Literatura

Dia da Língua Portuguesa é celebrado com programação voltada à cultura de diferentes nacionalidades

Museu da Língua Portuguesa prepara programação em homenagem ao dia internacional do idioma

Em celebração ao dia 5 de maio, Dia Internacional da Língua Portuguesa, o Museu da Língua Portuguesa decidiu fazer uma programação especial. A fim de promover a integração cultural, o espaço convidou alguns artistas para discutir as questões que envolvem a língua e a diversidade de culturas.

A programação online conta com aulas do músico José Miguel Wisnik, apresentação do músico Tom Zé, encontro com os escritores José Eduardo Agualusa (angolano), Mia Couto (moçambicano) e Inês Pedrosa (Portuguesa) e uma mesa de discussão sobre funk e literatura com os administradores dos perfis Funkeiros Cults, Se Poema Fosse Funk e Favela Business no Instagram e do coletivo PerifaCon.

A instituição localizada em São Paulo, que foi fechada no dia 15 de dezembro de 2015 após ser atingida por um incêndio, estava em reconstrução e tinha previsão de reabertura no primeiro semestre de 2020, mas acabou sendo adiada devido à pandemia.

Em relação à programação organizada pelo museu, o músico e compositor Lucas Rosa diz que é de “extrema importância haver a participação de escritores estrangeiros, porque essa mistura de culturas nos permite ter uma visão mais ampla de mundo e não somente a nossa”.

“A língua portuguesa é, na minha concepção, a língua mais bonita de se falar, não é à toa que também é uma das mais difíceis de se aprender. Talvez eu tenha esse amor todo pois é com ela que eu e milhares de artistas nos expressamos, sendo ela, muitas das vezes, nossa válvula de escape”, afirma Lucas.

A data foi mencionada diversas vezes durante a semana em plataformas midiáticas e trouxe a questão da literatura para a pauta.

A engenheira cabo-verdiana Deusa Rosa afirma que esse tipo de evento é importante para promover acolhimento e integração cultural entre os países. Ela explica que em Cabo Verde as línguas faladas são Crioulo cabo-verdiano e Português, e que o último é mais próximo da língua falada em Portugal do que no Brasil. Deusa ainda reforça que as principais diferenças entre os idiomas são as palavras com a mesma escrita e significados bem diferentes.

“Embora todos falem a mesma língua, oficialmente a portuguesa, são diferentes, cada um com sua peculiaridade”, ressalta Deusa.

A coordenadora do curso de Letras e professora de Direito Anne Morais também ressalta as importâncias do incentivo à busca pelo conhecimento através da leitura. A coordenadora acredita que as novas medidas governamentais de corte de verbas direcionadas à pesquisa e tentativa de taxação de livros dificultam ainda mais o letramento em nosso país, onde a taxa de analfabetismo já alcança 6,6% de acordo com o último censo do IBGE, realizado em 2019.

Anne ainda afirma que é muito importante pensar nos grandes literatos no dia internacional da Língua Portuguesa, sejam escritores brasileiros, angolanos, moçambicanos ou portugueses.

“Como já dizia o escritor peruano Mario Vargas Llosa em seu texto chamado Sobre a literatura: ‘Nada nos protege melhor da estupidez do preconceito, do racismo, da xenofobia, do sectarismo religioso ou político e do nacionalismo excludente do que esta verdade que sempre surge na grande literatura: todos são essencialmente iguais’. E diz mais: ‘O elo fraternal que a literatura estabelece entre os seres humanos transcende todas as barreiras temporais. A sensação de ser parte da experiência coletiva através do tempo e do espaço é a maior conquista da cultura, e nada contribui mais para renová-la a cada geração do que a literatura’. Precisamos muito desse elo hoje, momento de profunda crise sanitária e política de nosso país”, diz Anne.

“Ler é adquirir repertório para ler o mundo, para repensar a sociedade em que vivemos, inclusive para refletir sobre uma sociedade que não valoriza a literatura, o conhecimento”, acrescenta Anne.

O primeiro-ministro português, António Costa, fez uma declaração sobre a força da língua portuguesa nesta quarta-feira, 5 de maio. “É a única grande língua mundial em que todos os países que a falam estão distantes geograficamente. A presença da Língua Portuguesa em vários continentes confere-lhe, naturalmente, uma dimensão global. Da Língua Portuguesa vê-se o mundo. Essa é a sua principal força”.

Outra personalidade importante que falou sobre a celebração foi o secretário geral da ONU, António Guterres. “Celebramos este Dia Mundial num contexto de desafios complexos. As línguas têm um papel insubstituível enquanto traço da união entre povos, onde a diversidade e a multiculturalidade ganham raízes. Contudo a sua maleabilidade presta-se também à propagação de desinformação. O papel da língua portuguesa e de todas as línguas na mobilização e disseminação do conhecimento e da informação credível e verificada será particularmente importante no presente e no futuro. A riqueza de uma língua mede-se pela diversidade e pela inclusão das suas vozes”.

Malu Gayoso – 1° período

Sob supervisão de Julia Barroso – 8° período

LEIA TAMBÉM: Proposta de taxação de livros causa revolta nas redes sociais

LEIA TAMBÉM: Após divulgação do curta “Save Ralph”, marcas e consumidores se mobilizam nas redes sociais

4 comentários em “Dia da Língua Portuguesa é celebrado com programação voltada à cultura de diferentes nacionalidades

  1. Muito bomm!!

  2. Incrível!!!

  3. Pingback: Girl From Rio: confira tudo sobre o novo clipe de Anitta | Agência UVA

  4. Pingback: Cidades e estados tentam aprovar lei a favor do ensino domiciliar, durante a pandemia | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s