Multimídia

“Por onde a luz entra” mostra Centro do Rio durante a pandemia

Aluno de Jornalismo, que também é artista visual, produz documentário autoral

Olhar as ruas do Centro do Rio em plena pandemia da Covid-19 com olhos cheios de frescor não é tarefa fácil. Calçadas sem o frenesi habitual, pessoas cabisbaixas, ambulantes pujantes de outrora, mais introspectivos e tristes do que nunca. Essa foi a missão do aluno de Jornalismo e artista visual, Raphael Vianna Torres, na produção de seu novo mini documentário autoral “Por onde a luz entra”.

Filmado em uma tarde neste mês de Abril, quando Vianna percorria as ruas entre a Central do Brasil e a Pedra do Sal, “Por onde a luz entra” fala da vida “pós-exílio”, como se refere ele à pandemia da Covid-19 e do período de isolamento social.

“Apesar de sempre filmar e fotografar no Centro, fiquei um bom tempo sem sair para fazer isto, por conta de tudo o que estamos vivendo. Além das medidas de isolamento, não tinha ânimo”, conta ele, que passou parte da infância morando no Morro da Conceição, também no Centro.

Mesmo com o grande impacto causado pela pandemia na “vida” desta área da cidade, Vianna vê o quanto a região central da cidade tem luz e sombra em função de suas belezas naturais, arquitetônicas e do povo que ali habita.

“Me inspirei no mito grego de Sísifo (que conta a história de um homem que todos os dias tem de empurrar uma grande pedra morro acima – apesar de ela descer e fazê-lo repetir a atividade, dia após dia) e de como todos nós temos um pouco de Sísifos nós mesmos. Então, ver nos olhos dos ambulantes, camelôs e vendedores alguma esperança, me inspira. Além, claro, da história do Centro do Rio, sua arquitetura”, explica ele, que também é colaborador da Agência UVA.

Vianna Torres conta de sua inspiração na realização do mini documentário.

O documentário foi filmado e fotografado com duas câmeras, uma analógica (Zenit 12XP) e outra digital (Nikon D5300), revelando duas grandes influências estéticas do diretor: a fotografia analógica e todos seus processo de revelação e o digital, onipresente na atualidade.

“Uso câmeras antigas herdadas das minhas avós e usar este equipamento para produzir algo analógico tem um valor sentimental, de experiência. Me aproximou de várias referências que carrego”, completa ele, que já teve seus trabalhos fotográficos publicados da revista Vogue Itália e atualmente tem trabalhado como Diretor de Arte de um projeto musical capitaneado pela atriz e cantora Isabel Fillardis.

Veja aqui o mini documentário “Por onde a luz entra”:

Para conhecer mais do trabalho de Raphael Vianna Torres, clique aqui.

LEIA TAMBÉM: Novos programas do projeto “Focas no Ar” são apresentados na CBN
LEIA TAMBÉM: Documentário dirigido por aluna da Veiga será exibido no Cinemark Botafogo

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

1 comentário em ““Por onde a luz entra” mostra Centro do Rio durante a pandemia

  1. Pingback: Covid-19: 2º dose é suspensa em algumas cidades no Rio de Janeiro; populares mostram indignação | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s