Comunicação Cultura

Segundo dia do Fórum Comunicação, Cultura e Inovação, idealizado pela UVA, propõe debates sobre o mercado atual

Em parceria com o Cento Cultural da Justiça Federal, o evento universitário reuniu estudantes e profissionais interessados em discutir as tendências contemporâneas da área

O 2º Fórum de Comunicação, Cultura e Inovação da Universidade Veiga de Almeida aconteceu no Centro Cultural da Justiça Federal. Durante o dia 21 de agosto, segundo dia de evento, a parceria entre a instituição e o local histórico buscou discutir a Comunicação em suas vertentes sociais e políticas, e ainda apresentou os desafios e possibilidades da área atualmente. 

A manhã iniciou com uma temática contemporânea. Às 9h, a mesa sobre comunicação, tecnologia e inteligência artificial contou com a presença do Dr. Ricardo Medeiros Pimenta, Pesquisador Associado do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); de João Vitor Rodrigues, Doutorando em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC); do Dr. Renato Nunes Bittencourt, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); além da jornalista da Coluna Ancelmo Gois, do Jornal O Globo, Ana Cláudia Guimarães. 

Este debate foi mediado pela Dra. Adriane Figueirola Buarque de Holanda, professora do curso de Comunicação Social da Universidade Veiga de Almeida (UVA). Os palestrantes falaram sobre a evolução das novas tecnologias e sobre o futuro da comunicação, além de abordar assuntos ligados ao relacionamento de comunicadores com o público e qual o papel do comunicador hoje em dia.

A segunda mesa da manhã teve como tema o Audiovisual e Inovação. Iniciada às 11 h, a palestra foi mediada pela doutora em Letras Diana Damasceno, que recebeu a profissional da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão (BRAVI) e do Instituto de Audiovisuais Brasileiros (ICAB), Geovana Cypreste. Também estava presente a Doutora em Comunicação, Ariane Diniz. 

Alunos assistem a apresentação da mesa sobre Audiovisual e Inovação. (Foto: Júlia Reis/Agência UVA)

As duas comunicadoras discutiram a evolução dos produtos audiovisuais e como eles impactam as novas gerações. Ariane apontou para a nova tendência mercadológica que consiste em transformar as produções em materiais transnacionais: “Os produtores têm a estratégia de fazer a universalização narrativa dos produtos audiovisuais, tentando conseguir a aceitação do público em várias partes do mundo”, afirma Ariane. Ela ainda frisou a questão de desenhos animados com grandes visualização que estão em plataformas como o YouTube e a Netflix e que têm ajudado crianças em questões do dia a dia como comer melhor e fazer a digestão, e como esses desenhos mais educativos conseguem facilitar a rotina dos pais.

Já a palestrante Geovana, falou mais sobre o engajamento e a mudança que as plataformas sofreram com o passar dos anos até os dias de hoje, em que existem mais pessoas conectadas e que buscam não só por entretenimento, mas também por informação. A inovação no audiovisual foi fundamental para que ele evoluísse de uma forma que chegasse a ser tão popular quanto a televisão. Geovana também ressaltou a multidisciplinaridade entre o Jornalismo e a Publicidade e destacou o fortalecimento desses setores: “O audiovisual gera renda e emprego, devemos conhecer o mercado em que desejamos nos inserir”, conclui. 

O público que prestigiou esta mesa pôde constatar a grandiosidade de alguns produtos audiovisuais do Brasil, em relação abrangência mundial que consolidaram, como o caso do desenho animado Galinha Pintadinha, o que surpreendeu algumas pessoas. “Eu não fazia ideia. Precisamos dar mais valor a essas produções”, diz a aluna do 1º período de Jornalismo, Júlia Santana. 

A jovem estudante não é a única que passou a ter outra perspectiva a respeito do mercado nacional. O aluno José Paulo Gonçalves cursa o 2º período de Jornalismo e comenta a importância de conhecer acerca da pertinência das narrativas brasileiras.

“Me interessei mais pela área. É importante saber como isso funciona no nosso país. As pessoas acompanham mais a indústria audiovisual dos Estados Unidos e de outros países. Então, foi bom saber dos dados brasileiros”, comenta o aluno.

Os alunos não constituíram apenas a plateia. Alguns também foram organizadores das palestras, com é o caso da Thamiris Vieira, formada em Jornalismo e cursando Publicidade, que ressalta a importância do evento.

“Tecnologia e inovação são temas mais que atuais. Além disso, este evento dá a oportunidade aos alunos de conhecer o Centro Cultural da Justiça Federal. É uma experiência gratificante”, conta a estudante que compõe a equipe do Laboratório de Eventos da UVA.

Reitor da uva, Carlos Eduardo Nunes-Ferreira à esquerda, prof Vania fortuna , ao centro, e jornalista Ronaldo Lapa, à direita. (Foto: Leandro Victor/Agência UVA)

A mesa da tarde, mediada pela professora Vânia Fortuna, contou com a participação do jornalista Ronaldo Lapa, e do reitor da Universidade Veiga de Almeida, Carlos Eduardo Nunes-Ferreira, que falaram sobre a comunicação integrada à cidade. A professora Vânia chamou atenção para a importância do evento e elogiou a escolha do local: “Esse evento é feito para os alunos, para eles saírem da sala e pensarem criticamente sobre os mais diversos temas. Tivemos dúvida sobre o local, se seria na própria Universidade, ou não, e acabamos escolhendo o CCJF, local que é histórico”, ressalta Vânia.

Já Carlos Eduardo, diz que é importante a integração entre as disciplinas: “Existe essa relação entre a comunicação e o urbanismo, porque a comunicação é uma extensão do espaço público e esse evento multidisciplinar ajuda a combater essa fragmentação. A faculdade é o lugar para isso”, comenta. Presente também na mesa, o jornalista e secretário da Articulação Política e Acompanhamento dos Municípios, Ronaldo Lapa, destaca que é fundamental o debate acerca da construção imagética da cidade a partir da comunicação. “Vimos que essa percepção, que depende imensamente da relação da comunicação com os fatos da cidade, é uma montanha russa, variando da euforia da alegria ao caos da desgraça”, comenta.

Júlia Reis, Anna Clara Magalhães, Daniel Fernandes, Leandro Victor e Matheus Marques.

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

0 comentário em “Segundo dia do Fórum Comunicação, Cultura e Inovação, idealizado pela UVA, propõe debates sobre o mercado atual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s