Falha no Whatsapp deixa usuários desprotegidos

Falha de segurança no Whatsapp deixa brecha para hackers invadirem contas de usuários do aplicativo

Whatsapp informou que hackers conseguiram instalar um software que possibilitava-os de se infiltrar em telefones celulares através de uma falha de segurança do aplicativo de mensagens instantâneas. O programa se trata de um sistema de vigilância remoto e permitia que esses invasores utilizassem o aplicativo como se fossem proprietários do aparelho móvel. O ataque às contas tinham como alvo um grupo seleto de usuários, cerca de 1,5 bilhão de usuários no mundo todo.

O jornal britânico Financial Times informou nesta segunda-feira (13) que o software usado para a invasão foi desenvolvido pela empresa de segurança israelense Grupo NSO, que negou ter qualquer tipo de envolvimento no ataque. Contudo, a equipe do Whatsapp disse à BBC que foram os primeiros a detectar a falha na segurança e de imediato informaram e compartilharam informações com órgãos superiores, como provedores de segurança cibernética e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Whats App recomendou a seus usuários que atualizassem o programa. Foto: Divulgação.

Os ataques dos hackers eram feitos pelo recurso de chamada de voz do Whtasapp. Norma Souza, diretora da Creche Municipal Cora Coralina, na Ilha do Governador,  foi uma das vítimas da invasões do Whatsapp e contou como ocorreu a invasão:

“Estava terminando um anúncio na internet quando recebi uma mensagem que a principio achei que era um código para confirmação da publicação que tinha acabado de fazer, que estava mesmo pendente, então segui as instruções do que estava sendo pedido. Logo após fazer isso, meu Whatsapp foi clonado, vários dos meus contatos receberam mensagens minhas pedindo que fizessem um deposito em uma conta desconhecida, como se fosse eu,” disse a diretora. “Quando percebi o que havia acontecido fiquei preocupada com a possibilidade de uma pessoa estranha, e com más intenções, estar tendo acesso a tantas informações minhas, invadindo minha privacidade”, contou. 

Ainda na segunda-feira (14), a empresa responsável pelo Whatsapp confirmou em um comunicado feito à imprensa que a falha havia sido resolvida e pediu para que todos os usuários, do mundo inteiro, atualizassem seus aplicativos para a versão mais recente e, consequentemente, mais segura. Entretanto, durante o ocorrido a equipe do serviço de mensagens instantâneas não foi tão eficiente.

“Assim que descobri o que havia acontecido enviei um e-mail para o suporte do Whatsapp informando o ocorrido e pedindo desativação da minha conta, mas não obtive resposta e tiver que tomar providências por conta própria, com minha operadora do celular”, contou Norma.

Apesar do problema ter sido solucionado, a empresa ainda, em seu comunicado, alertou os especialistas de segurança, afirmando que a falha ocorreu devido à uma vulnerabilidade na função de chamada.

Uma audiência em Tel Aviv sobre a petição da Anistia Internacional para que seja retirada a licença que permite a exportação dos produtos do Grupo NSO, empresa acusada da invasão nos aparelhos móveis, ocorreu nesta terça-feira (14).

LEIA TAMBÉM: Facebook apresenta novidades e lança rival do Tinder no Brasil


Ana Carolina Oliva – 7o período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s