Beco dos Garranchos

Sem titulo (licença poética das autoras)

 

Inspirado em texto de Michel Melamed, este exercício de Oficina de Texto gerou resultados bem interessantes…

 

 

 

Fernanda Carvalho e Natalia Arueira

 

 

 

            Sou como você. Perturbada assim, confusa assim, carismática assim, mas fazer o quê? Não há emprego suficiente! O século XXI exige um profissional criativo. Mas a criatividade é sinônimo de competência? Até que ponto ela é indispensável para o profissional? Criatividade… Palavrinha cobiçada, que todo mundo quer ter, mas poucos conseguem. Aliás… Todos têm! Mas nem todos conseguem usá-la. Eis então a questão… Se formar um profissional de comunicação sem saber ao certo como usar a criatividade.

E este ainda é o primeiro dos problemas… Você está na faculdade, e então começa a ser engolido por palavras estranhas, que até então, em sua vidinha medíocre, você nunca tinha ouvido falar… Mas para eles é tão normal!

– Você tem seu portifólio para nos mostrar?    

“Que merda é essa?!” Você pensa. Aí então sua criatividade vem à tona. (Sim, você tem, Acredite!) e então você inventa uma desculpa bastante convincente, apesar de não ter nem idéia do que a palavra significa. Afinal, seja bem-vindo! Você está na sua primeira entrevista de emprego! Seu estágio depende disso. E você achava que, sabendo pronunciar corretamente a palavra Curriculum vitae (pronuncia-se currículo vite), iria arrasar.

            Mas o mundo é muito mais cruel do que imaginamos. Afinal, quando entramos na faculdade, somos meros adolescentes, e em quatro anos você é obrigado a ser um adulto onisciente, onipresente, onipotente a auto-suficiente, ou seja, uma espécie de Deus. (Não, eu não estou exagerando!) Mas já que vocês insistem, eu realmente me comprometo a ser uma profissional ‘Premium’, seja lá o que isso signifique. O mercado tem suas exigências… Ser pontual, pró-ativo, dinâmico, qualificado, empreendedor. Como vou ser empreendedora, se eu não controlo nem o meu dinheiro do lanche? Mas essa palavra tá na moda, né?!

            Como se não bastasse, ainda inventam de mudar a nossa língua sem nem pedir autorização. (pelo menos a mim, ninguém perguntou nada). E o dinheiro que meu pai gastou com 12 anos de estudo? Alguém vai repor? Devolver uma partezinha que seja… Não! Sou como você. Atrasada assim, para mais uma entrevista de emprego assim, tentando levar a vida assim. Quem sabe um dia, uma comunicadora assim.

 

(P.S.:Isso não é um merchandising de um plano de saúde, qualquer semelhança é mera coincidência…)

Agência UVA é a agência experimental integrada de notícias do Curso de Jornalismo da Universidade Veiga de Almeida. Sua redação funciona na Rua Ibituruna 108, bloco B, sala 401, no campus Tijuca da UVA. Sua missão é contribuir para a formação de jornalistas com postura crítica, senso ético e consciente de sua responsabilidade social na defesa da liberdade de expressão.

0 comentário em “Sem titulo (licença poética das autoras)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s