Esporte

Treinadores estrangeiros fazem sucesso no Brasil

Português Jorge Jesus e argentino Sampaoli apresentam bons trabalhos no futebol brasileiro

Com o sucesso de Jorge Jesus e Sampaoli no comando de Flamengo e Santos, respectivamente, se abre uma discussão em relação a técnicos estrangeiros no futebol brasileiro. Os clubes desses dois treinadores estão bem colocados na tabela do Brasileirão e estão na disputa pelo título do torneio. Um questionamento que tem sido feito não só pelos torcedores, mas também, bastante discutido nos programas esportivos, é: Os profissionais aqui do Brasil estariam ficando para trás em relação aos de fora? 

Os dois únicos técnicos estrangeiros aqui no Brasil fazem um bom trabalho a frente de suas equipes. Desde sua chegada, o português Jorge Jesus comandou o Flamengo em 19 jogos, e os números são bem expressivos. Com o Mister, como ele gosta de ser chamado, o rubro-negro carioca venceu 12 vezes, empatou 5 e perdeu 2 jogos. O argentino Jorge Sampaoli chegou no Santos para essa temporada e também conta com um bom aproveitamento. Ele tem 47 partidas, venceu 25, empatou 10 e perdeu 12.

Não é só nos números que os dois treinadores vêm recebendo elogios. O desempenho apresentado pelas suas equipes evidencia o bom trabalho dos técnicos aqui no Brasil. Com Jorge Jesus, o Flamengo assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro e chegou depois de 35 anos em uma semifinal de Libertadores, além de o estilo de jogo mudar radicalmente. Sob o comando do português, o rubro-negro carioca se tornou um time mais ofensivo e consistente na defesa. Desde sua chegada, o Fla marcou 39 gols, uma média de 2,16 por partida. Antes, ela era de 1,79 e o aproveitamento na temporada de 69,6%. No Brasileirão, a equipe chega a incríveis 86% dos pontos conquistados, deixando para trás os 63% de antes.

Jorge Jesus caiu rapidamente na graça da torcida do Flamengo. (Foto: Reprodução/Twitter-Flamengo)

Já Sampaoli, chegou em um Santos desacreditado e conseguiu ir além do que se esperava. O time paulista, chegou a liderar o Campeonato Brasileiro em algumas rodadas. Analistas de futebol e alguns torcedores não acreditavam que o peixe poderia disputar o título com equipes de maior investimento, como Flamengo e Palmeiras. Dentro de campo, é possivel ver um time com a cara do treinador, organizado e com variação de esquema tático.

O argentino Sampaoli faz um bom trabalho em seu primeiro ano no Santos. (Foto: Reprodução/Twitter-Santos F.C)

O jornalista esportivo Elton Serra acredita que a maioria dos técnicos brasileiros estão bem atrás de estrangeiros que atuam em grandes centros da Europa. “Lá, a metodologia de trabalho, a aplicação dos treinamentos e o jeito de jogar dos times são compatíveis com os investimentos feitos. Por isso, há uma certa coerência”, explica.

Leonardo Miranda, analista tático do globoesporte.com e sportv, também comentou sobre esse questionamento do atraso de treinadores brasileiros em comparação aos estrangeiros.

“Acho que os treinadores brasileiros precisam lidar com coisas e problemas diferentes dos europeus. Por isso, eu não falaria que eles são atrasados, mas sim estão num contexto e tiveram oportunidades diferentes no Brasil”, afirma.

Questionado sobre a questão de ter um treinador estrangeiro na seleção brasileira, Elton acredita na capacidade de técnicos brasileiros bem preparados.

“Essa questão é bem polêmica. Eu acredito que o treinador da seleção brasileira deve ser o brasileiro mais bem preparado para o cargo, assim como normalmente é com os atletas. O técnico da seleção precisa entender a cultura e as principais características do futebol no Brasil, e um treinador forjado por aqui tem essa capacidade um pouco mais apurada em relação aos estrangeiros”, comenta.

Histórico de treinadores estrangeiros no Brasil

Desde 2003, início da era dos pontos corridos, técnicos gringos treinaram os times brasileiros em 21 oportunidades. Os números não são muito animadores. O tempo médio de permanência é de 129 dias (pouco mais de quatro meses) e a média de aproveitamento é de 50,06%. Pelo São Paulo, Diego Aguirre, em 2018, ficou por aproximadamente 8 meses, e Edgardo Bauza, em 2016, ficou 7 meses, sendo eles os treinadores que mais duraram no comando. Do outro lado, Petkovic, em 2017, pelo Vitória, com 23 dias, e o português Sergio Vieira, em 2016, com 41 dias, pelo América-MG, tiveram as passagens mais curtas.

O único a conquistar um título no período foi Diego Aguirre. O uruguaio foi campeão gaúcho com o Internacional em 2015. Aguirre é também quem mais teve passagens pelo Brasil. Além do Internacional em 2015, passou pelo Atlético-MG, em 2016, e pelo São Paulo, em 2018. Os 241 dias no Tricolor Paulista no ano passado são o recorde de tempo de permanência de um técnico estrangeiro em times brasileiros desde 2003.

Leia também: Tite convoca seleção para amistosos e Gabigol está na lista Leia Também: O desempenho do VAR no Brasil

Luhan Alves- 6° Período

1 comentário em “Treinadores estrangeiros fazem sucesso no Brasil

  1. Pingback: Grêmio e Flamengo disputam uma vaga na final da Libertadores | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s