Museu Nacional perde 90% de seu acervo

O calculo final do prejuízo infligido ao Museu Nacional após o incêndio de grandes proporções no ultimo domingo (02) foi a perda de 90% de seu acervo, segundo informações concedidas pela vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Serejo, ao jornal Estado de São Paulo. Cristiana informa que o Museu carecia de manutenção básica como sprinklers operantes, seguro anti-incêndio, detectores de fumaça e faltava água nos hidrantes.

Ainda não se tem informação sobre o crânio encontrado nesta terça-feira, que pode ser ou não o de Luzia, o fóssil humano mais antigo da América. Múmias egípcias, ossadas de baleias jubarte e de um dinossauro, além de mobiliário e documentos da família Real estão na lista dos materiais destruídos pelo fogo.

No dia seguinte ao incêndio (03), manifestantes se aglomeraram em frente ao portão do Museu Nacional protestando contra a falta de investimento federal na conservação do local e exigindo a liberação da área por parte da Defesa Civil, que até então não havia dado o aval para o acesso. Conforme a concentração de pessoas aumentava, algumas tentaram passar pelas grades ou forçar o portão. A polícia utilizou-se de bombas de gás para dispersar as pessoas. Manifestantes organizaram um “abraço” simbólico e protestaram aos gritos de “Fora, Temer”.

Este slideshow necessita de JavaScript.


 Gustavo Barreto – 8º período

Um comentário sobre “Museu Nacional perde 90% de seu acervo

  1. Pingback: Cenas de um protesto: depois das chamas, a solidariedade ao Museu Nacional | AgênciaUVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s