Da sala de aula

A solidariedade contra o coronavírus

Entidades e grupos se unem para ajudar quem precisa

Neste período de pandemia, o combate ao vírus pode ser feito de diversas formas, e a solidariedade é uma delas. O isolamento social, o uso de máscaras e a orientação de evitar aglomerações são as ações fundamentais e mais recomendadas, mesmo com o início da fase de flexibilização da quarentena em alguns locais. Diante das dificuldades, pessoas em diferentes bairros do Rio de Janeiro se uniram voluntariamente em diferentes ações para ajudar os necessitados.

Em Padre Miguel, Lucas Tavares dos Santos, de 20 anos, resolveu ajudar um projeto de sua igreja que arrecada roupas, cestas básicas, mobílias, itens de limpeza, alimentos e máscaras descartáveis para as vítimas das chuvas, que, logo no começo da pandemia, afetaram a comunidade do Barata, em Padre Miguel. Criando um grupo no WhatsApp e divulgando em outras redes sociais, ele buscou toda ajuda possível para a arrecadação: “Arranjar pessoas para doar foi tranquilo, a dificuldade de verdade foi ter que ir buscar os itens, pois a maioria era muito longe”. Ele reitera: “Conseguimos camas, armários e cestas básicas, mas era muito complicado ir buscar”.

Perto de Padre Miguel, em Realengo, Vinicius Nascimento, de 21 anos, também procurou ajudar. Sabendo da arrecadação, buscou ajuda de parentes e amigos próximos para arrecadar máscaras e álcool em gel. Com a ajuda de um amigo, Rodrigo Ferraz, que trabalha em uma farmácia gerenciada pelo pai, conseguiu convencê-lo a doar o máximo de itens necessários para prevenção em tempos pandêmicos.

Rodrigo, morador de Bangu, conta: “Tentei convencer meu pai a ajudar a gente. Fiquei com medo da resposta dele, por se tratar de um negócio de família, mas ele reagiu super bem, para minha surpresa, e ajudou demais”. Sobre o resultado, garante: “Fiquei muito satisfeito em ver pessoas ajudando umas às outras, sem esperar nada em troca. São atitudes raras hoje em dia, mas a chuva veio forte, e com o Coronavírus junto, deve ser difícil para essas pessoas”.

Lucas, que foi um dos organizadores da campanha, diz: “Me senti muito feliz. Mesmo em meio a tanta criminalidade, maldade, houve muitas pessoas com coração aberto para ajudar o próximo e isso me deixou com um olhar positivo para o futuro, não só do bairro, mas do Brasil”. Ele completa: “Fiquei muito emocionado ao ver que até as pessoas que estavam passando por dificuldades tentavam ajudar de várias formas também”.

*Matéria produzida pelo aluno Gabriel Lopes Pitella para a disciplina Teoria e Técnica da Notícia, ministrada pela professora Maristela Fittipaldi.

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

1 comentário em “A solidariedade contra o coronavírus

  1. Maristela Fittipaldi

    Parabéns, Gabriel! Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s