Da sala de aula

Educação conta com as plataformas virtuais para a sequência das aulas durante a quarentena

Alunos e professores precisaram se adaptar ao ambiente virtual para dar sequência ao conteúdo

As escolas vêm se adaptando ao ensino online durante a quarentena. A crise global do Coronavírus gerou consequências em todos os serviços do mundo, incluindo um dos seus principais pilares: a educação. Com as escolas fechadas, alunos e professores se ajustaram aos novos métodos de ensino à distância e se apropriaram das plataformas virtuais para a continuidade das atividades escolares, com o desejo de que o ano letivo não fosse perdido. Na ausência da sala de aula, o quarto, a cozinha e até mesmo o quintal se tornaram locais de estudo durante esta quarentena. O aluno pode não estar presencialmente na classe, mas o aprendizado ainda chega para ele por meio das plataformas virtuais.

Adriana Caldeira Reis dos Santos, de 49 anos, diretora do Colégio particular Castelinho do Saber, em Cordovil, Zona Norte do Rio, diz que a escola usa duas plataformas virtuais. O projeto Unoi Educação é a plataforma de ensino da escola e o aplicativo Google Meet é o veículo em que as aulas online semanais são realizadas com os alunos. A diretora também afirma que os professores sentiram dificuldades no começo, mas graças à adaptação, tudo fluiu bem rapidamente. “Os professores agiram com muita coragem e determinação’’, comenta Adriana.

Uma dessas professoras é Danielle Prudencio Bides, de 27 anos, que ministra aulas para as turmas de 4° e 5° anos do colégio. Com o isolamento social, as crianças se distanciaram presencialmente da professora, mas os encontros virtuais proporcionam momentos de carinho, lágrimas e amor. “Nossa ligação é grande. Afinal, passamos quatro horas por dia juntos, todos os dias. Então, é saudade que não cabe no peito”, conta Danielle. A professora também diz que a maior parte dos alunos participa das aulas online e acrescenta que eles reproduzem exatamente os mesmos comportamentos da sala presencial.

A professora Danielle Prudencio está ansiosa para reecontrar os seus alunos. (Foto: Arquivo Pessoal)

Um dos alunos de Danielle é Matheus Alves da Nova, de 10 anos, estudante do 5° ano. Segundo Jacqueline Alves Duarte, de 40 anos, dona de casa e mãe de Matheus, o jovem não gosta tanto de estudar e não dá muita importância aos horários das aulas. Porém, a mãe achou um método próprio para suprir as dificuldades do filho. “Além de conversar, também dou uns gritos para fazer com que ele se concentre no horário da aula”, revela. Matheus, que está com saudades da escola e dos amigos, diz que apenas tem dificuldade em uma única disciplina. “Só tenho dificuldade na matéria de Inglês, não consigo entender o que a professora fala”, afirma Matheus.

Matheus Alves se preparando para mais uma aula on-line. (Foto: Arquivo Pessoal)

Na mesma escola, mas no Ensino Fundamental II, conhecido como Educandário Reis dos Santos, estuda Nicolle Magalhães Kelly, de 11 anos. A estudante diz que não tem nenhuma dificuldade em relação às aulas online e se adaptou bem rapidamente, mas avalia que o aprendizado não é o mesmo. “Acredito que as aulas virtuais são necessárias para não perdermos o ano letivo. A gente aprende, mas não é igual à sala de aula presencial”, opina Nicolle.

A aluna Nicolle Magalhães concentrada em mais uma aula. (Foto: Arquivo Pessoal)

A dona de casa e mãe de Nicolle, Fabíola Magalhães Kelly, de 43 anos, ficou apreensiva quando as aulas virtuais foram anunciadas, mas afirma que a filha consegue se concentrar bem durante as conferências. “Não sabíamos como seria a dinâmica das aulas e nem como as crianças iriam aceitar e absorver o conteúdo aplicado”, relata Fabíola.

A dinâmica nas aulas é importante, segundo a coordenadora escolar dos Ensinos Fundamentais I e II, Adriana Ferreira de Souza Brito, de 46 anos. “Vídeos com linguagens claras, gravações de aulas com símbolos e significados deixam a memória visual e auditiva mais acentuadas a receber o aprendizado”, ressalta. A coordenadora também diz que valorizar o encontro virtual, de maneira efetiva e dinâmica, acolhendo todos os alunos, é fundamental neste momento. “É necessário encantar para acolher o aprendente, envolvendo-os no processo ensino-aprendizado”, afirma a ex-professora de História.

E parece que todo esse encanto proporcionado virtualmente pelo colégio deve continuar por mais algum tempo. A cidade do Rio montou um plano de flexibilização para medidas de isolamento social. Todas as retomadas estão sendo feitas de forma lenta e com segurança, incluindo a educação. A retomada gradual das atividades escolares está prevista na fase três do plano de flexibilização, mas sem data precisa.

Nessa fase, escolas municipais e privadas seriam abertas para as turmas de 5° e 9° anos. Na quarta fase, as turmas de 1° e 2° anos seriam incluídas. Na fase de número cinco, mais duas séries são adicionadas à proposta, 3° e 4° anos. Na sexta e última fase, todas as escolas municipais e privadas seriam completamente abertas, mas vedadas a aglomeração de pessoas.

Enquanto alunos e professores não têm uma data certa para o retorno às escolas, as aulas virtuais permanecem no dia a dia dos envolvidos. A cooperação entre todos vai continuar por mais um tempo, mas com um bom propósito, para que o aprendizado possa seguir, independentemente do meio em que esteja, encantando a todos que descobrem o quão importante pode ser o conhecimento na vida de uma criança.

*Matéria produzida pelo aluno João Henrique Reis Ribeiro dos Santos para a disciplina Teoria e Técnica da Notícia, ministrada pela professora Maristela Fittipaldi.

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

2 comentários em “Educação conta com as plataformas virtuais para a sequência das aulas durante a quarentena

  1. Marcelo Viana

    Belíssima reportagem. Parabéns a todos os envolvidos!

  2. Maristela Fittipaldi

    Parabéns, João!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s