Sociedade

Coronavírus: Redes da Maré se mobiliza para ajudar moradores da região

Durante campanha "Maré diz NÃO ao Coronavírus", voluntários entregam cestas básicas na comunidade

Com a chegada do coronavírus no Brasil, algumas áreas que já sofriam com a carência se viram diante de um cenário ainda pior. Em situação de extrema vulnerabilidade, as favelas clamam por socorro nesse momento delicado para toda a sociedade, mas principalmente para os menos privilegiados. Alimentação e higiene estão entre as maiores preocupações em relação à população das comunidades. 

Alguns dos cuidados básicos como: lavar as mãos frequentemente, usar álcool em gel e evitar sair de casa; parecem absurdos para os moradores, que não têm suas necessidades básicas atendidas nem em condições normais. Algumas favelas, por exemplo, já não eram abastecidas com água por dias antes da pandemia ser declarada.

As comunidades acumulam números enormes de moradores. De acordo com o Censo de 2010, mais de um quinto da população carioca vive nas favelas. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístca (IBGE) indica ainda que o Rio de Janeiro é a cidade com maior número de pessoas vivendo nesses aglomerados, somando mais de 1 milhão de habitantes nas 763 favelas da cidade.

Diante desse cenário caótico e precário, a solução que muitas ONGs e grupos de pessoas encontraram foi reunir por conta própria doações para pessoas carentes que dependem da renda diária para sobreviverem. Foi assim que surgiu a Campanha “Maré diz NÃO ao Coronavírus”, uma iniciativa das Redes da Maré, inicialmente pensada para os meses de março, abril e maio, que reúne doações feitas por instituições e pessoas físicas para distribuir no complexo. 

Voluntário da Campanha “Maré diz NÃO ao Coronavírus” entrega cesta básica à moradora.(Foto: Divulgação/Redes da Maré)

A região da Maré é um conjunto de 16 favelas na Zona Norte do Rio de Janeiro, que abriga 140 mil pessoas, formando o mais populoso complexo de favelas da cidade. De acordo com o Censo Maré 2013, pelo menos 55% dos moradores vivem com renda per capita abaixo da linha da pobreza, e ainda 9% estão em situação de extrema pobreza.

Rebeca Vitória do Nascimento, moradora da Maré, se solidarizou com a situação dessas pessoas e ajudou com doações. “Eu vim aqui trazer essas doações porque, para mim, é muito importante ajudar o próximo e, por mais que a gente tenha, muitas pessoas têm bem menos que a gente. Então, se nós podemos ajudar, devemos ajudar. Meu coração fica feliz por saber que esse alimento vai chegar até pessoas que realmente precisam. Esse é um momento de união, que nós precisamos pensar no próximo com empatia”, conta a moradora. 

A campanha tem como finalidade fornecer os suprimentos básicos para quem precisa de ajuda, principalmente, nesse momento de pandemia. Para isso, a cesta básica contém: alimentos não perecíveis, alimentos que contribuam para a imunidade, itens de higiene pessoal, itens de limpeza de ambiente e água mineral. Além disso, há também distribuição de quentinhas para população em situação de rua.  

A meta é, ao longo dos três meses, distribuir 6.000 cestas básicas para as famílias mais pobres, 6.000 kits de higiene, 6.000 refeições prontas e ajuda de custo para as mulheres que estão preparando as quentinhas durante a quarentena, já que o serviço de buffet do projeto Maré de Sabores foi paralisado.  

Em média, são envolvidas cerca de 150 pessoas diariamente para viabilizar toda a campanha. Pâmela Carvalho, moradora do Parque União, faz parte do grupo de voluntários que ajudam nessa missão. Ela atua na recepção de doações e distribuições de cestas e ressalta a relevância da campanha. 

“Essa é uma ação muito importante, na qual estamos tentando impactar cerca de 6.000 famílias aqui do conjunto de favelas da Maré, que estão sofrendo os impactos do coronavírus. Nós estamos doando produtos de qualidade e higienizados, para que cuidemos da nossa saúde como colaboradores e da saúde de quem está recebendo essas doações”, explica a voluntária.

A demanda é grande e toda ajuda é bem-vinda. Por isso, Pâmela faz um apelo a toda sociedade, para que cada um atue da forma que pode. “Quem puder fortalecer, doar, ajudar a gente nesse movimento, faça. Porque sabemos que as periferias e as favelas sofrem muito com impactos de crises como essa que estamos vivendo”, conclui.  

A Redes da Maré disponibilizou um contato a todos que desejam se voluntariar para fazer parte da infraestrutura da campanha. Basta entrar em contato por meio do número de telefone (21) 99579-1819. 

LEIA MAIS: Coronavírus: número de mortes sobe para 1.532 no país

LEIA MAIS: Populares comentam divergências governamentais diante do coronavírus

Marina Figorelli – 7º Período

2 comentários em “Coronavírus: Redes da Maré se mobiliza para ajudar moradores da região

  1. Pingback: Populares e especialista comentam mudanças no Ministério da Saúde | Agência UVA

  2. Pingback: Coletivos promovem ações contra o Covid-19 em favelas do Rio | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s