Geral Literatura

Histórias em quadrinhos podem ser uma ótima maneira de se adquirir gosto pela leitura

Segundo a fundação Pró - Livro cerca de 36% das crianças têm o costume de ler o gênero

Segundo a fundação Pró – Livro cerca de 36% das crianças têm o costume de ler o gênero

Em 1954, um livro chocou muitos leitores. A sedução do inocente, escrito pelo renomado psiquiatra alemão Fredric Wertham. O autor ocupava o cargo de chefe do maior hospital psiquiátrico de Nova York . Logo, tudo que o Dr. Fredric dizia era visto como verdade absoluta, até mesmo o fato de Histórias em Quadrinhos serem nocivas às crianças.

A Sedução do Inocente, escrito pelo doutor Fredric Wertham. (Foto: Reprodução/ Twitter)

Na publicação de 1954, o psiquiatra alertava aos riscos dos gibis. Segundo ele, essa leitura incentivava violência e promiscuidade. “Dá pra acreditar que havia gente que pensava assim?”, questiona o cartunista Maurício De Sousa. O criador da Turma da Mônica  discorda intensamente do doutor Fredric. “O apelo visual dos quadrinhos ajuda a buscar o interesse da criança pela leitura. Sempre encontro  pessoas que me dizem: Meu filho começou a ler pelos gibis da Mônica”. Maurício também declara sua satisfação em contribuir para o bem do público infantil. “Minha alegria é saber que não estou formando apenas leitores, mas também bons escritores”.

thumbnail_Mauricio desenhando 2016__
Maurício de Sousa defende a importância das Histórias em Quadrinhos. (Foto: Acervo Pessoal)

Manoel de Souza, Editor-Chefe da revista Mundo dos super-heróis, concorda com o artista. “Graças à perfeita, e agradável, fusão entre imagens e textos, algo que os quadrinhos fazem muito bem, esse gênero pode sim atrair pequenos leitores”.  Manoel sempre foi apaixonado por gibis. Durante a infância, passava horas desenhando as próprias histórias em quadrinhos. “Eu pegava folhas de sulfite, dobrava e desenhava tudo a lápis, comecei a criar meus heróis e a desenhar só de cabeça”

O jornalista Manoel de Souza junto à equipe da revista Mundo dos Super-Heróis. (Foto: Acervo Pessoal)

Essa pequena brincadeira despertou no jornalista o talento para a comunicação . “Os quadrinhos abriram minha mente para o mundo e me inspiraram a trabalhar com Jornalismo e Arte”.

Assim como Manoel, boa parte do público infantil ama gibis. É o que indicam pesquisas realizadas pela Fundação Pró-Livro. De acordo com os dados, em média, cerca de 36% das crianças têm o costume de ler o gênero.

Eduardo Mourão Macabé, de 7 anos, diverte-se muito com gibis, lendo em média cerca de 12 títulos anualmente. “Histórias em Quadrinhos são engraçadas e muito legais”, diz o menino. Assim como Eduardo, Miguel Oliveira Cristino, de 8 anos, também é apaixonado pelo gênero. “Quando estou lendo, sinto estar vivendo uma aventura invisível. Com os gibis posso viajar além da imaginação”.

BeFunky-collage (6)
Eduardo e Miguel são apaixonados por Histórias em Quadrinhos. (Foto: Acervo Pessoal)

O incentivo à leitura precisa começar na infância, e uma ótima maneira para que isso ocorra é por meio das Histórias em Quadrinhos. Esse gênero tende a beneficiar muito o ser humano, como aconteceu com o jornalista Manoel de Souza. Além disso, ficou evidente que as ideias do psiquiatra Fredric Wertham, publicadas em A sedução do Inocente, essas, sim, podem ser consideradas nocivas à humanidade.

Gabriel Murillo Monteiro – 6º Período

0 comentário em “Histórias em quadrinhos podem ser uma ótima maneira de se adquirir gosto pela leitura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s