Esporte

Morre Maradona, ídolo do futebol argentino e mundial, aos 60 anos

Um dia recheado de emoções e homenagens para um dos maiores gênios do futebol

Hoje o mundo do esporte deu adeus a um de seus maiores ídolos. O Deus de uma nação, o herói de um povo, e para todos no mundo do futebol, um gênio. Diego Armando Maradona, el Pibe de Oro, morreu aos 60 anos nesta quarta-feira (25) após uma parada cardiorrespiratória dentro de sua própria casa.

A noticia foi dada em primeira mão pelo jornal argentino Clarín, com um texto emocionante, e depois confirmada pelos demais jornais ao redor do mundo.

Abertura do jornal argentino Clarín ao dar a noticia da morte do Maradona

“E um dia aconteceu. Um dia o inevitável aconteceu. É um tapa emocional e nacional. Um golpe que reverbera em todas as latitudes. Um impacto mundial. Uma notícia que marca uma dobradiça na história. A frase que foi escrita várias vezes mas que foi driblada pelo destino agora faz parte da triste realidade: Diego Armando Maradona morreu.”

Notícia essa que gerou grande comoção nas redes sociais. Personalidades do esporte, jornalistas, clubes de futebol em todo mundo e fãs que viram, e até os que não o viram jogar, reservaram um espaço do seu tempo para prestar uma homenagem para Maradona.

Alguns clubes pelo qual Maradona atuou, como Boca Juniors e Napoli, postaram fotos e agradeceram ao eterno camisa 10, enquanto a Associação do Futebol Argentino (AFA) colocou um sinal de luto em seu perfil oficial do Twitter.

A importância de Maradona para o esporte era tanta que até mesmo o maior rival do Boca Juniors, o River Plate, postou uma homenagem em seus perfis oficiais. A idolatria por “Dieguito” era maior que qualquer rivalidade.

A AFA muda sua foro de perfil demonstrando estar de luto
Boca Juniors e Napoli prestando a homenagem

O Boca Juniors pediu o adiamento do jogo que teria logo mais pela libertadores contra o Internacional, e que foi acatado pela Conmebol.

Jogadores como Messi, Marta e o ex-jogador Pelé também prestaram suas homenagens.

O argentino Lionel Messi que foi comandado por Maradona na seleção argentina, em sua conta oficial no Instagram postou a seguinte mensagem:

“Um dia muito triste para todos os argentinos e para o futebol. Ele nos deixa, mas não vai, porque Diego é eterno.
Guardo todos os belos momentos vividos com ele e queria aproveitar para enviar minhas condolências a todos os seus familiares e amigos”

A brasileira Marta também no Instagram, postou uma foto ao lado do argentino.

Marta em postagem no Instagram

O Rei Pelé, que teve uma espécie de rivalidade com Maradona pelo título de melhor jogador da história, mesmo tendo atuado em épocas diferentes, postou uma mensagem de profundo respeito. “Um dia, eu espero que possamos jogar bola juntos no céu”.

Pelé em seu Instagram, homenageando Maradona

Entretanto, de todas as mensagens, homenagens e condolências aos familiares, uma pessoa em especial se emocionou por um motivo que vai além da idolatria esportiva.

Em entrevista para o Jornal Hoje da Rede Globo, o ex-jogador e atual comentarista de futebol da emissora Walter Casagrande, chorou ao falar sobre Maradona e os problemas que ambos tiveram com dependência química.

O desabafo de Walter Casagrande sobre a morte de Diego Maradona agora no Jornal Hoje.

Momento da declaração do Casagrande durante o Jornal Hoje / Vídeo publicado por Italo Santana, na conta @BulletClubIta no twitter

Eduardo Galeano ja dizia: “Diego Armando Maradona foi adorado não apenas por causa de seus prodigiosos malabarismos, mas também porque era um Deus sujo, pecador, o mais humano dos deuses”. Ele nunca foi perfeito, e nem fez questão de ser. Dentro dos gramados ele encantava, era um gênio. Fora deles, um tanto polêmico. E daí? Esse é talvez o motivo pelo qual era tão amado por todos. Não escondia suas preferências políticas e nem seu modo de viver. Pelo contrário, transbordava orgulho e simpatia de quem era e o que representava. Apesar de ter recebido o apelido de Deus, Maradona era, acima de tudo, humano. É o que o tornava tão icônico.

Leia também: Flamengo comemora o “Dia da Glória Eterna” pelos títulos da Copa Libertadores

Lucas Bacil – 8º período

Revisado por Victor Leal

0 comentário em “Morre Maradona, ídolo do futebol argentino e mundial, aos 60 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s