Cultura

Alunos e professores comentam a Secom 2021

Espectadores e participantes de evento de Comunicação da UVA comentam sobre suas expectativas e percepções

A Semana da Comunicação (Secom) da Universidade Veiga de Almeida (UVA) terminou na quinta-feira (27) passada e deixou a todos com gostinho de “quero mais”. O evento, que possui como público-alvo alunos de graduação e pós-graduação de cursos relacionados à Comunicação Social, ex-alunos, professores, funcionários e qualquer pessoa que se interesse pelo tema, foi realizado virtualmente pelo YouTube no canal CasaCom Conecta em mesas de debates, oficinas virtuais e palestras.

Para a professora de Comunicação e mediadora da mesa “Cancelados X Amados: Fake News, preconceito e política do cancelamento no paredão do maior reality show do Brasil”, Cecília Seabra, a produção do evento deste ano foi incrível.

“A programação, a distribuição da programação ao longo do dia e da semana esteve super adaptada ao formato virtual. Esse ano, a duração das palestras, o ritmo, a dinâmica de apresentação, tudo foi super orgânico com o ambiente digital”, diz.

Uma das palestras mais relevantes do evento foi o encontro com Luiza Helena Trajano, da Magalu. Foto: Reprodução/YouTube

Cecília conta que já participou de outras Secoms e que, principalmente no ambiente virtual, a organização do evento “não fica nada a dever para outros eventos virtuais”.

“A Secom está com uma tecnologia de produção de evento online altamente profissional e que não se diferencia em nada dos melhores feitos pelo mercado de Comunicação, sejam eles nacionais, internacionais ou de mercado mesmo”, pontua.

Cecília também afirma que “a importância de manter um evento que é tão tradicional no calendário dos cursos nesse momento de pandemia é trazer, na medida do possível, essa dinâmica de que a gente continua, resiste, produz”, pondera. “A comunicação é mandatória para a vida humana, tudo na nossa vida é permeado pela comunicação, então é extremamente necessário manter a realização de um evento desse durante a pandemia. É sobretudo um ato de resistência”, acrescenta Cecília.

Um dos encontros da Secom teve oficina de locução de rádio com o locutor e professor Jorge Ramos, no alto à esquerda. Foto: Reprodução/YouTube.

Evento agradou alunos calouros
Amanda D’Almeida, 18 anos, estudante do primeiro período de Jornalismo, elogiou os temas por serem interessantes, e também falou de como as palestras interativas prenderam sua atenção. Ela afirma ter gostado muito do evento e ainda sugere como tema para as próximas oportunidades uma palestra sobre as complicações do assédio no jornalismo.

O estudante de primeiro período de Publicidade e Propaganda, Bruno Rocha, adorou as pautas e os apresentadores. “Os apresentadores são engraçados e simpáticos”, revela. Bruno diz que suas palestras preferidas foram “Multiculturalismo: a voz da diversidade brasileira” e “A comunicação e a generosidade transformam: o case de sucesso da Magalu”. “Foi minha primeira vez participando de uma Secom, então foi uma experiência bem inovadora”, ele acrescenta.

Christian Chagas, estudante de Publicidade e Propaganda, também gostou muito do evento. Para ele, os organizadores e apresentadores lidaram bem com as dificuldades decorrentes de eventos online. Ele afirma que é importante falar também sobre a comunicação mais prática e não só teórica. “Todos se saíram muito bem. Mas acredito que não é a mesma coisa que estar no auditório, né? Mas, apesar de tudo, foi uma excelente Secom”.

Também agradou professores
A professora e jornalista Ana Cristina Rosado, que é Coordenadora do curso de Jornalismo e Mestre pela Fundação Cesgranrio, organiza a Secom há cinco anos. Para ela, o evento, que faz parte da disciplina Tópicos Especiais em Eventos, realizada com alunos dos cursos de Jornalismo e Publicidade, teve uma edição 2021 para lá de especial.

“O sucesso desse evento só foi possível por causa da ajuda e parceria dos professores dos nossos cursos, da dedicação dos alunos, do apoio da instituição, da atuação dos laboratórios e, principalmente, da professora Ediana Avelar (Coordenadora de Publicidade), que fez um golaço com a escolha do tema”, diz.

A jornalista, Doutoranda em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e professora da UVA, Érica Ribeiro já participou de diversas edições da Secom e comenta que, com passar dos anos, o encontro foi evoluindo e se profissionalizando.

Para ela, a virtualização de atividades é um caminho sem volta, porque apesar de não ter o contato físico, ela abre portas para diversas oportunidades que no presencial não aconteceriam, como, por exemplo, trazer pessoas de outros estados para falar nas palestras. “Apesar das dificuldades que se tem na produção desse tipo de evento, ele ganhou muito com essa virtualização”.

“Não vejo uma importância desse tipo de evento durante a pandemia, esse tipo de evento é importante e ponto. Independente de pandemia ou não, é essencial que estudantes e até mesmo profissionais tenham espaços de troca e tenham a possibilidade de conversar uns com os outros”, comenta Érica.

A professora e pesquisadora Adriane Figueirola Buarque de Holanda, que é Doutora em Comunicação pela UFF, também já participou de algumas edições e afirma que achou a produção desse ano muito boa. Para ela, a organização, os mediadores, os conteúdos e convidados foram espetaculares. “A pandemia acelerou a transformação digital, aproximou o global e mostrou que o local pode ser substituído pela conexão de mesma qualidade e maior alcance”, diz Adriane.

WhatsApp Image 2019-05-22 at 10.24.49
Antes da pandemia, evento era realizado no auditório da UVA, na Tijuca. Foto: Victor Leal

Histórico presencial
Em tempos pré-pandêmicos, o evento era realizado presencialmente no auditório da UVA e contava com diversas atrações além das palestras. No entanto, com a chegada da Covid-19, os organizadores precisaram planejar o evento de outra forma e, para isso, desde 2020, as palestras têm sido virtualizadas.

Em 2021, o evento teve como tema principal “Multiculturalismo na Comunicação”, com palestras realizadas pelo YouTube no canal CasaCom Conecta, e o perfil oficial do evento montou diversos sorteios para incentivar o envolvimento do público.

Apresentadas por Breno Dias e Thiago Varella, as palestras superaram as expectativas dos espectadores, que sempre pediam por mais no final. Além disso, os mediadores, professor Leo Amato, Fatima Lima, Isabella Caneschi, Juney Freire, Mariana Oliveira, Thayane Melo, professora Cecília Seabra, professor Evângelo Gasos e professor Eduardo Bianchi, mantiveram a fluidez das palestras, fazendo com que ficasse divertido e nada cansativo.

Malu Gayoso – 1° período

Sob supervisão de Julia Barroso – 8° perídodo

LEIA TAMBÉM: Debate sobre a representatividade feminina nas telas é destaque da Secom
LEIA TAMBÉM: Secom 2021: ex-BBB e pesquisador debatem sobre cultura do cancelamento e Fake News

1 comentário em “Alunos e professores comentam a Secom 2021

  1. Pingback: Os 10 melhores momentos da Secom 2021 | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s