Amor e esclarecimento social

Na manhã da última sexta-feira, dia 26, aconteceu a terceira edição do “O Amor está no ar”, no bosque do campus Tijuca. O evento foi realizado por alunos do curso de Comunicação – englobando Publicidade e Jornalismo – inscritos na disciplina “Inovação e Criatividade”, ministrada pela professora Luciene Aragón, cuja proposta é a criação de formas criativas de esclarecer os temas a cada novo ano. “É uma tentativa de interferência no campus. Para trazer um questionamento às pessoas sobre seu comportamento, a principal ideia é que a partir dos jogos as pessoas façam reflexões a partir de algum tema, o desse ano é a tolerância”, Luciene explicou.

WhatsApp Image 2017-05-26 at 5.01.06 PM.jpeg

Professora Luciene Aragón com os alunos [foto: Roani Sento Sé/Agência UVA].

Aparentemente, todos os alunos vestiram a camisa e trouxeram a proposta à tona: questionar a favor da melhor convivência social. Partindo deste ponto, os jogos interativos tiveram participação do público, que parecia buscar reflexões. As brincadeiras tinham que ter alguma finalidade construtiva, por isso não bastava ser apenas uma pescaria, por exemplo. Após pescar, tinha de haver um prêmio que simbolizasse o amor após a reflexão acerca da intolerância. As recompensas eram, em suma doces – seja pirulitos, balas ou bombons. Nenhum jogo era pago e qualquer um poderia participar.

A intolerância é muito ligada ao preconceito, por conta disso os jogos focaram em acabar com essa forma de incompreensão disfarçada de pré-conceitos. Por isso, uma árvore da solidariedade servia para você colocar uma palavra que definisse família. Um mural mostrando fotos de pessoas que você pode defini-las pela aparência, mas na realidade são mais do que os olhos podem ver. A brincadeira que mais chamou a atenção do público era a que dava palavras que explicavam definições de gênero e de sexualidade, coisas que são totalmente distintas.

WhatsApp Image 2017-05-26 at 5.01.24 PM

Alunos apresentando a música “Última Oração” [foto: Roani Sento Sé/Agência UVA].

Outra presença interessante foi de uma mulher trans cabeleireira, que não foi identificada, com o objetivo de ser um instrumento para medir algum tipo de discriminação por conta do gênero escolhido por ela. Se alguém iria deixar de querer cortar o cabelo com ela por conta disso. Outros jogos faziam com que o público se livrasse de uma intolerância, buscando limites e maior compreensão. No fim do evento os alunos interpretaram a música “Última Oração” da Banda Mais Bonita da Cidade, que fala sobre estar em amor com o próximo.


Roani Sento Sé – 7º Período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s