Internacional

Governo de Israel suspende medida que obriga população a utilizar máscaras em locais abertos

Decisão foi tomada após o número de hospitalizações e mortes por COVID-19 diminuírem drasticamente devido a vacinação em massa.

No último domingo (18) o governo israelense publicou uma medida que suspende a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos no país. Com mais de 50% do país imunizado contra a COVID-19, a decisão impõe que a população volte a transitar em logradouros abertos sem a proteção facial.

Com 62% da população de israelita imunizada com pelo menos uma dose da vacina da Pfizer\BioNTech, o único imunizante aplicado no país, o perfil oficial do país fez uma publicação no Twitter, comemorando. “Mascarando nossa glória, pois máscaras não são mais obrigatórias em lugares abertos em Israel”, publicou o perfil oficial do país no Twitter.

Paulo Rabinovitsch mora em Israel há três anos, e deixa claro que a colaboração da população faz muita diferença. Segundo ele, durante o lockdown, a medida imposta pelo governo era respeitada, e poucas pessoas eram vistas desrespeitando o decreto. Paulo conta como foi a sensação de sair às ruas pela primeira vez sem máscara.

“Foi a primeira vez em um ano que a gente consegue sair na rua sem máscara. Então, uma sensação de liberdade. A gente agora tem uma sensação de liberdade atrelada a esse movimento sem a proteção. A máscara trazia em mim, pessoalmente, uma sensação de aprisionamento, não pelo uso, mas por uma restrição imposta”, relata Paulo.

O professor do curso de Enfermagem da Universidade Veiga de Almeida, Paulo Machado, explica que para essa decisão ter sido tomada, foi necessário um trabalho em conjunto, de população e governo, e que mesmo com a liberação dos israelenses de transitar em lugares arejados, não se deve diminuir os cuidados de prevenção a COVID.

“Estamos enfrentando um inimigo ainda desconhecido, muitas coisas ainda estão sem resposta. Não sabemos por quanto tempo temos anticorpos no nosso organismo após a infecção, a doença ou a vacina. Teremos que tomar mais doses? Teremos que nos vacinar anualmente? Teremos que tomar outras vacinas? As vacinas são eficazes contra as variantes? Tudo ainda é um mistério”, afirma Paulo.

Com o alto índice de vacinação no país, o número de pessoas hospitalizadas e o número de mortes pela doença diminuiu consideravelmente. Gráficos mostram como a vacina tem sido eficaz no combate a pandemia.

Mesmo com a liberação, Israel ainda exige que a máscara seja utilizada em locais fechados, como lojas, templos religiosos e escolas. As viagens internacionais ainda são limitadas, além de todo cidadão israelense que retorna ao país precisar cumprir isolamento por 14 dias.

Paulo Rabinovitsch também comenta sobre como o governo israelense está trabalhado no combate a COVID-19, no país. “Estamos com a situação muito controlada aqui em Israel. Então já existe uma programação de compras da vacina da Pfizer para o ano que vem, como medida preventiva”, conta Paulo, que ainda acrescenta sobre a organização da imunização.

“No aspecto da administração de imunizar a população, ocorreu de forma organizada através dos postos de saúde, e agendamento marcado através de aplicativo. Teve uma escala de faixas etárias das mais avançadas e depois foi reduzindo, mas numa velocidade muito rápida”, explicou o morador.

Segundo o professor Paulo Machado, as vacinas são importantes, mas as medidas protetivas também são cruciais para diminuir os riscos de contágio. Israel conta com uma população de 9,3 milhões de habitantes, dos quais 60% das pessoas acima de 16 anos. Paulo comenta como as atitudes dos governantes em relação a pandemia refletem no comportamento da população.

“As atitudes dos governantes deverão estar fundamentadas na ciência, ou seja, os indicadores é que ditarão a regra da flexibilização. É num processo contínuo de avaliação do impacto das medidas adotadas que o planejamento deverá ser desenvolvido”, explica o professor.

Por fim, o professor comenta sobre as diferenças no combate à pandemia de cada lugar. “Temos realidades diferentes entre continentes e países, mas, nos locais onde há um processo de cobertura vacinal mais acelerado há um impacto bem significativo nos seus indicadores, seja na incidência de novos casos, no número de óbitos, na procura por internações (sem fila de espera)e etc”, conclui o professor.

A expectativa agora é a volta à normalidade em Israel. O morador Paulo Rabinovitsch, acredita que a economia do país volte a crescer aos poucos. “Precisa de uma retomada maior também numa escala mundial, porque um país interage sempre com os outros”, explica Rabinovitsch.

Victoria Muzi – 1° período

Sob supervisão de: Bárbara Souza – 7º período

LEIA TAMBÉM: A 100 dias dos Jogos Olímpicos, incertezas preocupam comunidade esportiva

2 comentários em “Governo de Israel suspende medida que obriga população a utilizar máscaras em locais abertos

  1. Pingback: Covid-19: Justiça derruba medidas restritivas na cidade do Rio de Janeiro: especialistas comentam sobre essa decisão | Agência UVA

  2. Pingback: Covid-19: 2º dose é suspensa em algumas cidades no Rio de Janeiro; populares mostram indignação | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s