Da sala de aula

Paquera digital em tempos de pandemia

Cresce o número de usuários em redes sociais de namoro por conta do isolamento e da recomendação para evitar aglomeração

A pandemia da Covid-19 fez com que o mundo mudasse. Novos comportamentos surgiram, outras tendências ganharam ainda mais força. No campo do relacionamento, por conta do isolamento imposto pelo Coronavírus e da recomendação de não aglomerar, muitas pessoas passaram a procurar cada vez mais redes sociais de namoro para achar um parceiro ou uma parceira. Redes sociais de paquera como Tinder, Badoo, Happn, entre outras, abrigam diferentes tipos de usuários. Com tanta oferta, é comum encontrar quem não se interesse em ter algo sério com alguém, mas há também quem encontre seu par ideal em redes sociais de paquera.

Um desses casos que deram certo no Tinder e em tempos de pandemia foi o de Liciane, moradora de Caxias, e Alan, que vive em Padre Miguel, no Rio de Janeiro. Ambos baixaram a rede social de paquera e depois de um bom tempo conversando, marcaram para se encontrar. Alan conta, rindo, como foi primeiro encontro com Liciane. “Quase não aconteceu, porque eu cheguei tarde em casa, estava com pouco dinheiro, tive que pegar um Uber para Caxias, mas no fim tudo deu certo”. Eles já namoram há mais de um ano.

Alan e Liciane se conheceram na rede social de paquera e namoram há mais de um ano
Foto: Acervo Pessoal

Outro casal que deu certo se conhecendo virtualmente e em tempos de pandemia foi Vinícius e Thainá. Eles sempre moraram perto um do outro, mas não se conheciam. De repente, um dia, Vinicius curtiu a foto da Thainá em uma rede social de paquera, e ambos deram “match”. Thainá ficou surpresa em ambos darem certo: “Ele sempre passava por mim, via ele no mercado às vezes. Nunca pensei que um dia iria namorar alguém que conheci em uma rede social de namoro”.

Embora morassem perto um do outro, Vinícius e Thainá se conheceram no aplicativo de paquera
Foto: Acervo Pessoal

Vinicius sempre teve vontade de chamá-la, e deu sorte de encontrá-la no aplicativo. “Não esperava encontrar ela lá, mas deu tudo certo. A gente conversou durante umas semanas e depois marcou em um restaurante para se encontrar”. O casal completa seis meses de relacionamento e está muito feliz.

Quando a conexão física é limitada, os seres humanos buscam outra forma de interagir. Na base da velocidade com que a tecnologia evolui e transforma a sociedade, as redes sociais cada vez mais vão impondo um novo olhar sobre as relações pessoais. As pessoas estão se adaptando à convivência remota. Um exemplo é o Webnamoro, ou seja, casais que se conheceram pela internet, engataram namoro, mas até hoje não se viram pessoalmente. Seja como for, algo não dá para negar: com ou sem pandemia, as redes sociais colaboram para modernas formas de encontro e novos tipos de relacionamento.

Pedro Vladimir – 3º período

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

1 comentário em “Paquera digital em tempos de pandemia

  1. Maristela Fittipaldi

    Parabéns pela publicação de sua matéria, Pedro. Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s