Internacional

Investigação iniciada pela Alemanha busca apurar possíveis fraudes nos centros de testes da Covid-19

A investigação visa explicar se empresas responsáveis por fornecer testes rápidos de Covid, aumentaram a quantidade de exames com o intuito de serem reembolsadas pelo Estado.

No último sábado, dia 29 de maio, a Alemanha decidiu que irá intensificar as investigações quanto à faturação de testes acelerados da Covid-19, logo após diversas notícias terem saído na mídia, de que estão havendo fraudação por parte dos comerciantes que disponibilizam estes produtos.

Alemanha investiga possíveis fraudes envolvendo a Covid-19. (Foto: Matthias Rietschel/Reuters)

De acordo com esta investigação, um determinado centro de testes, responsável por diversos exames acerca do Coronavírus, divulgou ter feito 422 testes. O regimento informa que há reembolso de até 18 euros por cada teste, porém as unidades não tem a obrigatoriedade de disponibilizar publicamente todos os que foram atendidos pelo órgão. Devido a isso, as autoridades decidiram iniciar diversas investigações em várias dessas empresas que oferecem testes rápidos, tendo em vista o aumento de casos com a intenção de reembolso pelo Estado.

Na última sexta-feira, dia 28, a promotoria de Bochum, localizada no noroeste alemão, havia coordenado várias operações de busca e apreensão nas sedes e em domicílios que tinham ligação com uma empresa específica, responsável por fazer testes com antígeno. Já em Lubeck, no norte do país, o Ministério Público (MP), havia dado inicio a uma investigação, na qual uma empresa tem sido suspeita por fraude ligada ao faturamento e realização de testes rápidos. Nessa sexta também houve uma visita para inspeção em um centro de exames, ordenado pelas autoridades do setor de saúde.

Já há várias semanas, os testes são disponibilizados de forma gratuita para os cidadãos alemães em todas as cidades, seguindo os parâmetros de uma lei federal do país europeu, visando ampliar os diagnósticos. A lei ordena um reembolso de 18 euros por cada teste individualmente, porém inúmeras mídias explicaram que é muito difícil conseguir ter um controle sobre os dados desses exames.

O clínico geral, Ebenézer Ferreira Junior, explica a situação de saúde na Alemanha, afirmando que mesmo o país tendo um grande desenvolvimento quanto a sociedade, as fraudes sempre tendem a ocorrer. Ele também faz uma comparação com o Brasil, explicando que isso ocorre em todos os países.

“Se vê claramente, que o que faltou foi controle, por parte do Estado na dispensação dos recursos. Vê-se que, independentemente do desenvolvimento da sociedade, quanto mais se afrouxam os controles dos gastos ou a punição a um descontrole, mais tendência a fraudes ocorre. Não ocorre somente em países mais atrasados como o nosso. É uma característica universal. O que pode limitar isto, além do culto ao comportamento ético e altruísta, é o rigor da lei em sua elaboração e aplicação”, comenta Ebenézer.

Outro problema nessa questão é a de que essas empresas do ramo de saúde não são necessariamente obrigadas a tornar público e conhecido os nomes e outras informações acerca das pessoas que estão se submetendo ao teste, e muito menos outros tipos de documentos como por exemplo as notas fiscais que normalmente são emitidas ao se fazer a compra desses apetrechos.

Segundo uma investigação simultânea dos canais públicos Norddeutscher Rundfunk (NDR) e Westdeutscher Rundfunk (WDR) que firmou uma parceria com o jornal Süddeutsche Zeitung, um dos maiores Jornais diários do país, só é preciso que disponibilizem a quantidade dos testes, sem explicação, que assim irão obter uma transferência em dinheiro não muito tempo depois desta ação.

Com a intenção de mostrar e provar essas fraudes, foi calculado pelos jornalistas alemães o número de pessoas que realizaram esse tipo de teste em diversas unidades, e assim fizeram uma verificação usando como base os dados fornecidos pelas autoridades alemãs. Segundo os jornalistas, em um determinado centro de testes responsável por diversos exames da Covid-19, os encarregados comunicaram terem realizado cerca de 422 exames no total. Porém em outro centro, onde foi informado a realização de 550 testes, a empresa em questão anunciou ter feito, em apenas um dia, 1.743 testes.

Leia Também: Estado norte-americano define que condenados a morte devem escolher entre fuzilamento ou cadeira elétrica

Leia Também: Protestos na França por mais investimentos a favor da luta contra as mudanças climáticas

Rafael Barreto – 8º período

2 comentários em “Investigação iniciada pela Alemanha busca apurar possíveis fraudes nos centros de testes da Covid-19

  1. Pingback: Acordo entre o G7 decide tributar grandes empresas através de imposto global de pelo menos 15% | Agência UVA

  2. Pingback: Buscando incentivar a vacinação, a Rússia sorteará carros | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s