O papel do atleta na construção política em tempos de redes sociais

O advento das redes sociais trouxe à tona discussões sobre diversos assuntos polêmicos da nossa sociedade, que eram restritos às salas de aula e às mesas de bar. A polarização direita versus esquerda no país é uma evidência do afloramento do posicionamento político, através, talvez, da sensação de proteção dada pelo distanciamento pessoal proporcionado pela internet, bem como da ação desta como facilitadora na aproximação de pessoas com ideologias semelhantes. No campo esportivo, no entanto, o que presenciamos é uma alienação, proposital ou não, em relação aos acontecimentos da política nacional.

Historicamente, as Copas do Mundo não são somente eventos esportivos, e sim uma expressão da imagem do próprio Estado. Desde a sua primeira edição no Uruguai em 1930, quando o país celebrava um século de independência, as Copas foram realizadas sob impactos e influências dos contextos políticos da época. Durante a ditadura no Brasil, a AERP (Assessoria Especial de Relações Públicas) visava conectar as vitórias no campo esportivo às vitórias do modelo militar. Consequentemente, os jogadores eram o ideal de cidadão do país, leal, que lutava pela sua pátria e mostrava suas virtudes para o mundo, criando uma simbiose entre torcedor, jogador e governo.

Atualmente os jogadores não estão sob a dominação de um estado de ditadura, mas será que ainda há algum tipo de coerção que os impedem de se manifestar publicamente? Se paramos para analisar as redes sociais dos jogadores de futebol, esporte mais popular do país, veremos que boa parte é controlada por assessorias de imprensa e recheadas de postagens de patrocinadores. No momento em que essa reportagem foi escrita, dos últimos dez tweets do jogador do PSG, Neymar Jr, cinco eram publicidade para alguma marca. Teria o jogador, nesse contexto, coragem de se manifestar politicamente, sabendo que isso poderia gerar um desgaste para sua imagem, podendo afastar patrocinadores, lhe gerando perda financeira?

Uma pesquisa realizada pelo Ibope, a pedido da Sportv (confira o link da matéria), revelou que o jogador do Palmeiras, Felipe Melo, é o mais influente em atividade no Brasil. Curiosamente, o jogador é conhecido pelas declarações polêmicas e pelo comportamento explosivo. Em entrevista sobre o assunto ao Jornal Extra ( clique e veja a matéria do Extra), o Diretor Executivo do Ibope, José Colagrossi, afirmou: “esconder suas opiniões não gera interesse. Por outro lado, se a cada vez que abrir a boca, você for contestado, existe um efeito contrário, que é a perda de credibilidade. As pessoas vão entender que você só abre a boca para chamar atenção. É preciso um equilíbrio”.

Para o historiador Denaldo Alchorne, autor do livro “O Brasil entra em campo! Construções e reconstruções da identidade nacional”, os atletas tem papel importante nas manifestações políticas. “Um evento político apoiado por um grande esportista ganha mais força. Os atletas funcionam como mitos modernos, como modelos exemplares de comportamento para uma grande parcela da população de um país”, afirma. Alchorne vê o esporte como um instrumento de significação e representação. “Ele pode ser utilizado, num momento histórico, por um governo autoritário servindo-se dele como significante, por onde transmite mensagens ideológicas específicas, como a apropriação da vitória da seleção brasileira de futebol na Copa de 1970, feita pelo governo do general Médici. Mas também pode ser utilizado por um grupo de trabalhadores para demarcar os seus próprios limites e protestar. E se eles protestam é porque há uma sensação de injustiça social”.

Ao mesmo tempo em que há um zelo por parte do governo em resguardar a imagem do Estado nesses momentos de grande visibilidade internacional, há também aqueles que não se intimidam e usam justamente esse momento de visibilidade para mostrar ao mundo a realidade do País. Resta à grande maioria dos torcedores aderirem e cobrarem uma posição dos seus ídolos. “Os grandes mitos do esporte têm um poder de influência e de persuasão incomensurável no mundo moderno. Pena que poucos deles saibam disso”, reflete Alchorne.

Confira no Infográfico datas marcantes de manifestações políticas no mundo do esporte!

atetla_info

Reportagem de Andréia Dantas, Thiago Flores e Pamella Castro para a disciplina de Oficina Multimídia em Jornalismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s