Saúde

Acolhe UVA: iniciativa do curso de Psicologia cria roda de acolhimento para público interno da Universidade

Serviço de Psicologia Aplicada reúne colaboradores e alunos da Universidade Veiga de Almeida para dividir experiências entre si

A coordenação do curso de Psicologia, juntamente com o Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) da Universidade Veiga de Almeida (UVA) desenvolveu um projeto de espaços de conversa em que alunos, professores e funcionários da instituição possam compartilhar seus sentimentos e experiências uns com os outros.

A iniciativa surge com o momento que o país está vivendo. Há mais de um ano o Brasil vive uma das maiores crises sanitárias da história por conta da pandemia da Covid-19, e com o isolamento, a saúde mental de muitas pessoas foi afetada.

As rodas de conversa, realizadas de modo virtual, são espaços onde o público interno da universidade pode se sentir acolhido, realizar o compartilhamento de sentimentos, angústias e medos. O objetivo, segundo os organizadores do projeto, é dividir saberes e encorajar a troca de experiências para construir novas narrativas e modos de lidar com o mal-estar.

Mulher, Burnout, Multitarefa, Face, Contorno, Em Branco
Ansiedade e depressão são os principais transtornos vivenciados durante a pandemia (foto: Pixabay)

Uma pesquisa feita em 2020 pela Fiocruz em parceria com a Universidade de Valencia, na Espanha, mostra a ansiedade e a depressão como os principais transtornos vividos por trabalhadores. Dos mais de 22 mil indivíduos entrevistados, apenas 30,9% do percentual total afirmam fazer tratamento de doenças mentais.

A pesquisa também mostrou que a ansiedade afeta os trabalhadores de serviços essenciais no Brasil, sendo 55% dos entrevistados. Do total de pesquisados, 72,2% são mulheres, e 28,5% possuem diplomas de mestrado e\ou doutorado.

A coordenadora do Serviço de Psicologia Aplicada da Veiga, professora Clarisse Medeiros, conta como surgiu a iniciativa. “Vivemos há alguns meses os piores tempos da pandemia, quando chegamos as marcas de mais de 4 mil mortes diárias no país. Perdemos alunos para a Covid-19, muitos se afastando em razão da doença, professores acamados… Todos nós sofrendo diretamente e indiretamente os efeitos devastadores da pandemia”, comenta Clarisse.

“Como profissional de psicologia e como professora, conversando com a coordenação do curso e com os outros professores-supervisores, pensamos que precisávamos acolher essas narrativas que estavam chegando nas salas de aula, em supervisão, nos estágios, todos muito mobilizados. Precisávamos fazer algo: escutar e acolher, cuidar do sofrimento do outro”, conta a professora.

Os encontros são feitos virtualmente, pela plataforma Google Meet. A cada roda de conversa, um especialista debate com os participantes sobre determinados assuntos, desde as consequências da pandemia na rotina familiar até a forma de lidar com o luto, assim como temas livres. A prioridade é o espaço para escutar e falar.

No encontro que aconteceu nesta quinta-feira (20), o tema abordado foi sobre a rotina familiar afetada com a pandemia, e os participantes tiveram a oportunidade de relatar suas próprias experiências. A mesma dinâmica é adotada nos demais encontros.

LEIA TAMBÉM: Covid-19: o impacto da pandemia na saúde mental nos jovens

A aluna do curso de Arquitetura Jéssica Anjos, dividiu com os demais, como foi perder o pai para a Covid-19. “Perdi meu pai no início da pandemia, pela doença. Tive muito apoio dos familiares e vizinhos. Foi difícil, mas aos poucos vou conseguindo superar”.

O momento de conversa também gera uma importante reflexão em seus participantes. A aluna de Psicologia e participante do Acolhe UVA, Roberta Otsuka, conta o que tira deste momento. “Precisamos viver o hoje. O aqui e agora. O amanhã ainda não chegou, então precisamos ter fé que isso irá passar”.

Questões emocionais também foram tratadas na reunião. Coordenada pela professora Mônica Dias, foi dado espaço ao público para falar sobre seus respectivos sentimentos, angústias e expectativas para o futuro após a pandemia da Covid-19.

“O objetivo principal é acolher a comunidade interna da Veiga, novamente entendendo que estamos vivendo um momento muito difícil. Uns meses atrás, o auge dos números de mortos diários por causa da Covid. Estamos perdendo professores, estamos perdendo alunos. E o objetivo é acolher. Entendendo que é preciso cuidar da saúde mental em tempos tão difíceis para que a possamos atravessá-los de uma maneira menos danosa”, conta a coordenadora do projeto.

O Acolhe UVA acontece até o fim deste semestre, no fim do mês de junho. Cada roda de conversa possui vaga para 12 participantes. A professora Clarisse Medeiros especula como será o andamento do projeto daqui para frente.

“Dependendo da aderência de como ficará a pandemia, podemos estender esse projeto por mais um semestre ou, se o projeto não for adiante, cada equipe que se sentir confortável pode aderi-lo enquanto prática de estágio”, explica Clarisse.

LEIA TAMBÉM: Agência UVA realiza sua primeira live; evento abordou Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Victoria Muzi – 1° Período

Sob supervisão de: Bárbara Souza – 7° período

1 comentário em “Acolhe UVA: iniciativa do curso de Psicologia cria roda de acolhimento para público interno da Universidade

  1. Pingback: Abraji realiza encontro com jornalistas sobre alimentação saudável | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s