Uma noite para a reflexão

O auditório do campus Tijuca da Universidade Veiga de Almeida (UVA), sediou na noite de terça feira (08) uma palestra sobre a desmistificação de preconceitos sobre os direitos humanos, promovido pelo curso de Relações Internacionais. Dentre os convidados, destacava-se o Deputado Estadual e professor Marcelo Freixo, que não só demonstrou todos os seus conhecimentos na área em questão como serviu para chamar a atenção para o evento. O clima interno do local caminhava de encontro do externo.

Em uma noite aonde o assunto eram causas sociais, centenas de estudantes se aglomeraram na entrada do auditório lotado, cujo o numero limite é de duzentas pessoas, tentando encontrar um jeito de assistir as palestras e se manifestando quando o acesso não era mais possível. Alguns entraram e muitos outros ficaram de fora. Na parte interna do local, coube à presidente do Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Célia Regina de Paula, introduzir uma breve história sobre como surgiu a necessidade de se criar proteções legais ao ser humano.

IMG_6108[1]

Convidados escutam à perguntas da plateia [foto: Daniel Deroza/Agência UVA]

Em seguida, o advogado de Direitos Humanos, Felipe Coelho, contextualizou o tema à prisão do morador de rua Rafael Braga nas manifestações de 2013. Na época, o jovem foi acusado de portar equipamento inflamável e, sem provas contundentes, foi detido. “Rafael era morador de rua e foi preso por protesto violento. Contra o que ele iria lutar se ele não tem base nenhuma? Como se rebelar sem saber contra o que está se rebelando? Por ser negro e morador de rua, ele foi tido como culpado”.

A estudante do curso de direito, Isabel Ribeiro, apoiou a presença de nomes como Flavio Coelho e Marcelo Freixo no debate. “Isso é ótimo, ter alguém como eles aqui ajuda a compreendermos melhor o papel dos Direitos Humanos, tanto na área social quanto no campo do Direito”.

IMG_6324[1]

Marcelo Freixo participando do debate [foto: Daniel Deroza/Agência UVA]

A ótica da situação internacional veio por meio das palavras da professora de direito da UVA, Roberta Lussac, que trouxe a discussão sobre a repressão a movimentos LGBT’s na Rússia e Chechênia. Com observações pontuais, Marcelo Freixo apontou, após o fim da palestra, como está a situação desse grupo no Brasil. “O grande debate de gênero ainda é ruim em qualquer lugar, é péssimo nas universidades e escolas públicas\privadas. Muito devido a esse setor mais conservador da sociedade que tem no diálogo sobre uma batalha quase campal em nome de uma ideologia”.

Por fim, após o término do debate, Freixo categorizou a vitória do Presidente Donald Trump como um alerta do quão perigosas as corridas eleitorais podem ser para os avanços na área dos Direitos Humanos. “A eleição do Trump nos deixa uma lição: a barbárie não pode ser tratada como piada. A lição para o Brasil, em 2018, é não tratar nenhuma coisa esdruxula como piada, porque essa piada pode virar presidente”.


Gustavo Barreto – 6º Período

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s