Saúde

Coronavírus: estado inicia instalação de hospitais de campanha no Rio

Especialista em saúde pública explica necessidade de leitos emergenciais

O Governo do Estado do Rio de Janeiro iniciou, na última terça (31), a instalação de 1.800 leitos para tratamento do novo coronavírus, sendo 520 CTIs. As unidades serão postas em São Gonçalo, Duque de Caxias, Jacarepaguá, Leblon, Campos dos Goytacazes, Nova Iguaçu, Casimiro de Abreu e no Complexo Maracanã, com entrega prevista para 30 de abril.

Os hospitais de campanha são unidades provisórias de atendimento, compostos por equipamentos, médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde necessários para o combate a uma doença específica – neste caso, o Covid-19. Segundo o professor de Saúde Pública da UVA, Paulo Machado, as novas instalações “são necessárias para desafogar os grandes hospitais, podendo até atender casos clínicos que não o novo coronavírus”.

LEIA TAMBÉM: Psicóloga dá dicas de como evitar solidão na quarentena

O estado do Rio possui 1074 casos confirmados de Covid-19 até 3 de abril. Para Paulo Machado, este número justifica a construção dos novos hospitais:

“Com o crescimento do número de casos confirmados, eles já são necessários para que haja tempo hábil para organizar de forma ‘planejada’ e não emergencial quando nos aproximarmos do pico da doença”, explica o especialista.

Painel de monitoramento dos casos de coronavírus no estado do Rio (Gráfico: Prefeitura do Rio de Janeiro)

No Complexo Maracanã, as instalações ficarão no Célio de Barros, pista de atletismo desativada. Diferentemente do hospital de campanha no Pacaembu, em São Paulo, o gramado não será utilizado, tampouco os vestiários. O principal estádio carioca terá 400 leitos, sendo 80 deles unidades de CTI. A construção foi acordada entre o governo estadual e os clubes Flamengo e Fluminense, atuais administradores do local.

Hospital de campanha do Riocentro, sob responsabilidade da Prefeitura do Rio, já está 75% concluído. (Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio)

Além do início das construções, o governo estadual realizou, na mesma semana, a vistoria emergencial no Abrigo do Cristo Redentor, que acolhe 224 idosos. A subsecretaria estadual de Assistência Social verificou a adoção de procedimentos adotados pelos profissionais da instituição e a disponibilização de materiais de higiene. O abrigo, única instituição do gênero mantida pelo governo do estado, recebeu reabastecimento dos estoques de álcool em gel, sabonete líquido, papel toalha e equipamentos de proteção individual – luvas e máscaras.

Com a construção dos hospitais de campanha, o Governo do Rio de Janeiro se prepara para receber pacientes que as unidades de atendimento já existentes não seriam capazes de suportar. Enquanto a doença avança, o governo busca medidas para ajudar a população.

Isabela Jordão – 7º período

0 comentário em “Coronavírus: estado inicia instalação de hospitais de campanha no Rio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s