Batalha de poesia, montagem de robôs, debate sobre gêneros; é a Bienal do Rio!

Bienal do Rio diversifica na oferta de atividades e debates para os visitantes da feira literária.

Quem visitou a Bienal do Livro no Rio na última sexta-feira (8/9) teve muitas atrações para prestigiar. Atividades como batalhas de poesia à montagem de robôs eram anunciadas a todo momento na feira literária. Não faltaram programas interessantes para o público diverso – de crianças a idosos – que encheu os pavilhões do RioCentro.

Dentre os eventos, o Café Literário trouxe um bate-papo sobre questões de gêneros com a mediação de Pedro Henrique França e a participação de Marcelino Freire, Marco Antonio Torres, Lícia Loltran e Marcia Tiburi. Os debatedores trouxeram as próprias experiências com o público LGTB, sempre com toques bem-humorados de Marcelino, mas sem deixar de lado a importância e a seriedade do tema.

Para o estudante Peterson Leoni, o importante foi a abordarem de temas políticos, religiosos e sociais, sem restringir ao público LGBT. “Não houve um monólogo. Foi leve. Falou sobre a dor da gente. A dor que o negro, o homossexual e a mulher sentem. Falou de dores”.

Os também estudantes João Nicolli e Michele Mansor também gostaram do evento. O objetivo deles era se informar a partir dos conhecimentos dos palestrantes. “É bom ver intelectuais falando sobre esse tema”, disse Michele. Já João vai usar as informações obtidas para entender melhor o que vê na mídia. “É um tema que vem sendo muito pautado por todos os lados. Quanto mais informações, vindas de fontes democráticas, melhor para você entender e criar a sua opinião”.

Seguindo a lógica de ter atração para todos os públicos, as crianças aproveitaram o espaço infantil. Em um lugar colorido, os pais podiam descansar da caminhada através de um labirinto de livros. Jair Souza estava com os filhos e aproveitou o descanso. Casado com uma professora, ele contou que tenta inspirar os filhos a ler e o espaço focado para crianças ajuda a despertar o interesse infantil. “Nós temos diversas áreas. Eles precisam ter esse espaço para eles. É bom!”.

Pedro Ferreira aproveitou para trazer o irmão da namorada. “De repente é uma coisa legal para crianças. Ele tá curtindo essa parte do mundo geek. Eu já conheço o trabalho do PH Santos e acho que ele vai gostar”, contou Pedro, enquanto aguardava na fila para o evento “Montando robô ao vivo”. Com tantas atrações e variedades, era normal encontrar famílias transitando pelos corredores.

Uma dessas atrações foi a batalha de poesias, disputadas na Arena #SemFiltro, no evento Slam Colegial Flup. Uma batalha de poesia. Versos com a rebeldia que exibe a juventude dos autores. Dentre os brados, um se destacou. Uma teia fiada a partir da vida de uma mulher. A simplicidade das palavras, aliados à interpretação da autora, renderam à Indiara o prêmio. A melhor poesia. Eleita pelos jurados e pelo público. Venceu o grito pela liberdade feminina.

No final do dia era hora de aproveitar os novos livros. Mas, acima de tudo, aproveitar o amor. Seja o amor entre pessoas, discutido no Cafezinho Literário, seja aquele pela literatura, que Jair transmitiu para os filhos ou o que fez Pedro trazer o pequeno cunhado para o passeio. Apenas o amor. E a paixão pelos livros.


Pablo Guaicurus – 6º período.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s