Saúde

“Gripe: tem que vacinar” – Rio terá 265 mil novas doses nesta terça-feira (7)

Vacina não tem eficácia contra Coronavírus, mas ajuda a reduzir demanda por serviços de saúde

A procura pela vacina da gripe na cidade do Rio de Janeiro foi tanta que, ao fim da segunda semana de campanha, a Secretaria de Saúde do município teve que suspender a aplicação nos postos. Por conta da alta demanda, a vacinação ficou restrita apenas aos idosos com mais de 80 anos, que são atendidos em casa ou asilos.

Em apenas dez dias, a campanha de vacinação contra a gripe imunizou 70% dos idosos e 59,7% dos profissionais de saúde da capital. A estratégia é proteger as pessoas do grupo de risco (maiores de 60 anos) e liberar as estruturas de atendimento para atender os pacientes de Covid-19.

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), nos primeiros 10 dias, a adesão de idosos foi 5 vezes maior e a dos profissionais de saúde foi 15 vezes maior do que na campanha do ano anterior (2019). Até o dia 1º de abril foram vacinados 662.971 idosos e 123.545 profissionais, perfazendo o total de 786.516 pessoas.

O enfermeiro Paulo Machado, professor de Saúde Pública da Universidade Veiga de Almeida, esclarece que a vacinação contra o vírus influenza ocorre todos os anos, contendo as cepas dos vírus que mais circularam no ano anterior. A vacina é altamente eficaz e confere proteção por 12 meses, sendo, portanto, necessário revacinar-se a cada ano.

A proteção é importante. Segundo dados no Ministério da Saúde (MS), em 2019, os três vírus que mais circularam no hemisfério sul foram Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). O Brasil registrou 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de influenza.

As Clínicas de Saúde da família são os locais de maior distribuição de vacinas do município do Rio de Janeiro. (Foto: Francisco V Santos/Agência UVA)

A estratégia de vacinação na cidade do Rio

Além da aplicação nos Centros Municipais de Saúde e Clinicas da Família (233 postos), este ano, a Prefeitura disponibiliza outras opções, como a vacinação em casa, para idosos com mais de 80 anos.

O sistema Drive thru, no qual o idoso não desce do carro para ser vacinado, utiliza os postos de vistoria do DETRAN. Na capital, o serviço está disponível nos postos de Campo Grande (Mendanha), Ilha do Governador (Tubiacanga), Barra da Tijuca (Aerotown), Catete (Machado de Assis) e Haddock Lobo (Rio Comprido).

Para as pessoas idosas torna-se prático e seguro tomar a vacina no carro.
(Foto: Alexandre Simonini / Divulgação Detran-RJ)

Outra novidade é a distribuição da vacina para médicos e enfermeiros aplicarem de forma domiciliar, em condomínios e nos próprios familiares. Os profissionais interessados devem fazer um cadastramento online na SMS para receber instruções e agendar a retirada do material, que pode ter quantidade mínima de 10 e máxima de 50 doses. A inscrição está disponível aqui.

Nos primeiros dias da campanha houve uma correria aos postos, causando aglomerações e até desabastecimento. No sistema drive thru houve atrasos e filas em alguns postos.

Segundo Paulo Machado, a rede da Prefeitura é suficiente para suportar a demanda se esta for diluída no prazo da programação, que normalmente é de 90 dias. Desta forma, permite maior organização e segurança para todos. Veja os locais de atendimento aqui.

A vacinação em âmbito nacional

Por conta da pandemia, o Ministério da Saúde antecipou o início da campanha para 23/03, com o objetivo de reduzir as síndromes gripais e facilitar o diagnóstico da Covid-19. Outra medida foi suspender a vacinação de crianças durante a primeira fase da campanha (até 16/04), para evitar que pessoas de todas as idades se concentrem nos postos.

Dados divulgados pelo MS informam que até a última quinta-feira (02/04) 15,6 milhões de doses foram aplicadas em idosos, o que representa 62,6% da população a ser alcançada. Em relação aos trabalhadores de saúde, foram vacinados 2,6 milhões, alcançando 52% da meta.

A gripe e os principais sintomas

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, provocada pelo vírus da influenza, com grande potencial de transmissão. Inicia-se com febre, dor no corpo e tosse seca. Pode também provocar coriza, dores de cabeça e de garganta. Normalmente, tem duração de um a quatro dias, mas pode evoluir para formas graves e levar a óbito.

Cronograma de vacinação

A meta do Ministério da Saúde é vacinar, pelo menos, 90% de cada grupo alvo até o dia 22 de maio, da seguinte forma:

23/03 a 15/04 – Idosos com 60 anos ou mais e os trabalhadores da saúde.

16/04 a 08/05 – Profissionais das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários.

09/05 a 22/05 – Professores, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas e mães no pós-parto, população indígena, pessoas acima de 55 anos e pessoas com deficiência.

O dia “D” de mobilização nacional para a vacinação contra a gripe acontece no sábado, dia 9 de maio.

LEIA TAMBÉM: Campanha de vacinação contra a gripe começa no dia 23 de março

Francisco V Santos – Colaborador Agência UVA

1 comentário em ““Gripe: tem que vacinar” – Rio terá 265 mil novas doses nesta terça-feira (7)

  1. Pingback: Coronavírus: “Coronavoucher” é a hidroxicloroquina dos autônomos e desempregados | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s