Cursos de Engenharia da UVA estudam viabilizar instalação de Biodigestor no campus Tijuca

Realizada na unidade Tijuca, pesquisa busca análises teóricas e viabilidade prática para programa

Dois projetos que fazem estudos de caso, em áreas específicas relacionadas à sustentabilidade e meio ambiente, estão em andamento na Universidade Veiga de Almeida (UVA), dentro da esfera de Engenharia, liderados pelo professor Carlos Eduardo Pinheiro.

O objetivo de um deses projetos, é estudar a possibilidade de instalar um biodigestor comercial no campus. Para isso, o professor Carlos Pinheiro traçou algumas metas com seus alunos, analisando a Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTA) da iniciativa. Uma das primeiras coisas a serem feitas, é revisar os estudos sobre a geração de energia a partir de resíduos orgânicos, e após isso, identificar modelos de biodigestores que possam ser instalados no campus, e decidir qual opção melhor se encaixaria às características das instalações de acordo com sua viabilidade econômica.

“Almeja-se identificar um modelo de equipamento que possibilite significativa redução da quantidade de resíduos encaminhado à aterro sanitário pela instituição, e gere, mesmo que em pequenas quantidades, gás o suficiente para a conversão e geração de energia calorífica em energia elétrica a ser utilizada nas dependências do Campus.”, afirma o professor.

garbage-2729608

Objetivo do Biodigestor é reduzir a quantidade de resíduos provenientes da universidade./ Fonte: Pixabay

O outro projeto, mais focado na área teórica, busca avaliar o potencial da redução de custos operacionais nos aterros sanitários da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, a partir da criação de cenários para o cumprimento de metas governamentais na logística reversa de embalagens plásticas.

“Busca-se comprovar que a redução de volume dos resíduos sólidos urbanos irá propiciar uma diminuição dos custos operacionais dos aterros sanitários existentes na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, impactando diretamente nos valores pagos pelas municipalidades às empresas gestoras dos aterros sanitários na Região.”, explica Carlos. Ao fim da pesquisa, através de análise crítica, pretende-se identificar estratégias que permitam viabilizar e ampliar a implantação da Logística Reversa no Estado do Rio de Janeiro.

Victor Leal – 7º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s