Conhecendo um pouco mais da história do Maracanã

maracanc3a3-3.jpeg

”Domingo, eu vou ao Maracanã/ Vou torcer para o time que sou fã/ Vou levar foguetes e bandeiras/ Não vai ser brincadeira/ Ele vai ser campeão”.  Ao ouvir a canção entoada na voz de milhares de torcedores durante partidas de futebol na arena sede dos grandes clássicos do esporte, é difícil não ser contagiado pelo clima festivo. Localizado no Rio de Janeiro, o Estádio Jornalista Mário Filho — mais conhecido como Maracanã — é famoso por sediar vários jogos e até shows. Mas nem todos sabem quem foi Mário filho.

O jornalista esportivo Mário Leite Rodrigues Filho era filho do jornalista Mário Leite Rodrigues e irmão do também jornalista e escritor Nelson Rodrigues. Autor de vários livros que têm o esporte como tema, o jornalista e pesquisador Jefferson Almeida afirma que Mário Filho foi o primeiro a dar ao esporte a importância devida dentro do jornalismo. Foi também um dos grandes responsáveis por transformar o futebol, um esporte que já vinha se tornando popular, em uma das maiores paixões nacionais. “Creio que todos os jornalistas esportivos que vieram depois podem ser chamados de filhos de Mário Filho”.

Mário Filho foi dono do “Jornal dos Esportes”, classificado como o primeiro jornal unicamente esportivo. Suas crônicas eram marcadas por romantizar cada jogada dando alma ao futebol brasileiro. Ele incentivou os esportes de maneira ampla nas crônicas esportivas, onde o jogador de futebol ganhava notoriedade e não era apenas o resultado do jogo que importava. Seus textos tinham dramaticidade e traziam os detalhes de um lance, o sentimento do jogador e os estágios de agonia, tristeza ou euforia do torcedor na arquibancada.

Ele costumava publicar todas as descrições dos lances nas páginas do seu jornal. Nele também realizou uma enquete para escolha do melhor local para construção de um grande estádio de futebol que pudesse sediar a Copa do Mundo no Brasil em 1950. A enquete oferecia duas opções: o bairro de Jacarepaguá, indicação do então deputado federal Carlos Lacerda, ou a escolha do prefeito Mendes de Moraes e do vereador Ari Barroso, nas imediações da Tijuca, no bairro Maracanã. Mário também defendia o bairro.

Por ser um local mais acessível e ter condução para os diversos cantos da cidade, o bairro do Maracanã ganhou a disputa, tornando-se o novo Estádio Municipal do Rio de Janeiro, nome que recebeu na época, com capacidade inicial para cerca de 180 mil pessoas. Mário teve uma forte atuação na idealização e construção do estádio. Ele, que sempre foi muito apaixonado pelo esporte, especialmente o futebol, acreditou no projeto e o terreno onde foi construído era o antigo jóquei, onde ocorriam as corridas de cavalos, o Derby Club, que depois se mudou para o bairro da Gávea.

No bairro escolhido, o Maracanã foi construído para ser um cartão postal da cidade. Mário Filho é o nome mais do que merecido para batizar o símbolo maior do futebol brasileiro, pelo qual ele teve fundamental importância ao fazer campanha. Fora dos esportes, ele coordenou os primeiros desfiles de escolas de samba na Praça Onze. Muitos foram os feitos do jornalista, porém, nem todos conhecem seus feitos. O estudante Felipe Girão Quintanilha diz não saber da trajetória de Mário Filho: “Já assisti vários jogos no Maracanã, sempre vou lá. Mas sinceramente não sei quem foi ele”. O ascensorista Carlos Alberto também desconhecia: “Eu sabia o nome do estádio, mas a história dele não”.

A origem do nome Maracanã

O guia turístico do estádio Mateus Alves Santana conta que o bairro do Maracanã recebeu esse nome por causa de uma ave que havia no local chamada de maracanã-guaçu. Em Tupi significa chocalho, pois o animal emitia um som semelhante ao instrumento. Sem demora, o estádio acabou recebendo como apelido o nome do bairro. “O estádio só recebeu o nome de Mário filho depois da morte do jornalista em 16 de setembro de 1966, em sua homenagem”, relata.

Um dos relatos mais famosos sobre a história do Maracanã é o chamado “maracanaço”, uma mistura de Maracanã com fracasso. O episódio que marcou profundamente os brasileiros foi a derrota da seleção brasileira para o time do Uruguai no final da Copa de 50. Durante a construção do estádio, os brasileiros sonhavam em ganhar a Copa do Mundo em casa, na primeira vez que o país sediava a competição. O estádio superou sua capacidade de público e recebeu mais de 200 mil torcedores.

A visitação ao estádio Mário Filho

Qualquer um pode visitar o Maracanã e conhecer um pouco mais sobre o estádio. Diariamente, o acesso fica localizado no Portão 2 na Avenida Radial Oeste. Há um toru guiado (das 9h às 16h) e um tour não guiado (9h às 16h30). Os preços variam entre R$ 60 e R$ 60. Mais informações no site: www.tourmaracana.com.br.

 


Daniela Oliveira e Bianca Barbosa – 6º período

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s