Educação

Agência de Comunicação da UVA promove live com jornalista Ruben Berta

Responsável pelo "Blog do Berta", Rubem compartilhou com alunos sobre sua rotina no jornalismo investigativo

Como alternativa para não paralisar todas as atividades durante a quarentena, a Agência de Comunicação da Universidade Veiga de Almeida (AGECOM), tem promovido diversas palestras para envolver os alunos. Na última quarta-feira (6), Ruben Berta compartilhou como tem sido sua rotina no jornalismo investigativo em tempos de isolamento social. 

Dando continuidade ao projeto do Jota UVA, que é compartilhar com os alunos as vivências dos profissionais no mercado de trabalho, o responsável pelo “Blog do Berta”, dividiu com os alunos os desafios de seu trabalho e respondeu todas as perguntas. 

O jornalista trabalhou no jornal “O Globo” por 17 anos e contribuiu por um período para o “The Intercept Brasil”. Hoje, administra seu próprio blog sobre poder público no Rio de Janeiro, com foco em denúncias e reportagens investigativas. De acordo com ele, foi a forma que encontrou de contribuir com a sociedade por meio de seu trabalho, pois acredita ser extremamente importante ter quem fiscalize o governo, para benenfício de toda a sociedade. Além disso, ainda alertou para governos que são adversos à imprensa. 

“Tudo no jornalismo investigativo é muito complicado. Mas foi a forma que eu encontrei para devolver à sociedade tudo que o jornalismo me deu”, conta.

Ruben Berta, jornalista investigativo responsável pelo Blog do Berta. (Foto: divulgação/arquivo pessoal)

Na página inicial de seu site, Berta denomina seu projeto como “jornalismo artesanal”. Questionado por um aluno durante a live, explicou que acredita ser o termo mais adequado por se tratar de apenas um profissional por trás das reportagens, que é responsável por todo o processo: coletar dados, investigar denúncias, apurar e escrever as matérias. Ao seu ver, o termo “jornalismo independente” foi banalizado e é usado por muitos que não possuem compromisso com a verdade e com o público, por isso, optou por diferenciar sua forma de atuar.  

Muitos sites estão mais preocupados com o número de views e com a repercussão das matérias, pecando na apuração dos fatos e dados. Nesse sentido, Berta cita a importância de projetos que se dedicam a checar notícias e ainda apontam de qual veículo vieram. Um exemplo de sucesso citado foi o “Aos Fatos”, que realiza esse trabalho de checagem. No entanto, ainda assim é um desafio, pois as fakenews surgem de forma muito mais rápida e eventualmente acabam viralizando.  

O jornalista também citou um caso em que um site sem compromisso fez uma matéria difamando uma repórter do Estadão, e Berta, pesquisando um pouco, descobriu que o responsável pela matéria possuía interesses pessoais e, então, escreveu uma matéria sobre a situação, que repercutiu em vários outros veículos. Para evitar esse tipo de notícia sem credibilidade, a dica que ele dá é que os leitores sempre verifiquem autoria das matérias, desconfiem de manchetes sensacionalistas e ainda confiram os dados para não compartilharem informações falsas. 

Sobre sua adaptação à pandemia, ele diz não ter muitas dificuldades, pois a maioria dos documentos necessários para compor suas reportagens estão disponíveis online em sites do governo. Com a internet, praticamente toda a pesquisa é possível. “Claro que há certa dificuldade em não poder ir até os locais, mas uma tática nesse momento e em todos os outros é buscar em sites públicos os documentos necessários para produzir uma reportagem”, explica. 

Berta ainda reafirma que é obrigação do governo disponibilizar informações referentes aos gastos públicos, o que foi bastante facilitado com a Lei de Acesso à Informação. Apesar das solicitações demorarem um pouco para serem cedidas, raramente, pedidos são negados, pois deve haver um embasamento pautado em fatos muito sólidos para que isso ocorra.  

Por fim, ele ainda deixou algumas dicas para quem deseja seguir seu caminho no jornalismo investigativo: “Se familiarizem desde cedo com sites governamentais que disponibilizam documentação governamental, busquem onde podemos encontrar as informações para pautar as matérias”, incentiva Berta. 

O Jota UVA segue com programações para estabelecer essa ponte entre alunos e profissionais que já atuam no mercado de trabalho. Para acompanhar os eventos, siga as redes sociais do Jota UVA.  

LEIA TAMBÉM: Curso de Jornalismo promove Talk News sobre a importância da profissão

Marina Figorelli – 7º Período

1 comentário em “Agência de Comunicação da UVA promove live com jornalista Ruben Berta

  1. Pingback: Correspondente na África conta dos desafios e oportunidades no continente | Agência UVA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s