Comportamento Meio Ambiente Sociedade

O efeito do veganismo no meio ambiente

O movimento tem como foco um estilo de vida menos agressivo ao planeta

Ao contrário do que se pensa e muito se reproduz, o veganismo engloba outras propostas que vão além do ato de não comer carne. Por definição da “The Vegan Society”, da Inglaterra,  o veganismo é “uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade”. Para os adeptos, não é só no prato que se faz a diferença, é no estilo de vida.

Não usar qualquer item que tenha componentes de origem animal, incluindo produtos de beleza e limpeza, faz parte da agenda prática vegana. Além disso, para o movimento, uma das mais sérias consequências do consumo de carne, leite e ovos e derivados, são os graves impactos ambientais que sua produção em massa causa.

Ainda que a construção de estradas, usinas, atividades mineradoras e o processo intensivo de urbanização dos campos por vezes contribuam significativamente para a redução das matas, a principal causa de desmatamento no Brasil é a atividade agropecuária, ou seja, o gado que é produzido para consumo. De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre a Produção Pecuária, só no primeiro trimestre de 2018 foram abatidos no Brasil:

  • 7,37 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária;
  • 10,46 milhões de cabeças de suínos;
  • 1,48 bilhão de cabeças de frangos;
  • A produção de ovos de galinha foi de 788,26 milhões de dúzias;
  • Foram registrados 5,87 bilhões de litros de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal)

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o setor de produção de gado é um dos maiores responsáveis pelos mais sérios problemas ambientais, em todas as escalas, tanto local quanto global.

A principal causa do desmatamento do Brasil é a produção agropecuária
(Foto: Greenpeace)

A educadora física Letícia Macedo, de 23 anos, é vegana há 2 anos e expõe sua preocupação com o rumo que o mundo está tomando com tantas mudanças climáticas, por exemplo, e a falta de empenho conjunto para mudar essa realidade. “Se os seres humanos querem que as futuras gerações continuem existindo e que o planeta aumente seu tempo de validade, é necessário mudarem rapidamente seus hábitos e se conscientizarem de suas atitudes”, afirma Letícia.

A educadora física também explica a importância e as potenciais vantagens do veganismo para a saúde do indivíduo que adota esse estilo de vida: “O mercado vende a ideia de consumo de carne e seus derivados como sinônimos de uma alimentação saudável quando, na verdade, contribuem para o desenvolvimento de diversas doenças crônicas”, observa Letícia. Para a Terra, a vegana lista diversas melhorias que a prática, em larga escala, pode oferecer.

“O veganismo pode contribuir de diversas maneiras para a saúde de ambos [sociedade e planeta]. A diminuição na emissão de gases, desaceleração do aquecimento global, diminuição do desmatamento e do sofrimento animal são alguns dos efeitos desse estilo de vida mais consciente”, afirma.

Thaís Garcia, bióloga marinha, garante que nem só quem vive fora d’água é beneficiado pelo veganismo. A preservação das espécies marinhas e dos oceanos, para a pesquisadora, faz parte da preservação do planeta como um todo.

“O mar que continua cheio de resíduos, principalmente plásticos. Os veganos também contribuem para o consumo consciente de plástico, alumínio e produtos não recicláveis. É um dos estilos de vida mais saudáveis e limpos que existem”, enfatiza a bióloga.

O veganismo, não se limitando a apenas a proteger animais contra crueldades, acredita em somar forças no combate do aquecimento global, na proteção do meio ambiente. O movimento cultiva uma ambição grandiosa, uma semente por vez: garantir o futuro de toda a humanidade.

Reportagem Beatriz Lara com edição de texto de Bárbara Souza e Gabriel Folena

LEIA TAMBÉM: Veganistas: Quem são? Como vivem? O que comem?

LEIA TAMBÉM: Ministério da Agricultura proíbe a comercialização de marcas de azeite

1 comentário em “O efeito do veganismo no meio ambiente

  1. Pingback: Veganistas: Quem são? Como vivem? E o que comem? | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s