Youtube: nova aposta para o cenário do entretenimento

Como a plataforma midiática cresceu e se transformou em uma indústria milionária

Mais de 1 bilhão de usuários, quase 1/3 de todo o tráfego online mundial, essa é a atual dimensão da popularidade do YouTube. De acordo um levantamento realizado pela organização do Congresso Ibero-americano sobre Redes Sociais (iRedes), a plataforma de compartilhamento de vídeos representa, hoje, a segunda rede social com maior número de usuários do mundo, perdendo apenas para o Facebook.

E esse potencial do YouTube não tem passado despercebido por investidores. Atualmente, não são apenas as empresas que vêm faturando com a oportunidade gerada pelo site, mas também os próprios criadores de conteúdo, que vêm transformando seus hobbies em fontes de renda.

Figura 2

Potência midiática

Assim, como a televisão, o YouTube é formado por uma variedade de “canais”. O diferencial da plataforma, no entanto, é que o conteúdo é criado pelos próprios usuários. São eles os responsáveis pela escolha do tema, filmagem, edição e publicação dos vídeos. Essa liberdade de criação, combinada com a gratuidade de postagem no site, possibilitou que os usuários pudessem expressar seus interesses e também compartilhá-los com milhares de outras pessoas ao redor do mundo.

Para se ter uma ideia da amplitude de conteúdo, o YouTube atualmente hospeda vídeos que variam desde documentários e clips musicais à filmagens caseiras e coberturas de eventos. Segundo uma pesquisa anual realizada pelo próprio site, o número de horas de visualização de vídeos cresce em média 50% a cada ano. E o Brasil é o segundo maior mercado consumidor de vídeos da plataforma, com cerca de 68 milhões de internautas diariamente, perdendo apenas para os Estados Unidos.

A rápida popularização do YouTube despertou o interesse da jornalista, e atual professora do curso de Comunicação da Universidade Veiga de Almeida (UVA), Daniela Oliveira. Ela explica que escolheu o Youtube como tema para sua dissertação de mestrado, em 2006, justamente porque tinha interesse em entender como as pessoas comuns passaram a deter o poder de produzir conteúdo de uma forma totalmente nova. “Antes da cibercultura a gente tinha poucos emissores de informação. A televisão, por exemplo, era o maior ícone da cultura de massa. Mas, com o crescimento da internet, cada um de nós, receptores, passou a também poder produzir.”

O tempo gasto pelos usuários assistindo vídeos no YouTube também vem crescendo. Segundo dados divulgados pela plataforma, em dispositivos móveis, a sessão de visualização média dura mais de 40 minutos, resultando em um crescimento de mais de 50% ao ano. Essa tendência também proporciona que vídeos mais longos venham ganhando mais destaque e, consequentemente, mais visualizações online.  “Quando eu comecei a estudar o YouTube, eu não tinha ideia que ele se tornaria um ícone. Tem muita gente jovem que não assiste mais televisão”, afirma Daniela.

Concepção e desenvolvimento

A criação do YouTube teve início em fevereiro de 2005, na Califórnia (EUA). O site foi idealizado por Chad Hurley e Steve Chen, que, na época, trabalhavam para a empresa americana PayPal. Os dois colegas já tinham formações acadêmicas na área tecnológica, Hurley tinha estudado design na Universidade da Pensilvânia e Chen era graduado em programação pela Academia de Matemática e Ciência de Illinois.

De acordo com depoimentos dos próprios fundadores, a ideia de criar o YouTube surgiu por conta do inconveniente de compartilhar arquivos de vídeo com os amigos. Eles, então ativaram o domínio “YouTube.com” e desenvolveram o site nos meses seguintes. Cerca de 20 meses depois, em 9 de outubro de 2006, foi anunciado que a companhia seria comprada pelo Google por 1,65 bilhão de dólares em ações. Desde então, a plataforma só cresceu ainda mais. Atualmente, o site possui versões locais em 88 países e está disponível em 76 idiomas diferentes.

Caminho para o sucesso online

Christian, Daianne e Naetê. Três jovens diferentes, com o mesmo objetivo: falar sobre o que gostam para um público que se identifique com eles. Para isso, criaram um canal no YouTube. Os motivos que os levaram a aderir à plataforma também são distintos, mas se assemelham quanto ao motor que os impulsionam: o relacionamento que cada um deles tem com seus inscritos. A inspiração de Christian Ceschia para criar o Mazzei veio dos canais que seguia e que abordavam os mesmos assuntos que, hoje, ele fala em seu canal. O estudante de engenharia se tornou um gamer, pois tinha como objetivo principal criar um vínculo com a comunidade que joga Call of Duty. Já de início tinha a pretensão de angariar mil inscritos, mas se superou e conta, atualmente, com cerca de 11 mil pessoas que assistem o seu canal.  Christian acredita que o sucesso se deve muito ao bom relacionamento com o público. “Minha relação é de total amizade com meus inscritos, sempre tento gravar com eles e manter a melhor relação possível, pois sempre acreditei que os inscritos são 90% do canal. Sempre respondo a todos os comentários” disse.

Apaixonada por comunicação, a estudante de jornalismo Daianne Possoly sempre buscou uma maneira de falar sobre o que gosta: beleza e variedades. Em 2008, a youtuber iniciou a trajetória na tentativa de manter algum blog ativo. A vontade de começar uma carreira no YouTube surgiu logo depois, como uma forma de se aproximar das leitoras, mas os planos só começaram a dar certo no fim de 2014 – no segundo canal e terceiro blog -, quando ela resolveu investir nas duas ferramentas de maneira mais profissional. “O primeiro canal foi algo bem espontâneo, já o segundo foi pensado e estruturado; eu já tinha definido o tema principal sobre o qual eu falaria e também já tinha uma ideia do perfil do público” contou. Assim como Christina, Daianne supervaloriza seu público e acredita que o diálogo com ele é essencial para a vida do canal e produção de bons conteúdos, pois muitos dos temas abordados são sugestões de pessoas que compartilham histórias com ela, fazendo com que esse processo de criação aconteça da maneira mais espontânea possível. Como futura jornalista, a blogueira aposta no dinamismo da transmissão de informação de vídeos. E considera a internet um meio que propicia interação rápida e direta com os usuários.

A história do início de Naetê Andreo no YouTube se confunde um pouco com a de Daianne. Ambas são blogueiras de moda e gostam de falar sobre variedades, como viagem, música, comportamento social e cultura. A decisão de dar o primeiro passo foi espontânea e partiu da ideia de dar continuidade ao trabalho feito no blog – chamado Love Triangle – e tornar o conteúdo mais dinâmico e divertido. Diferente de Daianne, o início como youtuber foi dificíl para Naetê. “Faz dois anos que postei meu primeiro vídeo, queria ter começado muito antes, mas me faltava motivação e coragem para me expressar sozinha em frente a câmera” contou. Apesar das dificuldades e das poucas pretensões que tinha de se tornar popular na plataforma, o canal é um sucesso e tem cerca de 30 mil inscritos, atualmente. Como boa estudante de Rádio e TV, Naetê celebra o fato do YouTube ser uma fonte de entretenimento em constante expansão e mudanças; e até mesmo capaz de ser formador de opiniões. “Alguns canais também seguem essa linha de ser bem pessoais e transparentes com o público, gerando uma identificação. As opiniões dessas pessoas começam a influenciar quem assiste”.

Diante dessas histórias, é possível observar que uma das maiores vantagens que o YouTube oferece é a acessibilidade e diversidade de nichos que existem na plataforma. Apesar das diferenças, seja nos temas abordados, no direcionamento que cada youtuber dá ao seu canal ou na maneira como cada um iniciou sua trajetória, Christian, Daienne e Naetê se assemelham plenamente em um ponto: o bom relacionamento com as pessoas que disponibilizam alguns minutos do dia para apreciar o trabalho feito por eles e outros colegas de profissão, é essencial para manter e expandir um canal. A valorização do público não é um impulso apenas para o aumento no número de inscritos, mas, também, na qualidade do conteúdo e da produção do vídeo. Assim como qualquer negócio, para dar certo, é preciso saber o que o público quer assistir, sobre o que eles querem discutir e para quem o próprio youtuber quer falar. Naetê levanta um ponto importante, que é a identificação com o público-alvo. A conexão que os espectadores criam com os youtubers é o motivo do sucesso de maior parte deles.

Faturando com o YouTube

O YouTube é, inegavelmente, uma força da natureza. Apesar de ser uma mídia social muito jovem, a plataforma já passou por muitas mudanças, e a mais importante dela está na forma como o meio passou a ser utilizado pelos seus usuários: a transformação do hobby, em profissão. Da diversão, em negócios. Mais que youtubers, as pessoas que se propõem a produzir conteúdo para a plataforma se tornam empreendedores, acarretando em altos lucros para o YouTube. É importante lembrar que, hoje em dia, o watch time – tempo de visualização – é a medida que irá determinar a ordem dos vídeos dentro da plataforma, sendo mais importante do que a quantidade de visualização do vídeo em si, logo, quanto mais tempo de duração do vídeo, melhor e mais chances de um canal se tornar objeto de interesse de patrocínio e parcerias.

No Brasil e no mundo, são milhares os canais voltados para a produção de conteúdo sobre games e esse é o nicho mais popular no YouTube. Pelo visto, jogos e humor são elementos imbatíveis para o sucesso de um canal. Quando criou o Mazzei, além do desejo de se aproximar e conhecer novas pessoas com mesmo interesse por games, Christian, ambicionava conseguir muito inscritos para fechar parcerias com empresas do ramo. O gamer atingiu seu objetivo e, hoje, é parceiro de 4 lojas. Por meio dessas sociedades, ele ganha equipamentos, como headsets, kontrol freek, controles e jogos, que o ajudam no aprimoramento de seus vídeos. No entanto, Christian ainda não consegue viver dos lucros do YouTube, por isso, o gamer não deixa de lado os estudos. “Tento conciliar ao máximo, nunca deixo de lado o caminho que estou seguindo profissionalmente na engenharia.”

Para Naetê, a história não é muito diferente. Apesar de ser apaixonada pelo o que faz desde a época em que só tinha o blog, nunca teve muitas pretensões e ainda não pode chamar o hobby de trabalho. “praticamente não ganho nada com YouTube e faço só por que gosto mesmo” contou. Hoje em dia, a vlogueira tem algumas metas, mas não se considera muito ambiciosa. Aliás, viver do YouTube não é o objetivo de vida de Naetê, que se dedica o quanto pode ao canal, mas prioriza outras áreas da vida profissional. Ela acredita que muitas pessoas entram nesse mundo pensando na fama e no dinheiro. “Isso ocasiona um aumento em canais sem um conteúdo ou pensamento por trás” afirmou. Mesmo que essa não seja sua prioridade, Naetê reconhece que a criação de um canal é um trabalho árduo, que requer muito esforço e disposição, por isso, considera merecido quando um youtuber recebe um retorno monetário pelo serviço prestado à plataforma.

Já Daianne tem uma visão e atitude mais positiva que os outros youtubers. Isso se deve muito a trajetória que ela vem trilhando nesses 2 anos de canal. Quando criou o Daianne Possoly, o objetivo era alcançar 4 mil usuários da no primeiro ano. Inesperadamente, acabou o ano de 2014 com cerca de 30 mil inscritos. “Foi muito surpreendente e gratificante para mim” disse. Daí para frente, fazer vídeos para o YouTube e produzir conteúdos para o blog deixaram de ser um hobby, uma maneira de apenas falar sobre o que gosta, e passou a ser a maior fonte de renda da blogueira. Sobre as oportunidades que a plataforma oferece aos youtubers, Daianne diz: “Eu acho ótimo, pois dá a liberdade da pessoa criar o conteúdo de maneira livre, fazendo e se baseando naquilo em que acredita de verdade”. Ela ainda ratifica como o YouTube contribui para a diversidade na internet, afinal, cada pessoa tem um jeito único e isso é um ponto importante na conquista de espaço na plataforma..

O YouTube no futuro do entretenimento

É inegável o sucesso que o YouTube faz entre os internautas, sendo ele o maior site de compartilhamento de vídeos do mundo. Ganhando cada vez mais espaço, a plataforma tende a se manter em desenvolvimento para suprir a necessidades da sociedade atual, que utiliza a internet como uma importante fonte de lazer e entretenimento.

Percebendo essa característica, a empresa criou os chamados YouTube Spaces, que são unidades de produção espalhadas por grandes cidades do mundo todo, como, por exemplo, Los Angeles, Nova York, Londres, São Paulo, Tóquio, Berlim, Mumbai, Paris e Toronto. Para o espaço em São Paulo, o Youtube fechou uma parceria com o Instituto Criar para oferecer treinamento e promover a nova geração de talentos brasileiros.

Para Daniela, uma das mudanças mais importantes para o futuro do site é o estreitamento dos laços entre o Youtube e a televisão. “Fala-se muito sobre a interação entre a rede social e a TV”. Segundo ela, eles já estão trazendo mudanças nesse sentido. Daniela aponta que “hoje em dia já é possível usar o celular como se fosse um controle remoto e passar o vídeo para a televisão”, o que possibilita ver o conteúdo por uma tela maior. É muito fácil. Basta escolher o vídeo que quer assistir, dar play, apertar “enviar para a televisão” e pronto.

Na visão dos próprios youtubers o futuro é animador. “O YouTube só tende a crescer, conquistando cada vez mais pessoas”. Segundo Daianne, não importa o assunto do canal. Seja ele de humor ou games, “a internet tem público para tudo”, diz ela. “A verdade é que, como li uma vez, a internet é cheia de celebridades que ninguém conhece”.

Christian concorda com a afirmação de Daianne e vai mais além. “O YouTube é o futuro da internet”. Como ele diz, é possível encontrar “pessoas deixando de assistir programas de televisão e séries para assistir seus youtubers preferidos”. Ele acredita que “no futuro os youtubers vão ser os principais formadores de opiniões e as celebridades mais famosas da internet”.

Seja como for, não tem como ter certeza sobre as mudanças que o Youtube pretende trazer nos próximos anos para as vidas das pessoas. O que se pode afirmar é que sabendo utilizar as tecnologias para facilitar e melhorar cada vez mais o uso dos internautas, a plataforma possui um grandioso caminho de inúmeras conquistas pela frente.

Para todos os gostos

O potencial do YouTube como ferramenta tem atraído, portanto, cada vez mais pessoas que vêm aderindo à plataforma. No meio de tantos novos usuários, um seleto grupo de pessoas, conhecidos como YouTubers, tem se destacado pelo número de inscritos em seus canais, seja no Brasil ou no exterior.  Com base no ranking dos canais mais populares mundialmente é possível perceber que os tipos de conteúdo que mais fazem sucesso atualmente são: vídeos sobre videogames, que fazem comentários e tutoriais dos jogos eletrônicos, vídeos de beleza, que dão dicas sobre estilo e maquiagem, e vídeos de humor, que fazem piadas e críticas sobre o cotidiano.


Clarice Frauches – 7° Período
Thiago Nunes – 7° Período
Cynara Costa – 7° Período
Felipe Nobre – 7° Período

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s