta sobre suas principais coleções de mídia física e porque elas tem tanto valor emocional para o colecionador.

“Box de stargate SG-1 que paguei com meu dinheiro, e o box digipak de Star Wars que meu pai adquiriu, foram momentos diferentes mas que em comum têm a memória envolvida e seus marcos, Star Wars foi a primeira franquia que meu pai me apresentou e Stargate a primeira série mais adulta que assisti enquanto criança, então ter esses itens materiais para poder abrir, olhar, e rever para mim é sensacional por tudo que representam”, explica Yuri.

A prática de colecionar filmes através do formato DVD e Blu-ray, faz os compradores se sentirem como os verdadeiros donos destes produtos, sem ficar a mercê de parcerias que acontecem com a maioria dos serviços de streaming. Além deste conteúdo, estas mídias podem proporcionar uma experiência gráfica mais agradável. Como por exemplo, a presença da embalagem e materiais inéditos, fazendo com que estes produtos aparentem ser tão invejáveis e dignos de serem colecionados como camisas, action figures e outros produtos que conseguem atrair tantos desses colecionadores.

A coleção especial da franquia de filmes Akira acompanha um pôster como brinde. (Foto: Enjoei)

Esse material especial que é oferecido para os fãs mais excêntricos, na maioria dos casos é achado somente fora do Brasil, como por exemplo o Box Set da franquia Alien, que conta com os 4 filmes, lançado no ano de 2002, com a capa do produto como a cabeça do ser extraterrestre. Já por aqui, as empresas responsáveis pela distribuição de filmes adotaram disponibilizar livretos, cartões, pôsteres e o mais desejado, o steelbook. O que mais diferencia esta indústria é o material que é oferecido para os fãs. Como remasterização de filmes, cenas dos bastidores, erros de gravação, entre outros conteúdos que são oferecidos nestes produtos.

A coleção set box do Alien é traz os quatro filmes da franquia em um produto só. (Foto:M&J´s Collection)

Um fato atual é que os DVDS e também Blu-rays não são mais concorrentes dos Streamings e sim um complemento desses conteúdos cinematográficos. Atualmente o cenário é dominado pelos serviços de assinatura, e por terem conseguido perseverar até hoje, as mídias físicas ainda conseguem ter seu lugar no coração dos colecionadores e também no mercado.

Para que essas mídias físicas continuem lutando com afinco neste mercado cada vez mais competitivo, ainda é necessário que consigam conquistar este novo público, majoritariamente mais jovem, que não teve a oportunidade de experienciar a nostalgia e apreço por essa mídia que aconteceu com as gerações mais antigas como por exemplo com as locadoras de filmes Blockbuster em que os clientes iam sempre nos fins de semana e alugavam filmes para ver em família. Foi um símbolo que marcou época.

Leia Também: Audiovisuais: das mídias físicas às plataformas de streaming

Leia Também: Netflix: da aposta ao sucesso absoluto

Rafael Barreto – 8º período

4 comentários em “Mídia física de vídeo se mantém viva graças à fidelidade de colecionadores

  1. Pingback: UEFA muda o local da decisão da Liga dos Campeões: populares e especialistas comentam sobre a mudança | Agência UVA

  2. Pingback: Devido a falta de diversidade, a transmissão do Globo de Ouro 2022 é cancelada pela NBC | Agência UVA

  3. Pingback: Quadro de Picasso é vendido em leilão em Nova York por US$ 103,4 milhões de dólares | Agência UVA

  4. Pingback: A TV por assinatura ainda tem espaço no mercado? | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s