Saúde

Nova variante do Coronavírus chama atenção de especialistas

A variante "Mu" é monitorada pela OMS e é classificada como uma variante de interesse

Os vírus evoluem constantemente e, em casos de muitas mutações, acabam por se converter em variantes. É o caso da Mu, variante da covid-19 recém-detectada na Colômbia que vem se espalhando pelos países. A Organização Mundial da Saúde (OMS) a considera como uma variante de interesse e segue acompanhando o seu comportamento e impactos no organismo humano.

Embora não haja, por enquanto, algum estudo que mostre que essa seja uma variante de preocupação, os cientistas permanecem em alerta. Segundo Julival Ribeiro, médico infectologista e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), um dos motivos que justificam o aparecimento de novas variantes é o aumento de casos do novo coronavírus.

“Quanto maior o número de casos da Covid-19 ocorrendo no mundo, a probabilidade de ocorrer novas variantes é um caso concreto”, disse Julival. Essas mutações podem acarretar variantes de interesse, tal como a Mu, assim como podem levar a casos como a da Delta, variante de preocupação.

Certas mutações desta nova variante intensificam estudos de cientistas. (Foto por Lucas Vasques)

Além da vacinação, Julival Ribeiro diz que a melhor maneira de evitar essas mutações é por meio das medidas preventivas, que precisam continuar, até mesmo para as pessoas vacinadas com as duas doses.

As medidas de proteção, como o uso da máscara tapando a boca e o nariz, a ausência de aglomeração, locais fechados e higienização das mãos, são de extrema necessidade pois evitam o contato com a variante Delta, muito mais transmissível.

“A vacinação é a melhor arma para a gente diminuir os casos da Covid-19 não só no Brasil, mas no mundo, porque quanto mais casos ocorrem na população mundial, maior é a probabilidade de ocorrer mutações e de vir uma nova variante. Até agora, não aconteceu, mas pode ser que surja uma variante que altere a reação da vacina ou que seja mais grave. Até agora, não temos nenhuma variante com esse comportamento”, explicou o médico infectologista.

LEIA TAMBÉM: Ministério da Saúde confirma dose de reforço na vacinação contra a Covid

Em uma live feita no seu canal no Youtube, o Biólogo, Pesquisador com formação em Microbiologia e Doutor em Virologia Átila Iamarino, explica ao público o porquê de variantes como a Mu não representarem a nomenclatura de variante de preocupação.

O Doutor em Virologia afirma que considerando o atual cenário, os vírus com maior capacidade de reprodução e transmissibilidade são aqueles que mais recebem favorecimento. Por isso, o esperado é que as variantes que mais se encaixem nesses termos, predominem.

“Eu não colocaria nenhuma das duas (variantes), nem a Mu, nem a C.1.2, como variantes preocupantes ou algo que a gente tem que prestar atenção no Brasil. A evolução favorece quem mais se reproduz, sempre, no fim das contas”, contou o biólogo.

De acordo com Átila Iamarino, quem ocupa esse espaço no Brasil é a Delta, já que ela tem mais afinidade pelas células, junto com mutações que indicam isso. Quando as pessoas deixarem de ser vulneráveis a ela, como por meio de vacina, sua predominância acabará, passando o bastão para os vírus que possuam mais escape imunológico, ainda que com menos capacidade de reprodução. É aí que entra a nova variante, Mu.

De acordo com o Ministério da Saúde, dentre as formas não-farmacológicas de se proteger estão o distanciamento social, higienização das mãos, etiqueta respiratória, uso de máscaras em serviços de saúde e na população em geral.

Harmonicamente, a recomendação que o infectologista Julival Ribeiro, integrante da SBI, e outros profissionais da área de saúde e adjacências dão é a da vacinação assim que possível, e manutenção das medidas de prevenção e controle.

“Procure se vacinar e continuar a usar as medidas preventivas. Nenhuma vacina existente no mundo é 100% eficaz. Ou seja, mesmo tomando essas doses da vacina corretamente, alguns casos da Covid-19 podem aparecer nessas pessoas vacinadas. Entretanto, a grande arma da vacina é prevenir casos graves, hospitalizações e mortes”, finalizou.

Até o momento foi identificado apenas um caso da variante Mu no estado do Rio de Janeiro, sem indícios de contaminação local. Já Minas Gerais é o estado com mais casos da variante no país, com cinco pessoas contaminadas, e o Amazonas com dois casos, até o momento.

LEIA TAMBÉM: Covid-19: OMS faz alerta e especialistas comentam atual momento da pandemia

Natally Valle – 2° Período

Com revisão de Bárbara Souza – 8° período

1 comentário em “Nova variante do Coronavírus chama atenção de especialistas

  1. Pingback: Dia mundial do coração: doenças cardiovasculares em mulheres transpassam as estatísticas de cancêr de útero e de mama | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s