Twitter é a principal ferramenta das mídias independentes

No dia 21 de março, o Twitter completou dez anos e, desde a criação da rede social até hoje, muita coisa mudou: o layout do site, a diversidade de pessoas que passaram a frequentá-lo, a forma de utilizar os 140 caracteres. Algumas mudanças agradaram, outras não, mas é inegável o fato de que o microblog cresceu bastante ao longo de sua existência.

A rede social começou para fins pessoais, hoje, é parte importante do desenvolvimento das mídias independentes. Se no início, blogueiros viam o Twitter como uma ferramenta de divulgação para suas postagens, atualmente, eles também fazem seus “textos” diretamente no microblog.

Cris Dissat, do blog Fim de Jogo - canal hoje possui credencial de imprensa no Maracanã - foto cedida por Cristina Dissat

Cristina Dissat, do blog Fim de Jogo – canal hoje possui credencial de imprensa no Maracanã.

Como é o caso do blog “Fim de Jogo”, criado pela jornalista Cristina Dissat. Ela fazia pós-graduação, em 2008, quando um dos professores comentou sobre o surgimento da rede social e percebeu que o site poderia ser uma ferramenta fundamental para o jornalismo. “Quando eu vi a possibilidade de publicar diretamente da rua, aquilo já me interessou muito e o perfil estaria associada ao blog que já existia na época”.

Com o tempo, a conta @fimdejogo ganhou proporções bem parecidas com a do site. A jornalista relata que a quantidade de informação é muito grande e, por isso, a equipe precisa saber direcionar o que será postado. “Recentemente, demos um furo de reportagem em uma notícia sobre o Maracanã. No Twitter, eu apenas pontuei algumas coisas, mas o conteúdo detalhado estava no blog”, explica Cris.

A jornalista também reparou que o microblog é uma ferramenta poderosa quando ela quer que uma matéria esquente. “O Twitter e o site são duas mídias que se complementam”. A postagem em tempo real é, de fato, uma das principais vantagens que o “Fim de Jogo” encontrou. Afinal, o site trata de futebol e, durante um jogo, existem períodos nos quais inúmeros fatos acontecem.

Informações pontuais no @fimdejogo, detalhes e matérias no blog do projeto_

Informações pontuais no @fimdejogo, detalhes e matérias no blog do canal.

Para Cristina, a rede social é perfeita para essa situação. “O Twitter é instântaneo, característica que o Facebook não possui, e, por isso, foi um sucesso estrondoso durante a Copa do Mundo”. Por ser mídia independente, o próximo grande passo, tanto do blog como do Twitter, é conseguir arrecadar fundos. Ela considera que o projeto é um plano de negócios novo, difícil de ser entendido, mas os tempos estão mudando e conceitos sendo revistos. O “Fim de Jogo” está inserido nesse novo formato. “Gostaria de ver um blog dentro de um grande portal, mas ser mídia independente é muito bom, pois fazemos o que queremos e da maneira que achamos correta”, confessa Cris.

BOTAFOGO NEWS: PROJETO QUE SURGIU ENTRE AMIGOS

Seguindo a mesma linha de experimentar o que era novo em relação a novas mídias, o BotafogoNews surgiu em 2009, nos corredores da Universidade Federal Fluminense (UFF) entre um grupo de amigos do curso de Estudos de Mídia que eram torcedores do clube. O fundador, Thiago Petra, foi quem descobriu o Twitter e, após não encontrar nenhum perfil atraente ou atualizado com frequência, ele decidiu dar o pontapé inicial no projeto.

Cerca de duas semanas após a criação do perfil, André Assunção foi convidado para participar da empreitada. “Na época, a conta ainda estava na casa dos 30 seguidores e eu me empolguei com a ideia”, conta. O objetivo inicial era postar pelo menos uma notícia por dia. Contudo, a vontade de fazer diferente trouxe os registros em tempo real dos estádios e as narrações dos jogos. “A partir daí, a interação com as pessoas cresceu e o nosso desafio se tornou tentar equilibrar informação – do campo e da arquibancada – com humor e diálogo, sempre dando voz ao torcedor”.

André e a equipe do News procuram levar ao internauta a emoção dos estádios

André e a equipe do News buscam levar aos seguidores a emoção dos estádios.

O projeto do News chegou a ter um site formal, que surgiu em 2012. “Foi um dos momentos mais incríveis da nossa trajetória”, relata André. A plataforma teve desde estudantes de jornalismo, crônicas de convidados até colaborações de botafoguenses ilustres, como um texto inédito de João Moreira Salles.

   O problema foi que era tudo feito na base do amor e era difícil de administrar todo o conteúdo de uma forma amadora. Domínio, servidor, alguém para programar, um bom designer, além de publicar material novo e divulgar nas redes – muito trabalho e nenhum retorno financeiro. “Conseguimos uma explosão de acessos e chegamos a conversar com um possível patrocinador, mas batemos na trave”, esclarece André.

Depois do auge, o site ainda ficou no ar por um bom tempo, mas, com a instabilidade nas postagens, acabou saindo do ar. E, para André, faz muita falta. Ele explica que o Twitter cumpre boa parte dos objetivos, mas o site tornava o alcance maior. “O Twitter é a rede social favorita de muita gente, mas outros muitos não chegam nem perto do microblog”.

Apesar disso, a plataforma oferece suas vantagens. “É dinâmico, a informação é rápida, sem rodeios e mais linear”. André explica que no Facebook, por exemplo, existe uma restrição de alcance que, muitas vezes, faz que apenas 10% do seu público receba a publicação de conteúdo do “BotafogoNews” no feed.

 E quem pensa que o News só faz cobertura do Botafogo, se engana. Durante a Copa do Mundo, o perfil teve o que André descreve como “um dos grandes momentos da nossa história como canal autônomo”. A ideia surgiu quando, despretensiosamente, a equipe perguntou aos torcedores quem estaria no estádio durante a competição. A princípio, o objetivo era apenas receber uma foto dos seguidores com a camisa do clube no estádio.

Hoje, o BotafogoNews sobrevive apenas via Twitter_

Hoje o BotafogoNews sobrevive apenas via Twitter.

Entretanto, o que aconteceu foi uma cobertura in loco realizada por uma equipe que contou com 50 colaboradores. As informações eram enviadas pelo WhatsApp de todos os cantos do Brasil, com informações de filas, engarrafamentos e do público nos estádios. Quem participou do projeto, recebeu alguns pequenos brindes. Entre eles, uma figurinha do goleiro Jefferson, que havia ficado de fora do álbum da Copa.

Ele relata também que, um fato interessante, foi o canal ter atraído seguidores que torciam para outros times. E mesmo com o fanatismo explícito pelo Botafogo, muitos gostaram do estilo e permaneceram acompanhando o perfil.”A cobertura teve um retorno incrível. Os seguidores se sentiram identificados e alguns até entraram para a equipe durante a competição”.

Além de pretender repetir a ideia durante as Olimpíadas em 2016, um dos objetivos é tornar o projeto auto-sustentável – uma tarefa difícil, considerando o excesso de fontes de informações existentes hoje em dia -. Isso, além do sonho de uma versão impressa do “BotafogoNews”. “Nosso grande objetivo é virar um laboratório acadêmico. O BN já fez parte da formação de alguns colaboradores e oferecer um estágio remunerado seria um grande ponto a ser desenvolvido”.

O caminho não é fácil. Com sete anos na ativa, o desafio é manter o perfil ativo. Hoje, o atual gestor da conta é Rafael Sathler e, se não fosse por ele, o canal talvez já tivesse encerrado as atividades. “É como escutei numa reportagem: ‘sonhar grande dá o mesmo trabalho que sonhar pequeno’”, finaliza André.


Nathalia Araujo – 7º período

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s