Conservando e restaurando obras de artes

Identificar se uma obra de arte precisa ser restaurada não é nada fácil. É necessário ter muito conhecimento, técnica e estudo. O Núcleo de Conservação e Restauração do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro é responsável pela preservação do acervo do MNBA, prolongando a perenidade dos bens culturais e, desse modo, possibilitando o seu estudo, divulgação e exposição.

— Deve-se analisar os aspectos de comprometimento estrutural (inerente ao envelhecimento dos materiais que compõem a obra ou a acidentes resultantes de impactos físico-químicos ou ambientais) e os aspectos de comprometimento estéticos (interferência na leitura ou fruição da obra) — explica Larissa Long, conservadora-restauradora de bens móveis e que trabalha no Laboratório de Restauração de Pintura do MNBA/Ibram/MinC.

Larissa Long - Conservadora e Restauradora (Foto - Site oficial do museu)

Larissa Long restaurando um dos quadros no MNBA. Foto: Felippe Naus

O conservador-restaurador é um profissional que deve possuir conhecimento amplo sobre história da arte e das civilizações, sobre os métodos de pesquisa e documentação, tecnologia e materiais, sobre a teoria da conservação e ética, a história e as técnicas da deterioração, conservação, químicos, biológicos e físicos, e restauração. Em sua atuação, o conservador-restaurador de bens culturais deve prezar pelo respeito aos aspectos históricos e artísticos da obra, interferindo o mínimo possível.

Com muitas obras já restauradas, Larissa revela quais dentre tantas foram as mais importantes.

— Tive a oportunidade de trabalhar em diversos projetos, como a restauração da “Primeira Missa”, de autoria de Vitor Meirelles; a também “Primeira Missa” de autoria de Candido Portinari; a obra “Voyeur Amoroso”, de Rubens Gerchman; e “Alegoria as Artes”, de autoria de Léon Pallière, como coordenadora do projeto — explica Larissa, que atuou no MNBA como estagiária, nos anos de 1998 e 1999, trabalhou como contratada pela Associação de Amigos, no período de 2005 a 2010, e tornou-se servidora pública do museu, em 2012.

Para ser feita uma restauração, é necessário ter os materiais utilizados nas intervenções de conservação-restauração de bens culturais que devem ser testados e aprovados previamente. Vários aspectos têm que ser considerados antes da decisão sobre a utilização de um material, tais como a compatibilidade com o material constituinte da obra, a estabilidade do material, a reversibilidade ou retratabilidade, isto é, a possibilidade de remoção ou compatibilidade com outros materiais.

Um dos ateliês existentes no museu (Foto - Site oficial do MNBA)

(Um dos ateliês existentes no museu. Foto: Felippe Naus

Hoje, existem no mercado lojas especializadas em materiais para conservação e restauração de bens móveis, que comercializam produtos especialmente produzidos para atender às demandas desse campo de atuação.

Larissa ainda tem um sonho particular que quer realizar.

— Existem várias obras no acervo que necessitam de intervenção de conservação-restauração. O projeto que gostaria de realizar é o de reestruturação da equipe técnica dos Laboratórios de Conservação-Restauração do MNBA e a criação de um Laboratório Científico para executar as análises das obras.

Leia também:

Arte, conhecimento e pesquisa: MNBA é fundamental no panorama museológico latino-americano

Passeando pelo Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro

Saiba o que um museólogo faz e conheça as ações educativas do MNBA

Assessoria de imprensa do MNBA cuida dos canais de comunicação do museu

Trilhando o caminho do sucesso a partir do estágio em Museologia

Visitando museus do mundo sem sair de casa pelo Google Art Project


Esta reportagem é parte do Trabalho de Conclusão de Curso em Jornalismo “Arte, pesquisa e conhecimento  — Um passeio pelo Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro”, de Felippe Naus, na Universidade Veiga de Almeida

6 comentários sobre “Conservando e restaurando obras de artes

  1. Pingback: Arte, conhecimento e pesquisa: MNBA é fundamental no panorama museológico latino-americano | AgênciaUVA

  2. Pingback: Visitando museus do mundo sem sair de casa pelo Google Art Project | AgênciaUVA

  3. Pingback: Trilhando o caminho do sucesso a partir do estágio em Museologia | AgênciaUVA

  4. Pingback: Assessoria de imprensa do MNBA cuida dos canais de comunicação do museu | AgênciaUVA

  5. Pingback: Saiba o que um museólogo faz e conheça as ações educativas do MNBA | AgênciaUVA

  6. Pingback: Passeando pelo Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro | AgênciaUVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s