Esporte

Paraolimpíadas Tóquio 2020: delegação brasileira emplaca quatro medalhas no primeiro dia de jogos

Com direito à quebra de recorde e dancinha no pódio, os atletas paralímpicos brasileiros se destacam na natação e conquistam uma medalha de ouro, uma de prata e duas de bronze

Na manhã desta quarta-feira (25), o Brasil conquistou seus primeiros pódios nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio. O nadador Gabriel Araújo dos Santos abriu o quadro de medalhas brasileiro ficando em segundo lugar nos 100m costas da classe S2, atingindo a marca de 2min02s47. O chileno Alberto Abarza ficou com o ouro e o bronze com o russo Vladimir Danilenko.

Descontraído, o atleta dançou no pódio e prometeu que momentos como esse se repetirão. “Eu falei que ia ter dancinha. Se tem pódio, se tem Gabriel, tem dancinha”, brincou o mineiro de 19 anos.

“Ficou um gostinho de quero mais, mas ainda tenho duas provas pela frente e vou em busca dessa tão sonhada medalha de ouro. A história do Gabriel Araújo está só começando”, disse o atleta ao portal Globoesporte.

Gabriel Araújo prata nos 100m Costas da classe S2 da Natação. Foto: Miriam Jeske/CPB.

Já a medalha de ouro veio com outro nadador de nome Gabriel, dessa vez o Bandeira. O atleta de Indaiatuba, São Paulo, venceu a final dos 100m borboleta da classe S14 em 54s76, estabelecendo um novo recorde Paralímpico na modalidade. O curioso é que Gabriel quebrou o recorde duas vezes no mesmo dia, anteriormente batendo o tempo de 56s78 nas eliminatórias da prova.

O atleta começou a competir oficialmente no ano passado e, já na sua estreia, arrebatou quatro medalhas de ouro nas categorias 100m e 200m livre, 100m costas, 100m peito, 100m borboleta e 200m medley.

O multimedalhista Daniel Dias e o atleta Phelipe Rodrigues conquistaram as medalhas de bronze para o Brasil. Na categoria de 200m livre na classe S5, Daniel conquistou seu 25º pódio paralímpico na carreira, alcançando a marca de 2m38s61. Phelipe garantiu a medalha na categoria 50m, classe S10, com o tempo de 23s50.

”Foram cinco anos muito difíceis. A gente ficou sem treinar, enfrentou muita coisa. Mas saber que minha família está me acompanhando, meus filhos, isso me deu força, independentemente do que está acontecendo aqui eu vou me divertir, vou chorar bastante. Meus últimos Jogos, então quero aproveitar cada momento”, afirmou Daniel ao portal Globoesporte.

A categoria do S1 ao S10 engloba atletas com limitações físico-motoras. Do S11 ao S13, competem os nadadores com deficiência visual. Já no S14, entram os nadadores com deficiência intelectual. Quanto maior o grau de comprometimento, menor será a categoria.

Confira também, no player abaixo, a entrevista com o atleta Paralímpico de badminton Gabriel Oliveira, de 21 anos, que comenta a grande estreia do Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio.

Entrevista com o atleta Paralímpico Gabriel Oliveira.

LEIA TAMBÉM: Comitê Olímpico Internacional (COI) mantém punições para quem protestar nos pódios

Rodrigo Barone – 6º período

Sob supervisão de Bárbara Souza – 8° período

2 comentários em “Paraolimpíadas Tóquio 2020: delegação brasileira emplaca quatro medalhas no primeiro dia de jogos

  1. Ótima matéria!

  2. Pingback: Sorteio da Champions League define embate entre favoritos na primeira fase | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s