A despedida de uma lenda

363613-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx“Não dá para viver com a matança. Não dá para voltar atrás. Certo ou errado, isso é uma marca. Não há como voltar”. A frase dita no filme “Os Brutos Também Amam” (Shane, no original), de 1953, é a que melhor sintetiza a aura do novo longa do herói mais famoso da Marvel. Hugh Jackman dá vida, por uma última vez, ao temido Wolverine no filme “Logan”, uma despedida digna para um dos personagens de quadrinhos mais marcantes da história do cinema.

Após o lançamento do filme do Deadpool, no início do ano passado, muito se especulou a respeito de um novo longa sobre o Wolverine, já que ele aparece – mais sanguinário do que nunca – em uma parte da obra do anti-herói vermelho e preto. Essa nova “roupagem” do Logan, agradou muito a crítica e o público, sendo assim, a Fox – detentora do Universo X-Men nos cinemas – fez uma parceria com a Marvel para que o “herói das garras na mão” pudesse ter, finalmente, um produto realmente bom. Dito e feito.

Contextualizando, ano é 2029. Boa parte dos mutantes da terra foram mortos depois de um acidente não explicado – os X-men, inclusive, foram reduzidos, entre outras coisas, a meras histórias em quadrinhos –, mas Logan (Hugh Jackman) ainda permanece vivo, firme e forte – ou melhor – nem tão firme e não tão forte. Nessa nova realidade, o herói tem os poderes de cura debilitados devido à idade e ainda tem de cuidar do nonagenário mentor Charles Xavier (Patrick Stewart), que mal consegue se sentar na cama. Caliban (Stephen Marchant) também é um dos sobreviventes e auxiliar na função de cuidar do fundador da “Escola para Jovens Superdotados”.

Ainda sobre a trama, depois de anos sem a incidência de novos mutantes, Xavier localiza Laura (Dafne Keen), uma pequena criança de 10 anos que teve uma criação traumática e possui poderes muito similares ao de Logan, ou melhor, iguais. Sim, como já dito no trailer, Laura, na verdade, é a famosa X-23, conhecida por ter, assim como o Wolverine, fator de cura e garras nas mãos, a diferença, é que como ela é uma fêmea, também possui uma garra no pé.

Laura está sento perseguida por Donald Pierce (Boyd Holbrook), um homem sanguinário e meio ciborgue, que está atrás da X-23 para levá-la de volta para o laboratório de onde fugiu. Inclusive, nos quadrinhos, ele é o responsável por liderar a equipe de mercenários meio mecanoides, intitulados de “Carniceiros de Mutantes”, responsáveis por matar quase todos os X-men.

O modo de tratamento “fêmea” e “macho” são os que melhores se encaixam quando o assunto são Logan e Laura. A dupla, mesmo que contida no início, apresenta uma potência animal quando o assunto é matar, verdadeiras bestas bípedes. Dito isso, fica evidente que o sangue é algo bem comum nesse filme. O diretor James Mangold ouviu os fãs e voltou às raízes do Wolverine, mostrando que a vida não é aquele mar de cores psicodélicos de “X-men: Apocalipse”, e sim feio e sanguinolento, à lá Tarantino.

mv5bmwy2ngq4mtctzta4zs00yzzhlwfiytctotvin2m4y2vkyzm3xkeyxkfqcgdeqxvyndg4mzu1nta-_v1_

Justificando a frase de abertura do texto, o filme lida – a todo momento – com embates filosóficos do personagem principal. O herói não se orgulha de seu passado e faz de tudo para não entrar novamente nessa vida, por isso se sujeita a trabalhar como chofer, mas o instinto de proteger uma criança indefesa acaba despertando a fera. A todo momento, frases e referências do filme “Os Brutos Também Amam” são citados, deixando claro o sentimento que a obra quer passar.

Falando em sentimentos passados, o roteiro foca exatamente nisso. O tom sombrio do longa tem a intenção de passar o sentimento de solidão e desesperança para aqueles que assistem. O filme, inclusive, pode ser encaixado em diversos gêneros cinematográficos. Drama, faroeste, road movie, enfim, é uma mistura, mas uma mistura do bem, que atiça o expectador, uma proposta diferente, para uma obra diferente.

A trilha sonora também diz muito sobre o filme. Com um repertório repleto de músicas de Johnny Cash, Kaleo e Jim Croce, a soundtrack completa o que está sendo mostrado na tela de maneira sutil, mas muito efetiva. Infelizmente nem todo mundo poderá entender essas referências, já que as faixas não são legendadas, mas mesmo assim, só o ritmo das canções já desperta o sentimento exato no expectador.

mv5byjg2nzg1n2itnge5ms00otu5lwi2nwmtzwm0zwqzmzriytdkxkeyxkfqcgdeqxvynde2nti5mza-_v1_

Outro ponto positivo do longa foram as atuações, o eterno Patrick Stewart está impecável como sempre. Hugh Jackman, em sua nona participação como Wolverine, o australiano se tornou o ator que mais interpretou o mesmo personagem na história do cinema, além disso, ele também anunciou que está se despedindo do papel e, como presente final, deixou esse perfeito desempenho em cena para o público. Mas quem realmente se destacou foi a mini mutante. Dafne Keen encanta a todos com sua irá de leoa e graça de criança, mostrando que o papel da X-23 caiu nas mãos perfeitas.

“Logan” é um tributo a um dos maiores heróis da história, tanto do cinema, quanto dos quadrinhos. Um filme perfeito, a obra prima da Fox e da Marvel até agora, digno de disputar o posto de melhor longa de herói já feito com o intocável “Batman: O Cavaleiro das Trevas”. Enfim, o cinema agradece os serviços prestados por Hugh Jackman e fica, então, a torcida para que os sucessores honrem as garras de adamantium eternizadas nas telonas por ele.

Finalizando, fica então uma das frases mais marcantes de “Os Brutos Também Amam”, que fará muito sentido para quem assistir ao filme “Logan”. “Eu tenho que ir… Um homem tem que ser o que ele é, Joey. Não podemos mudar. Eu tentei, mas não funcionou para mim (…) Agora volte para a sua mãe e diga a ela que está tudo bem, que não há mais armas no vale”.


Iago Moreira- 7º Período

 

 

Um comentário sobre “A despedida de uma lenda

  1. Pingback: De volta à Alameda dos Anjos |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s