Será que você está vivendo um relacionamento abusivo?

Eloise Maciel tinha apenas 14 anos quando pensou ter encontrado o namorado perfeito. Ele fazia surpresas e até levava flores na porta da escola onde estudava. Ela não entendia porque as amigas dela, apesar de tudo, a alertavam sobre seu relacionamento. Até que ela descobriu que o príncipe era, na verdade, um sapo. Ele começou a controlar suas roupas, proibir que ela tivesse amigos e até redes sociais. Uma vez, chegou a jogar o celular dela na parede ao descobrir que tinha o aplicativo Instagram. “Quando a gente discutia, ele socava a parede até sangrar e dizia que era para não me machucar”, conta ela, que agora tem 19 anos e viveu durante mais de um ano esse relacionamento.

Foto 1

Relações como a de Eloise, em que há violência emocional, psicológica e/ou física que ocorre de forma frequente, são consideradas abusivas. A violência psicológica é a forma mais velada de agressão, e por isso difícil de ser reconhecida. “É muito difícil se identificar nesta situação sozinha. A pessoa envolvida realmente acredita que o nome do que vive é amor”, diz a psicóloga Carolyne Cruz. Segundo ela, é importante prestar atenção no que dizem os amigos e familiares. “Muitas vezes, as pessoas mais próximas estão sempre tentando alertar a vítima de que seu relacionamento não é saudável”, explica. “Perceba se seus amigos ainda podem ser seus amigos ou se aqueles que mais o alertavam foram afastados de você”.

Raphael Bastos, de 20 anos, conta que o ciúme excessivo e controlador, além das chantagens emocionais de seu namorado, fizeram com que ele se afastasse de seu melhor amigo. Segundo ele, sua amizade nunca mais foi a mesma. “Além disso, prejudicava meu sono, eu perdia o apetite, pegava um pouco da neurose dele pra mim e me tornei um pouco paranoico na época”, lembra.

Foto 2

Esse tipo de abuso pode ocorrer em qualquer relacionamento, seja homossexual ou heterossexual, entre pessoas de qualquer idade, e traz consequências graves para a saúde da vítima, segundo a psicóloga Ana Claudia Marques. “A agressão psicológica pode ocasionar baixa autoestima, baixa autoconfiança, depressão, ansiedade, desânimo, isolamento social, dificuldades de relacionamento interpessoal, além de somatizações físicas diversas, quando o organismo produz sintomas para manifestar o sofrimento psíquico”, explica.

Nicole de Mattos, de 21 anos, demorou a perceber que vivia um relacionamento abusivo, apesar dos efeitos dele em sua vida. “Eu ficava com raiva das pessoas querendo se meter, achava que eu tinha total controle do que estava acontecendo e era só uma fase”, lembra. O estresse gerado pelos jogos psicológicos do namorado afetou a estudante em diversas áreas da sua vida, como os estudos e até sua relação com a família, já que ele dizia ser o único que se importava com o bem-estar dela. Após um ano de namoro, ela viu que não valia a pena permanecer nessa situação. “Quando eu comecei a perceber que não estava me fazendo bem, eu terminei, porque a gente não vai ficar com uma pessoa para te fazer mal”, diz Nicole.

Foto 4

Para Ana Claudia, o primeiro passo após identificar que vive uma relação abusiva, além do término, é conversar com alguém de confiança. “Família, amigos, podem ajudar a ter uma visão mais completa da situação e dar apoio para que a pessoa saia da relação sem ficar desamparada emocionalmente. Em seguida, procurar um profissional de psicologia pode ajudar muito”, explica. Carolyne Cruz também afirma a importância de buscar terapia e ajuda profissional: “Procurar um psicólogo é essencial para que a pessoa deixe as feridas deste relacionamento no passado e consiga seguir para o seu futuro”.

Sinais de Alerta

Você pode estar vivendo uma relação abusiva caso se identifique com as situações abaixo:

  • Diminuição da sua autoestima: o parceiro costuma coloca você para baixo, ofendendo pelos aspectos físicos ou intelectuais;
  • Manipulação emocional: frases como “Eu sou o único que vou te amar”, “Ninguém jamais vai te amar como eu te amo” fazem você acreditar que ele é o único que se importa com você;
  • Ciúmes e controle excessivo: o parceiro proíbe você de sair sozinho, ver ou se comunicar com amigos, familiares e conhecidos. Censura às suas roupas e comportamentos;
  • Xingamentos e agressões verbais;
  • O parceiro coloca você como culpado pelas próprias atitudes dele, você recebe a culpa por todos os problemas do relacionamento.

Reportagem de Maria Carolina Martuchelli Guedes para a disciplina Projeto Interdisciplinar de Jornalismo Impresso

2 comentários sobre “Será que você está vivendo um relacionamento abusivo?

  1. Pingback: Entenda como o krav magá contribui para mulheres se sentirem mais seguras no dia a dia | AgênciaUVA

  2. Pingback: Entenda como o krav magá contribui para mulheres se sentirem mais seguras no dia a dia – Thayná Duarte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s