A cultura brasileira que muitos não conhecem

A exposição “Saudade é uma Palavra Brasileira” explora como o povo do país sente e interpreta esse sentimento. Saudade é um termo exclusivo da língua portuguesa, que carrega consigo uma grande amplitude de significados, ou seja, é um privilégio que poucas nações do mundo têm. Em outros idiomas, existem frases que expressam o mesmo sentido, mas não há outros lugares que sintetizem o conceito em tão poucas letras.

De todos os lugares do planeta, o Rio – em especial – tem explorado mais esse sentimento nos últimos anos. A terra dos sambas, das bossas, dos chorinhos, das poesias e dos amores perdido expressa, em suas músicas, o sentimento contido nessa palavra. Saudade de alguém; saudade de um lugar; saudade de uma sensação. Esse conceito é quase uma base para a cultura carioca.

O objetivo da exposição, localizada em Santa Teresa, no Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, é mostrar como – atualmente – as pessoas se esquecem do gênero musical mais importante do país e como tudo que foi feito nesses últimos cem anos é rico, mesmo sendo pouco lembrado. “O valor do samba é gerar renda para quem faz a segurança e a limpeza, para aqueles que vendem a cerveja e a pipoca, para todo mundo. É proporcionar um evento cultural para eles e para todos os outros trabalhadores desse Brasil. É um evento que integra a sociedade em geral”, conclui George Nascimento (20), curador da mostra, que mesmo com a pouca idade, já mostra ser muito experiente quando o assunto é música. “ A nossa cultura é tão rica quanto a dos outros países, as pessoas da minha geração não conhecem muito bem isso e não sabem o que é samba de verdade”.

george-e-luana

George Nascimento (dir.) grafitando parede.

Além de falar sobre do samba e seus valores, a exposição também aborda temas sobre o movimento negro, passando por assuntos como a importância desse povo na história do Brasil. Para George, as duas culturas andam lado a lado, pois o samba tem foi criado a partir de ensinamentos do povo da África e isso só agrega valor ao estilo musical do país. “O Brasil é fruto de uma miscigenação entre raças. As raízes africanas estão presentes no nosso dia-a-dia, seja na religião, na música, na dança, na alimentação ou na língua. Apesar da repressão que a sociedade impõe a esse povo, a influência negra está presente em tudo “, finaliza o artista George Nascimento.


João Vitor Barros– 6º periodo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s