Economia

Vendas online na Black Friday 2020 crescem 31% e passam de R$5 bi

As vendas da Black Friday de 2020 passaram de 5,1 bilhões – valor 31% maior do que o mesmo período do ano passado –, segundo levantamento da Neotrust/Compre&Confie. De acordo com o estudo, foram realizados 7,6 milhões de compras online na data, número 24,7% maior do que o registrado na Black Friday em 2019.

Os dados consideram todas as vendas de bens de consumo realizadas em todo o país nos dias 26 e 27 de novembro. “O volume de vendas na Black Friday em 2020 foi um marco para história do e-commerce brasileiro, tornando-se a data com maior volume de venda já registrado no País em todos os tempos. Em alguns períodos do dia, foram mais de 5 mil pedidos por minuto”, destaca André Dias, fundador da Neotrust/Compre&Confie.

Os brasileiros também fizeram pedidos de maior valor. Ainda segundo o levantamento, o tíquete médio neste ano foi de R$ 668,70, 5,1% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Foto: Reprodução

“Diferentemente das edições anteriores, as ações de antecipação das ofertas da Black Friday apresentaram resultados muito positivos em 2020. Desde o início da semana até quarta-feira, as vendas registraram variação superior a 100% em relação ao ano passado. Em contrapartida, a alta nas vendas durante o início da semana enfraqueceu os resultados durante a sexta-feira”, explica Dias.

As categorias que geraram maior volume de compras no período foram: Moda e Acessórios, Beleza, Perfumaria e Saúde, Artigos para Casa, Entretenimento e Eletrodomésticos e Ventilação. Considerando o faturamento, as classes de produtos que mais geraram receita foram: Telefonia, Eletrodomésticos e Ventilação, Informática e Câmeras, Entretenimento e Móveis, Construção e Decoração.

“Os principais estímulos para aumento das vendas da Black Friday 2020 podem ser atribuídos à entrada de novos consumidores online, à digitalização de lojas físicas e ao aumento do consumo de bens não duráveis. O consumidor comprou de tudo na data este ano, desde um novo smartphone até bebidas e produtos de beleza”, analisa o executivo.

Quem comprou mais?

A Neotrust/Compre&Confie aponta que a maior parte das vendas esteve concentrada na região Sudeste (61,6%). Em seguida, estão: Nordeste (15,9%), Sul (14,5%), Centro-Oeste (6%) e, por último, o Norte (2%). Segmentando por gênero, as mulheres fizeram mais compras do que os homens: elas foram responsáveis por 55,7% dos pedidos realizados, enquanto eles somaram 44,3%.

Em relação à faixa etária, a idade média do consumidor na Black Friday 2020 é de 36 anos. A maior parte das compras online foi feita por brasileiros entre 26 e 35 anos (34,6% do total de pedidos realizados). Os que têm entre 36 e 50 anos vêm em seguida (33,2%) e aqueles com até 25 anos ocupam o terceiro lugar (18,9%). Por último, estão os consumidores acima de 51 anos (13,2%).

Nos dois principais dias de vendas da data, segundo levantamento da ClearSale, o número de fraudes evitadas aumentou 68%, o que impediu mais de R$ 42.000.362 de prejuízo para o e-commerce.

Lígia Matsuyama, que é professora em colégio público, diz que prefere ir pessoalmente às lojas na Black Friday, mas esse ano fez todas suas compras pela internet devido a pandemia. “Eu gosto muito de comprar roupas para mim e para meus filhos nessa época, e todo mundo sabe que roupa tem que experimentar pra ver se fica bom realmente, mas infelizmente não pude correr esse risco com minha família em casa”, completou.

Já Claudio Serdeira explica que já fazia a maioria das suas compras online e aproveitou o dinheiro que guardou para comprar 2 notebooks para seus filhos estudarem nessa Black Friday. “Tenho 2 filhos na faculdade e eles estavam revezando o notebook nessa época de pandemia, e a gente sabe que as aulas estão sendo online nesse período difícil. Aproveitei uma promoção e com o dinheiro que consegui economizar comprei dois e agora tenho até um para poder trabalhar melhor também”, explica.

O professor de Economia da UVA, Durval Meirelles, dá sua opinião. “A Black Friday é um momento já consolidado em termos de marketing e consumo, em que o e-commerce cresce cada vez mais, e com isso as empresas que não eram virtuais estão se virtualizando e estão vendendo quase 80% de todo seu faturamento online. Então seja pela pandemia, ou pelo nosso novo normal, que são essas vendas onlines durante esse período de isolamento, a sociedade brasileira vem se adaptando cada vez mais ao e-commerce.”

LEIA TAMBÉM: Com a economia do país em baixa, setor de alimento sofre com preços elevados

Bernard Múrcia – 8° período

2 comentários em “Vendas online na Black Friday 2020 crescem 31% e passam de R$5 bi

  1. Pingback: SITE FORA DO AR na BLACK FRIDAY? Saiba como evitar!

  2. Pingback: Dólar opera em queda após COPOM manter a taxa básica de juros em 2% ao ano | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s