A mente fantástica de Vinícius, autor de ‘Weiss – A Mente é o Limite’

Desde criança, Vinícius Louzada, 25 anos, é aficionado por livros. Na infância, costumava passar boa parte do tempo escrevendo. Com o passar dos anos, foi se aperfeiçoando e recentemente lançou seu primeiro livro: Weiss – A Mente é o Limite. “Sempre gostei de estórias de pessoas que controlam mentes, mas elas eram personagens secundários. Um dia tive a ideia de criar minha própria”. Na escolha do título, o carioca desejava um nome forte e com um propósito. Acertou em cheio. “Weiss [Vais] quer dizer branco, em alemão. Representa o começo. É só pensar em uma tela branca”.

Além de escritor, Vinícius é publicitário e dono do canal “Imorrível” no Youtube. A boa escrita permitiu que ele se destacasse profissionalmente. “Trabalhei com criação em Publicidade e fui editor na Nova Fronteira”. Grato, ele reconhece a importância das pessoas mais próximas. Seus pais, inclusive, o acompanharam na XVIII Bienal Internacional do Livro Rio, ocorrida em setembro de 2017. “Eles sempre me apoiaram em tudo. Minha namorada e alguns amigos também”.

Vinícius Louzada

O sucesso do carioca se repete no ramo livreiro. Seu romance Weiss – A Mente é o Limite tem uma escrita irreverente, viradas surpreendentes e cenas repletas de ação. O livro gira em torno dos “switchers”, indivíduos com habilidades especiais. Lucas, um dos personagens, tem o poder de invadir e controlar o corpo de outras pessoas e também se regenerar. Tony, o favorito do autor, é um homem preso no corpo de uma mulher. Lembrando um pouco a questão dos transgêneros. “Algumas pessoas se atentaram e me mandaram mensagem quando leram. Mas não foi intencional”.

Para criar Weiss, Vinícius teve várias influências, mas nenhuma história específica. Ávido leitor, ele cita seus autores preferidos, entre eles, George Orwell (“1984”) e Agatha Christie (Death on The Nile, Morte no Nilo, em português).

Quanto ao futuro, o escritor adianta que Weiss terá continuidade, mas evita entrar em detalhes e, assim, provocar “spoiler”. “Cada livro representa um cor e um tema do livro”. Ele planeja escrever outros romances. “Tenho mais duas ideias. O próximo é um suspense fechado em dois personagens”. Caso tivesse a habilidade de invadir e controlar corpos, Vinícius faria bom uso. “Eu usaria o poder para corrigir erros”.


Reportagem de Jean Carlos para a disciplina Projeto Interdisciplinar de Jornalismo Impresso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s