Nutricionista alerta para a importância da alimentação no esporte

Vemos super-heróis a todo momento nos filmes da televisão, nas telas do cinema e nos quadrinhos das bancas de jornais. Mas o que muitos não sabem é que hoje, com a grande competitividade que existe no meio esportivo e com a concorrência cada vez mais acirrada na busca por bons resultados, é preciso ser um verdadeiro campeão para chegar ao nível de um atleta de alto rendimento. E como chegar ao ápice não é nada fácil, é necessário ter um combustível eficiente para treinamentos e para alcançar todos os níveis necessários para uma competição tão árdua como é no meio da educação física. Os especialistas afirmam que, além de uma regularidade e intensidade nos treinos diários, a alimentação é sem sombra dúvidas uma das principais e maiores preocupações a se ter.

Quem garante isso é a nutricionista Patricia Pimenta. Ela trabalha em uma academia na Zona Oeste do Rio de Janeiro e acompanha diariamente a rotina de atletas amadores e profissionais que buscam um dia após o outro os resultados nos treinamentos físicos.

“Além de acompanhar os alunos nos treinamentos, também sou responsável pelas avaliações físicas dos alunos que estão ingressando na academia. É muito gratificante acompanhar os resultados aparecendo e o primeiro passo para cada um deles é sempre a reeducação alimentar”.

Aluna do curso de Nutrição na Universidade Veiga de Almeida, Leticia Campos ratifica esta afirmativa e acrescenta que o importante não é apenas comer bem. Comer com qualidade e responsabilidade é muito mais eficiente para um atleta de alto rendimento. Ela é enfática ao assegurar que um esportista não deve se preocupar com estes aspectos apenas em épocas de competição, mas é fundamental que seja feito um trabalho juntamente com toda equipe antes, durante e depois de determinada competição.

“O antes é importantíssimo, pois vai garantir um preparo melhor ao atleta para encarar toda a duração de um calendário de atividades. O durante não vai permitir que ocorra uma fadiga e um cansaço maior. Por isso, alimentos ricos em proteína, carboidrato e potássio vão permitir que o atleta não perca o alto nível e se mantenha competitivo. E com certeza, o pós competição que assegura uma boa recuperação muscular e física”.

Prova disso é o professor de educação física e fisiculturista Marcio Lopes, que tem uma agenda corrida entre as aulas na academia como personal trainer e as competições de que participa como atleta fisiculturista. Ele garante que a rotina é muito puxada no dia a dia, mas o resultado final é sempre prazeroso. Ele foi campeão estadual de fisiculturismo no ano de 2016 e tem a alimentação como base para ter, além de uma vida saudável, um rendimento muito mais produtivo para um resultado satisfatório.

“É sempre muito complicado e puxada a nossa rotina. Temos que nos cuidar muito. Não é por vaidade. É um caminho que escolhemos seguir para a nossa vida. Minha alimentação é muito regrada. Preciso comer de três em três horas e às vezes preciso de intervalos entre as aulas para evitar que passe mal ou fique fraco. Em é poça de competição tudo é ainda mais intenso e frenético. Tem perda de gordura, aumento de massa muscular, mas tudo muito prazeroso”.


Zahyr Neto – 8°período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s