Saúde

Dia Mundial do Coração: doenças cardiovasculares em mulheres transpassam as estatísticas de câncer de útero e de mama

Mulheres acima de 40 anos são as mais favoráveis a desenvolver doenças do coração chegando a retratar uma taxa de 30% das mortes, sendo a maior da América Latina.

Nesta quarta-feira 29 de setembro, é comemorado o Dia Mundial do Coração uma data cujo objetivo é alertar a todos sobre o quão importante é cuidar de um dos órgãos mais fundamentais do corpo humano.

No caso das mulheres, a preocupação é ainda maior. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), as cardiopatias correspondem a um terço das mortes de mulheres no mundo todo, tendo um total de 8,5 milhões de óbitos por ano.

Doenças cardiovasculares em mulheres como hipertensão, ataque cardíaco, insuficiência cardíaca e arritmia cardíaca, são grandes fatores de risco para propiciar o infarto. Porém, muita das vezes, os sintomas são ignorados, pois os mesmos não se assemelham com os dos homens.

Ilustração de uma mulher sofrendo com problemas cardiovasculares.
Créditos: http://www.tuasaude.com.br

O médico cardiologista Thales Petry explica que o principal motivo é hormonal, que facilita a formação de trombos, podendo haver uma trombose na artéria coronária após o rompimento de uma placa, gerando o infarto.

”Após a menopausa, o organismo feminino tem mais dificuldade no manejo dos lipídeos e acaba tendo um aumento no LDL que pode facilitar a formação de placas ateroscleróticas”, afirma o cardiologista

O médico ainda completa assegurando que o infarto se torna mais frequente que um câncer de mama. Segundo ele, muita das vezes os sintomas são falta de ar e indisposição, não aparentando a dor no peito como muitos julgam ser comum para um princípio de infarto.

LEIA TAMBÉM: Nova variante do Coronavírus chama atenção de especialistas

Durante a pandemia, os cuidados com a contaminação da Covid-19 para aqueles que possuem alguma comorbidade ligada ao coração foram totalmente redobrados pelos altos riscos de desenvolver complicações. Para a nutricionista Paola Reis, uma boa alimentação é o fator mais importante para combater e evitar a doença cardiovascular.

”O hábito de se alimentar bem no dia a dia é a melhor prevenção sem sombra de dúvidas, ainda mais no contexto da pandemia onde por muito tempo ficamos confinados sem a prática de atividade física”, diz a nutricionista.

Paola ainda dá dicas de alimentos que ajudam na saúde do coração, como: carnes magras, aveia em flocos, farelo de aveia, frutas ricas em pectina, grãos, legumes e hortaliças, principalmente verdes escuras, entre outros. Por fim, a nutricionista ainda reforça a importância de evitar o uso de bebidas alcoólicas, cigarro e não deixar de praticar atividades esportivas.

A corretora de seguros Sônia Maria Dias de 57 anos, portadora de hipertensão e diabetes há 10 anos, conta como a sua luta pela Covid-19 foi bastante difícil, principalmente os dias que precisou ficar no hospital.

”Fiquei bastante apreensiva pois com os problemas pré-existentes tudo se tornava ainda mais difícil principalmente com o uso das medicações influenciando no aumento da minha glicose e a saturação muito baixa”, conta a corretora que precisou ficar internada cerca de 10 dias sendo 8 deles no CTI e 2 no quarto se recuperando.

Sônia ainda diz que frequentava academia constantemente antes de surgir a pandemia, mas que após as determinações de isolamento social, precisou parar. A corretora de seguros ainda conta que por trabalhar em casa, fica muito ansiosa. Isso resultou no consumo excessivo dos alimentos e no relaxamento dos exercícios, que deixou de praticar regularmente como antes.

Com os princípios de infarto se tornando cada vez mais frequentes, a atenção aos sintomas precisam ser redobradas. Confira abaixo uma lista contendo alguns sintomas que devem ser observados atentamente:

Sintomas comuns

  • Incômodo ou dor na região peitoral em forma de aperto, podendo se espalhar para o braço esquerdo, rosto e costas
  • Palidez
  • Suor frio
  • Falta de ar
  • Sensação de desmaio

Sintomas atípicos

  • Dor no abdome, equivalente a uma gastrite
  • Enjoo
  • Mal-estar
  • Cansaço excessivo

LEIA TAMBÉM: Ministério da Saúde confirma dose de reforço na vacinação contra a Covid

Maria Clara Coelho – 1º período

Com revisão de Mayara Tavares – 6º período

3 comentários em “Dia Mundial do Coração: doenças cardiovasculares em mulheres transpassam as estatísticas de câncer de útero e de mama

  1. Pingback: OMS aponta para avanço da vacinação em massa contra a malária, na África | Agência UVA

  2. Pingback: OMS recomenda a vacinação em massa contra a malária, na África | Agência UVA

  3. Pingback: Nos EUA o uso da aspirina em início de tratamento na prevenção de infarto e AVC não é mas recomendado | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s