Arte Drag: Expressão Drag Queens tem significado maior do que costumam imaginar

Homem que se veste de mulher, maquiagem completamente carregada e roupas exóticas, sendo por meio de diversão ou remunerado. Talvez assim pode-se iniciar uma definição simples, buscada no dicionário sobre o que são as Drag Queens. Porém, a palavra tem acima de tudo um significado muito maior e foi abraçada pelo mundo inteiro para estabelecer uma forma de arte.

Desde sempre, homens se caracterizam de mulher como uma demonstração artística. Na Grécia antiga, quando nascia o teatro, ao Kabuki no Japão, o papel da mulher era feito pelo sexo masculino, já que naquela época, elas eram proibidas de se apresentar nos grandes palcos.

A origem do termo “Drag Queen” é no mínimo intrigante. Alguns costumam dizer que em anotações dos seus textos, Shakespeare costumava escrever no final da página a palavra “Drag”, para se referir a determinados personagens femininos que seriam interpretados por homens. Essa anotação, vem do verbo “to drag”, arrastar traduzindo para o português, referindo-se ao fato das longas roupas que eram utilizadas deslizadas pelo chão

Outros acreditam que veio surgir em meados de 1800, como uma forma pejorativa de rotular os homossexuais. Ao mesmo tempo, surge Madam Pattrini, Drag performática, de Brigham Morris Young. Mais tarde, o termo ganhou significado mais específico, sendo designado a qualquer pessoa do gênero masculino que se vestisse de mulher apenas para propósitos teatrais.

1fab35_df8931d539e1405bb86290845f2c40fd_mv2

Evolução de drag queens na história

É errado achar que ser Drag tem relação com a sexualidade da pessoa. Não é necessário ser gay para virar uma Drag Queen, apenas ter apreço pela arte já basta. Além do preconceito da sociedade com esse público, pelo motivo de grande parte serem homossexuais, as Queens são bastante divertidas e sabem como dar um show em cima dos palcos.

Fotos: Fábio Eduardo / UVA

Nina Bronx e Ravanna Banks querem aperfeiçoar as suas drags. Fotos: Fábio Eduardo / UVA

Alguns tipos de Drag Queen

· Drags Campys: Drags bem caricatas, que buscam a raiz do movimento; Tornam as performances mais humorísticas e descontraídas.

 · Top Drags: São as especialistas em performances (dublagens, danças e shows mais elaborados).

 · Drags Andróginas: Apresentam características femininas e masculinas ao mesmo tempo.

 · The Fish: Essas Queens dão o melhor de si para que consigam chegar ao mais próximo possível da perfeição feminina, mas não de forma caricata.

Confira a íntegra da reportagem multimídia “Arte Drag“.


Reportagem de Camilla Lemos, Isadora Farias e Vitor Rabelo para a disciplina Jornalismo Digital

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s