Da sala de aula

Atitudes solidárias se multiplicam durante a pandemia

Costureiras do Rio fabricam e doam máscaras para conter a Covid-19

Durante esse momento de combate ao novo Coronavírus, a solidariedade se torna a principal ferramenta contra a pandemia. O isolamento domiciliar é  fundamental para reduzir a velocidade de propagação do vírus e, assim, evitar um colapso no sistema de saúde. Outra orientação do Ministério da Saúde é o uso das máscaras descartáveis ou de pano, que se tornaram obrigatórias nas grandes cidades do país. Diante dessa situação, surgiram voluntários de vários bairros no Rio de Janeiro, dispostos a confeccionar e doar itens de proteção.

No Engenho de Dentro, a professora aposentada Maria Luiza Vergueiro Santana, de 70 anos, resolveu utilizar seu tempo livre para ajudar as pessoas. Juntou todos seus retalhos de tecido, algodão e elástico e começou a produzir máscaras. Empenhando-se quatro horas por dia, conseguiu fabricar 60 unidades, que foram distribuídas aos moradores de rua, nos bairros Méier, Engenho de Dentro e Todos os Santos.  “Nesse mundo temos que ajudar uns aos outros. Não podemos fechar os olhos para aqueles que estão a nosso redor”.

Maria Luiza Vergueiro embrulha as máscaras para doação. (Foto: Arquivo Pessoal)

Para se manter longe das fake news e perto da solidariedade, Ana Angélica Monteiro, de 57 anos, moradora de Jacarepaguá, aposentada, teve a ideia de fabricar máscaras de proteção usando tecidos e TNT comprados de um armarinho que faz entregas em domicílio. Utilizando seu tempo para fazer o bem, a aposentada costura entre uma e três horas por dia. “Tenho uma amiga parceira que me ajuda nas distribuições e entrega em Centros Espíritas que conhecemos. Acho que ao todo já costurei mais de cem máscaras”, orgulha-se.

Ana Angélica Monteiro concentrada na fabricação das máscaras.
(Foto: Arquivo Pessoal)

Outro exemplo de solidariedade é Elaine Christina Celestino, de 47 anos, moradora do Méier, estudante, que começou vendendo suas produções de máscaras para arrecadar dinheiro e comprar alimentos, para entregar na Instituição na qual ela trabalha como voluntária. Com o valor do tecido alto, Elaine está produzindo as máscaras de TNT com uma dupla camada. Por ser mais simples e descartável, a produção é mais rápida, fazendo com que Elaine possa costurar três vezes mais que as de tecido.

Elaine Christina produz material para doação. (Foto: Arquivo Pessoal)

Dedicando-se duas horas por dia, a voluntária já conseguiu fabricar mais de cem unidades, doando tudo para Instituições e Igrejas. “Costurar as máscaras me ajuda muito. Tenho depressão, mas quando fico costurando, a vida fica colorida. Penso que qualquer trabalho voluntário faz mais bem para quem serve do que para quem é servido”, acredita Elaine, emocionada.

*Matéria produzida pela aluna Analu Moreira para a disciplina Teoria e Técnica da Notícia, ministrada pela professora Maristela Fittipaldi.

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

1 comentário em “Atitudes solidárias se multiplicam durante a pandemia

  1. Maristela Fittipaldi

    PARABÉNS, Analu!!! Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s