Turismo de Aventura é tema de palestra na UVA

Sem Título-1Os riscos e regras que devem ser obedecidas na execução do turismo de aventura foram colocados em debate, nesta quinta-feira (14), no campus Tijuca, da Universidade Veiga de Almeida. O evento “Turismo de Aventura” foi idealizado pelo professor Raphael Raine e pela coordenadora do curso, Selma Azevedo, com o intuito de fazer com que os alunos conheçam mais o mercado de turismo da natureza e que eles possam ampliar ainda mais seu trabalho, além de manter contato com profissionais do ramo.

O evento – que segundo a coordenadora do curso é uma Feira de Turismo de Aventura, devido a quantidade de atrações presentes – tem um objetivo de abrir o “leque de opções” dos alunos. O professor Raine afirma que geralmente as pessoas que se formam em turismo focam muito mais em hotéis, agências ou abrir seu próprio negócio.

Ele ainda explica que o aluno conhecendo o meio ambiente tem chances de trabalhar em unidade de conservação, por exemplo. Tendo a possibilidade também de abrir uma agência de turismo de natureza, mesmo não sendo guia turístico, esse aluno pode também vender um voo livre e conhecer os profissionais com certificado, para que possam exercer com segurança essas atividades.

A coordenadora Selma foca nessas especificações que os futuros profissionais devem possuir e afirma que muitas pessoas deixam de lado a capacitação técnica e botam a própria vida e a de turistas em risco. Segundo Reine as pessoas imaginam o turismo de sol e mar, porém o turismo tem várias vertentes e todas precisam de uma especialização muito eficiente, para não sofrer nenhum perigo.

A palestra da continuidade com o Fabio Takashi, especialista em drones. O palestrante apresenta para o público as diferenças dos tipos de drone além de tirar dúvidas da plateia. Seu foco profissional é a elaboração de vídeos de aventura por meio desse instrumento. Para se tornar esse nomeado profissional, Fabio é ex-aluno da UVA e aprimorou sua carreira com um curso de escalada, é piloto de parapente e não tem medo de perigos, assim seu discurso também foca e incentiva a capacitação profissional dos alunos presentes.

Raine passando a palavra pro Luiz da Ong

Professor Raphael Raine passando a palavra para o Luiz Paulo

O professor Raphael Raine concorda com Takashi e diz que apesar de todas as características naturais favoráveis em relação ao turismo aqui no rio, muitos atuantes da área oferecem um serviço de baixa qualidade. “Mesmo tendo aqui no Rio um patrimônio natural privilegiado devemos buscar sempre aprimorar nossos serviços”.

Raphael ainda questiona o fato dos turistas escolherem o Rio como destino apenas pelo fato de sua beleza extraordinária e os guias acabam se acomodando com isso. “Nós estamos deitados eternamente em berço esplêndido, nós temos uma natureza maravilhosa e é tudo fácil para mim, o cara veio porque aqui é só bonito”. A beleza é algo fundamental, mas devemos atrair visitantes não só por esse fator, mas também pela qualidade profissional apresentada.

Outra crítica é a banalização da profissão. Muitas pessoas sem capacitação convocam grupos de pessoas para fazerem trilhas. Segundo o professor, as pessoas estão mais interessadas em postarem fotos nas redes sociais do que apreciar de fato a natureza. São convocados grupos de dezenas de pessoas que caminham sobre as trilhas de maneira incorreta, deixando lixo pelo caminho e assim prejudicando a natureza.

Se tratando da preservação do ambiente, ao decorrer da palestra o geógrafo Luiz Paulo apresenta a ONG Mico Leão Dourado (AMLD), na qual ele trabalha. Mudando o foco um pouco em relação a aventura, Luiz relaciona o turismo e a biodiversidade, a conservação da natureza. A instituição surgiu nos anos 60, quando restavam apenas cerca de 200 micos na natureza. Graças ao trabalho da AMLD hoje em dia há cerca de 3.200 animais livres na natureza.

A ONG com apoio do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF) criou, em 1974 a Reserva Biológica de Poço das Antas, a primeira unidade de conservação dos micos no Brasil. Através dessa reserva foi possível lutar a favor do direito desse animal e continuar batalhando contra a extinção dele.

09- Membro da ong NS e do projeto PPT fabio

Membro da ONG NF e do projeto PPT, Fábio Fernandes

Outro ponto forte do evento foi o do turismo em relação a acessibilidade. O palestrante foi Fabio Fernandes, participante do projeto Praia Para Todos e membro da Instituição Novo Ser. Seu objetivo é valorizar a cidadania das pessoas com deficiência, promovendo direitos, oportunidades, ajudar na superação de obstáculos sociais predominantes ao processo de inclusão.

 

Fabio explica a importância da acessibilidade no ramo do turismo. O projeto Praia para Todos (PPT), surgiu em 2008 e foi idealizado pelo Instituto Novo Ser. O projeto é oferecido nas praias de Copacabana e da Barra, no Rio de Janeiro e está em sua 8º edição. O PPT oferece aos visitantes diversas atividades nas areias das praias, entre elas: banho de mar assistido, Stand Up Paddle, surf adaptado, frescobol entre outros eventos.

Retomando ao tema “Turismo de Aventura”, a palestra se encerra com o discurso de Sandro Cardoso, instrutor de voo livre. O profissional iniciou sua carreira por meio da escalada. “Depois de subir tantas montanhas, chega uma hora que a gente se pergunta, será que não tem uma maneira de descer mais rápido”, a partir de então Sandro resolveu se especializar em voos.

07- Locais de atuação da ong

Lugares de atuação da ONG

Os riscos do voo livre são muitos, isso quando os instrumentos não são checados e o instrutor não possui muita qualificação, porém segundo Sandro, voar de parapente na maneira correta é mais seguro que andar de elevador. “Aqui no Rio nós temos muitas belezas naturais e temos a capacidade de nos transformarmos em uma Nova Zelândia, turisticamente falando”, para ele o que falta é maior incentivo do estado e profissionais mais capacitados.

O aluno do curso de Turismo Henrik Miranda, mesmo não estando focado em seus trabalhos de conclusão de curso no ramo de aventuras, gosta bastante dessa área. Filho de pai surfista, ele menciona o professor Raphael Raine, dizendo que graças a ele muitos eventos e profissionais qualificados no mercado são apresentados para os alunos, o que incentiva muito esses futuros profissionais.

A partir dessa Palestra, o professor Raphael Raine conta que o curso de Turismo está idealizando o projeto UVAventura, no qual tem o objetivo de levar os alunos para unidades de conservação, com caminhada, trilhas em prol de desenvolver estudos.


Ana Carolina Martins – 5º Período

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s