Economia Geral

Desemprego obriga jovens a se profissionalizarem mais cedo

Uma crise instalada no país traz consequências para toda a população. Empregos em baixa, oportunidades escassas, e empresas cada vez mais exigentes têm dificuldades para encontrar os profissionais que querem, porque não há qualificação adequada. A chance de entrar no mercado de trabalho tem sido cada vez mais árdua e estressante para aqueles que buscam condições melhores para viver.

O desemprego no país foi de 13,1%, em média, no primeiro trimestre de 2018, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a maior taxa de desemprego trimestral do país desde maio do ano passado (13,3%). Em números, são 13,7 milhões de pessoas desempregadas no país. Esses dados ajudam a demonstrar a dificuldade que vem sendo enfrentada pelas famílias brasileiras.

Com isso, muitos jovens e adolescentes buscam trabalhar mais cedo para ajudar em casa. A pressão do desemprego dos mais velhos faz com os jovens tentem um trabalho o quanto antes. O programa Jovem Aprendiz, uma parceria entre governo e empresas, ajuda no primeiro contato com o mercado de trabalho. Empresas de grande a pequeno porte dão oportunidades a quem ainda não tem experiência profissional.

Mais de 200 mil aprendizes foram contratados até dezembro do ano passado. Os dados desse primeiro semestre ainda não estão atualizados, mas estima-se que o percentual deva crescer. Esse programa é uma grande ajuda a quem quer progredir e ajudar a família ganhando conhecimento e experiência, hoje  fundamental para se conseguir bons empregos.

Mesmo com a situação do desemprego no país estando grande, os jovens estão vendo as oportunidades sendo abertas e se expandindo. A expectativa com esse aumento é de que as empresas se sensibilizem com a chance de continuar produzindo novas oportunidades para os jovens, e que não encarem como dever legal, mas como uma forma de ajudar no caráter social.

Com os jovens iniciando a carreira profissional mais cedo, eles têm a oportunidade de aprender sobre novas funções e ter um primeiro contato com esse novo ambiente. Como diz a aprendiz Leandra Bastos, de 17 anos. “Profissionalmente, me ajuda a compreender mais como funciona esse ambiente da empresa, tenho aprendido bastante, principalmente no setor que estou no departamento pessoal. Isso está me ajudando a ter um conhecimento maior sobre como funciona na prática.”

 A jovem aprendiz Leandra afirma ainda que um dos principais objetivos de entrar para o programa de aprendizagem é obter a independência financeira. “A bolsa  é ótima. E eu posso ter a minha própria independência financeira, mesmo que não completamente. Estou adorando. Acho que está sendo bem legal para mim essa experiência. ”

A empresa está na função de ajudar e auxiliar os jovens neste nosso universo em que entram, muitos na sua primeira vez em um ambiente profissional. A gerente de pessoal Maria Cristina Verri, da empresa BCF Administradora de Bens, explica como funciona o processo de contratação dos jovens e a relação deles com a empresa. “Aqui na empresa, nós iniciamos a contratação de jovens aprendizes a partir da exigência de uma fiscalização do Ministério do Trabalho. Até então, todos os jovens ou estudantes que tínhamos no quadro de pessoal eram contratados como estagiários. Nosso pensamento é que este projeto é uma grande oportunidade para o jovem que está buscando sua primeira oportunidade de emprego. Cabe ao aprendiz pegar essa oportunidade com todo interesse e empenho e buscar se qualificar para o futuro.”

Quem engrossa essa estatística é a jovem aprendiz Tayná Costa, 21 anos. Ela estava almejando novas chances de entrar no mercado de trabalho e encontrou em uma instituição especializada uma oportunidade. A principal dificuldade que encontrava era ser rejeitada por falta de experiência. “No programa de aprendizagem você não precisa de experiência e é uma oportunidade dos jovens encararem o mercado de trabalho e terem um primeiro contato.”


Nathalia Gonçalves e Dayane Rodrigues – 6º período

 

 

 

 

 

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

2 comentários em “Desemprego obriga jovens a se profissionalizarem mais cedo

  1. Pingback: Desemprego obriga jovens a se profissionalizarem mais cedo — Meire Jimenez – Moda & Música & Afinidades

  2. Pingback: Qual é o segredo para construir uma carreira de sucesso? | AgênciaUVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s